Cereais de Inverno


 Centeio

 (Secale cereale L.)

A cultura

Planta da família Gramineae, apresenta tolerância ao alumínio e rusticidade, sendo indicada como cultura de inverno para regiões marginais à cultura do trigo em condições de sequeiro, visando à produção de grãos e, em várzea bem drenada, à produção de forragem. Como alimentação humana, os grãos são transformados em farinha para panificação, embora essa não seja tão branca como a do trigo, é tão nutritiva quanto ela. Além desses empregos, os grãos são utilizados em destilaria para a fabricação de álcool. Do ponto de vista de alimentação animal, a planta pode ser empregada como concentrado na forma de grãos, forragem verde, pastagem, silagem ou feno.

A área

Devido a sua rusticidade, o centeio produz bem em solos levemente ácidos e pouco férteis, possuindo também, maior resistência a pragas e doenças que os demais cereais de inverno.

Adubação e calagem

Esse manejo depende, basicamente da análise química do solo. Geralmente, deve-se aplicar calcário quando a saturação em bases for inferior a 50%, calculando a quantidade do corretivo para que ela atinja 60%. Não aplicar mais de 4t/ha/ano.

Adubar, conforme a análise do solo, com 20kg/ha de nitrogênio, 60-90kg/ha de fósforo (P205) e 30-40kg/ha de potássio (K20). Não aplicar N em cultivos após soja.

Cultivares

as cultivares registradas no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento estão listadas abaixo, sendo que a época de semeadura para elas está entre abril e maio.

Cultivar         Instituição Responsável
 
1 BR 1           Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - EMBRAPA
 
2 IPR 89         Instituto Agronômico do Paraná

Semeadura

A densidade de semeadura indicada é de 300 a 330 sementes aptas/m2. No final do período recomendado, deve-se dar preferência ao nível superior de densidade. O espaçamento empregado é de 20cm entre linhas e são necessárias 70kg de sementes/ha.

Tratamento de sementes

            Na maioria das vezes, mesmo sem apresentar sintomas externos, as sementes podem estar infectadas por patógenos. Para evitar a reintrodução desses na lavoura recomenda-se o tratamento de sementes.

 Informações sobre os fungicidas recomendados encontram-se na Seção AGROLINKFITO.

Controle de pragas, doenças e invasoras

Deve ser realizado um controle integrado, unindo as diferentes técnicas de manejo a fim de se obter a maior produtividade com o menor custo.

Os produtos indicados para o controle das doenças, pragas e invasoras da cultura do trigo encontram-se no sistema AGROLINKFITO.

Colheita

O processo de colheita é considerado de extrema importância, tanto para garantir a produtividade da lavoura quanto para assegurar a qualidade final do grão. Para reduzir as perdas quanti e qualitativas, deve-se colher em agosto/setembro, quando a cultura apresentar aproximadamente 120-130 dias, com colhedoras bem reguladas.

 

Anexo 1. Classificação por grupo do centeio quanto ao peso do hectolitro.

Grupo

Peso por hectolitro

1 Igual ou superior a 72 kg
2 de 67 kg a menos de 72 kg
3 de 62 kg a menos de 67 kg
4

Inferior a 62 kg

 

Anexo 2. Classificação do centeio por tipo, segundo a umidade, grãos diversos e impurezas.

TIPO

UMIDADE

CARUNCHADOS OU
DANIFICADOS

AVARIADOS

PARTIDOS OU QUEBRADOS

IMPUREZAS
E/OU MATÉRIAS ESTRANHAS

1

14%

2,00%

2,00%

1,00%

0,50%

2

14%

4,00%

4,00%

2,50%

1,00%

3

14%

6,00%

6,00%

4,00%

2,00%

4

14%

8,00%

8,00%

6,00%

3,00%

TIPO

UMIDADE

CARUNCHADOS OU
DANIFICADOS

AVARIADOS

PARTIDOS OU QUEBRADOS

IMPUREZAS
E/OU MATÉRIAS ESTRANHAS

1

14%

2,00%

2,00%

1,00%

0,50%

2

14%

4,00%

4,00%

2,50%

1,00%

3

14%

6,00%

6,00%

4,00%

2,00%

4

14%

8,00%

8,00%

6,00%

3,00%