17/04
CBOT
BM&F

Soja
US$ 15,15 (MAI14)
R$ 31,7 (MAI14)

Milho
US$ 4,95 (MAI14)
R$ 31,19 (MAI14 )



Dia de campo destaca produção de milho e feijão em larga escala

Visitas: 1078

Dia de campo destaca produção de milho e feijão em larga escala
19/01/11 - 00:00 

A fazenda Rural Fértil no município de Mucajai (RR), referência no plantio de milho e feijão caupi foi cenário de um dia de campo nesta segunda-feira (17).

O evento coordenado pela Secretaria Estadual de Agricultura foi proposto com o objetivo de reunir produtores, secretários municipais de agricultura e técnicos de outras regiões do Estado para conhecer uma propriedade com tecnologia de ponta na produção das culturas do milho e do feijão.

O governador José de Anchieta acompanhado do vice, Chico Rodrigues, além do secretário de Agricultura, Eugênio Thomé, receberam cerca de 50 pessoas, entre produtores do Projeto de Assentamento Nova Amazônia e técnicos da agricultura de vários municípios do Estado.

A idéia do encontro é disseminar entre os produtores o uso da tecnologia de forma a aumentar a área de grãos produzida em Roraima.

Hoje, em 260 hectares de milho plantadas na fazendo Rural Fértil, o agricultor Rodrigo Pratti, colhe cerca de 145 toneladas do grão por hectare, um recorde para Roraima. Nas cem hectares de feijão caupi, a produção chega a 30 toneladas por hectare, um número considerado bom para o Estado. Na época do inverno a fazenda substitui o plantio do feijão e do milho pela soja, com mil hectares do grão plantados.

A fazenda ainda é referencia na seleção de sementes com uma Unidade de Processamento de Sementes, que permite selecionar os melhores grãos para o plantio.

O produtor afirmou que conhece várias áreas produtivas no Brasil, a exemplo do Mato Grosso e de Goiás, mas destaca que nenhum Estado da Federação tem as condições para o plantio que Roraima oferece. Para ele, o Estado ganhou com a titularização de terras e os esforços que vem sendo feitos no sentido de resolver os entraves ambientais que facilitam o plantio.

“O clima do Estado permite até três colheitas por ano no caso de feijão e do milho, sem falar na colheita por hectare produzido que aqui é maior do que em outras regiões. Aliado a estes fatores vemos um esforço concentrado do governo no sentido de resolver a questão fundiária e os entraves nos licenciamentos ambientais. Resolvidas estas questões seremos um grande produtor de grãos”, disse Rodrigo.

A Presidente do Sindicato dos Trabalhadores do PA Nova Amazônia, Dalva, reuniu um grupo de agricultores para acompanhar o dia de campo. Ela destacou que os agricultores familiares precisam se unir em sistema de cooperativa, afirmando que unidos todos podem estruturar plantios tanto de feijão quanto de milho, idênticos ao da fazenda visitada.

“Temos como plantar nas mesmas condições desta área que hoje visitamos. Afinal, estamos na mesma região e somos beneficiados com o mesmo clima e o mesmo solo. O que nos resta é unirmos as forças em sistema de cooperativa para que possamos ter condições de adquirir uma tecnologia semelhante a esta”, afirmou Dalva.

O secretário de Agricultura, Eugênio Thomé destacou o programa Eixo da Produção, criado pela SEAPA para aumentar a área de grãos em Roraima. Ele citou que a meta é ano após ano aumentar a área produzida no Estado até chegar a 100 hectares plantados.

Segundo Thomé para atingir o objetivo é preciso a união de todas forças do setor produtivo tanto na agricultura familiar quanto na agricultura em larga escala.

“Somos um Estado privilegiado. Temos água e um clima favorável para o plantio o ano inteiro. Além disso, hoje temos o processo de regularização de terras em andamento que vai possibilitar um gradativo aumento na produção de grãos até chegar aonde queremos”, disse Thomé.

Investimentos
O governador José de Anchieta elogiou a disposição dos produtores de grãos na região de Mucajai. Ele disse que em 2010, o Estado fez um grande esforço no sentido de regularizar as terras, o que permitiu aos produtores a busca de novos incentivos para incrementar a produção.

Ele destacou ainda que novas ações no sentido de agilizar o processo de regularização fundiária e citou a assinatura de um convênio com o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), no valor de R$ 30 mi para investir na regularização de outras áreas em Roraima.

Segundo o governador, para 2011 a meta é buscar estruturar o Estado com fontes de energia seguras para dotar o Estado das condições necessárias para aumentar a produção agrícola. Ele destacou o esforço para interligação de Roraima ao sistema nacional de energia elétrica por meio do Linhão de Tucuruí, que irá possibilitar uma energia mais barata, diminuindo os custos da produção.

“A regularização fundiária é uma realidade. Vamos agora priorizar a questão da energia elétrica e estamos trabalhando firme neste propósito. Queremos dotar o Estado de todas as condições para fazer crescer tanto o agronegócio quanto a agricultura familiar para dobrarmos a produção agrícola e gerar emprego e renda para o roraimense”, ressaltou o governador.


Notícias Relacionadas

17/04/14 » Cientistas criam 1º cromossomo totalmente sintético
17/04/14 » Brasil “escondeu” problemas logísticos
17/04/14 » Chile lidera ranking de importações no Brasil
17/04/14 » Pesquisadores vão mapear castanhais nativos
17/04/14 » Syngenta divulga resultados do primeiro trimestre de 2014

Comentários

Comente esse conteúdo preenchendo o formulário abaixo e clicando em enviar






- Opiniões expressas nesse ambiente são de exclusiva responsabilidade do autor e não necessariamente representam o posicionamento do Portal Agrolink.

Até o momento não houve nenhum comentário para esse conteúdo.

Colunistas | Eventos  | Cadastre-se  | Agrotempo  | Feiras e Fotos  | Vídeos
Ip: 23.21.23.126 Cod: -1 Est: -1 Cid: -1
Siga o Agrolink também nos seguintes sites
Twitter Orkut