28/07
CME
BM&F

Soja
US$ 9,76 (28/07)
n.d.

Milho
US$ 3,71 (28/07)
R$ 26,85 (28/07)

Fertilizantes


TIPOS DE FERTILIZANTES

 
As práticas de fertilização são responsáveis por cerca de 50% dos ganhos de produtividade das culturas, necessitando, assim, serem feitas do modo mais eficiente possível. Porém, visando atingir esta eficiência é necessário que os agentes que atuam na agricultura apliquem conceitos básicos que envolvem a eficiência dos fertilizantes agrícolas, com o intuito de maximizar os retornos sobre os investimentos pelo uso desses insumos. O que se observa, entretanto, é que muitas vezes esses conceitos básicos não são aplicados, levando, muitas vezes, a níveis extremamente baixos de eficiência dos fertilizantes aplicados.

O conceito de uso eficiente de fertilizante mais difundido entre os técnicos é aquele que reflete o aumento de produção por unidade de nutriente aplicado. Baixa eficiência de fertilizantes significa baixa produtividade e baixos lucros. O uso eficiente de fertilizantes envolve conhecimentos por parte dos técnicos em áreas como nutrição mineral de plantas, química do solo, fertilidade do solo, tecnologia de adubos, morfologia de plantas, física, gênese, morfologia e classificação de solos, mecânica agrícola e econômica agrícola. Além disto, o uso eficiente desses insumos exige uma diagnose correta de possíveis problemas de fertilidade do solo e nutrição de plantas antes da ação da adubação. Nesse contexto, a utilização de ferramentas de diagnose (análise do solo, análise foliar, avaliação de sintomas de deficiência) é o primeiro passo para determinar o uso inteligente dos fertilizantes e corretivos agrícolas.

Desta forma, o conhecimento das formas de ação, aplicação e vias de absorção se tornam fundamentais na maximização dos resultados da aplicação de fertilizantes.
 

 


José Luis da Silva Nunes

Eng. Agrº, Dr. em Fitotecnia