02/09
CBOT
BM&F

Soja
US$ 10,97 (SET14)
R$ 22,93 (MAI15)

Milho
US$ 3,53 (SET14)
R$ 23,35 (NOV14 )



Projeto propõe recuperação e conservação de minas e nascentes

Visitas: 1711

Projeto propõe recuperação e conservação de minas e nascentes
23/11/09 - 16:15 
Nesta terça-feira, 24 de novembro, comemora-se o dia do Rio. Por este motivo e devido à importância da conservação da água para a sobrevivência do Planeta, a Cooperativa Agropecuária e Industrial (Cocari) e a Nortox se uniram para a realização do Projeto Olho D’Água, na cidade de Mandaguari/PR. O projeto tem por objetivo a recuperação e conservação de minas e nascentes localizadas na área de atuação da cooperativa – mais de 20 municípios do interior paranaense. A meta é garantir água limpa e potável para os cooperados, ajudar no desenvolvimento sustentável das propriedades e fortalecer a importância de uma consciência ambiental ligada ao agronegócio.

Cocari e Nortox se basearam em um projeto realizado pela Coopavel, em Cascavel. Segundo o gerente do Departamento de Segurança, Engenharia e Meio Ambiente (Desema) da Cocari, Ademir Zusso, o principal objetivo é a proteção do meio ambiente, beneficiando de forma direta os cooperados, que terão minas protegidas e água saudável na propriedade. “Essa é uma das metas da Cocari – cuidar do meio ambiente e do bem-estar de seus cooperados”, ressalta Zusso.

A primeira mina recuperada pelo Projeto Olho D´Água encontra-se na propriedade dos irmãos cooperados Henrique e Nelson Peloso, localizada a cerca de 5 km da cidade. As minas também não foram escolhidas ao acaso: elas dão origem à nascente do Ribeirão Alegre, que é afluente do Rio Pirapó. Este deságua no Rio Paranapanema, que por sua vez deságua no Rio Paraná, segundo rio em extensão da América do Sul e décimo do mundo em vazão.
 

Uma das minas que já está passando por recuperação, localizada na propriedade dos irmãos Peloso

Henrique Peloso Neto conta que na verdade há uma série de minas dentro da reserva localizada em sua propriedade. O sítio tem 20 alqueires, sendo três de mata nativa. “A região foi aberta em 1938 e as minas sempre foram fonte de água para as famílias que aqui chegaram. Em 1975, elas ainda abasteciam 13 residências, totalizando 92 pessoas. Com a geada de 1975, a cafeicultura ficou inviável e muitas famílias foram embora”, conta Peloso Neto.

Hoje a propriedade está bem diversificada, com parte ocupada pela soja, parte ainda pelo café, além de granjas e um abatedouro de frango. Peloso Neto ficou empolgado com o Projeto Olho D’Água. “O método de recuperação realmente funciona. Queremos que todas as minas sejam recuperadas. Agora que nós aprendemos, vamos valorizar mais o projeto e recomendar aos outros produtores”, confirmou. A Cocari já cadastrou 35 minas para serem restauradas nesta etapa inicial do projeto.
 
Henrique Peloso Neto: “Até 1975, essas minas abasteciam 13 casas, beneficiando mais de 90 pessoas”

Parceiros investem no meio ambiente
 
Tanto a Cocari quanto a Nortox se destacam pela preocupação com a área ambiental. A Cocari, em parceria com o IAP, desenvolve desde o ano 2000 o Projeto Remar que consiste no reflorestamento da mata ciliar e na soltura de milhares de peixes no Rio Marialva. Outras ações ambientais desenvolvidas pela Cocari foram destaque, entre elas a instalação de um viveiro de mudas, ajudando os agricultores a restabelecerem suas glebas de matas ciliares e reserva legal.

Maior fabricante nacional de agroquímicos, a Nortox concentra a experiência de 55 anos no ramo para desenvolver produtos atendendo às normas estabelecidas pelos órgãos da área. Anualmente, investe R$ 3 milhões em medidas de prevenção e controle ambiental. Sediada em Arapongas (no distrito de Aricanduva – Rodovia BR-369), com uma unidade industrial no Centro-Oeste (Rodovia BR-163, Km 116, Rondonópolis, MT), a empresa também possui estação de tratamento de efluentes que passam por tratamento físico-químico e biológico e são monitorados por medições periódicas. Já os efluentes não passíveis de tratamento são enviados para empresas licenciadas pelos órgãos ambientais e incinerados.

As embalagens dos produtos são todas certificadas pelo Inmetro ou órgãos por ele credenciados. Quanto às embalagens vazias, a Nortox é associada ao Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias, fundado por fabricantes de defensivos agrícolas e por entidades privadas representativas dos elos da cadeira produtiva agrícola. A empresa também mantém em Arapongas, próximo à fábrica, uma reserva de espécies nativas em uma área de 81 hectares.

O projeto também conta com o apoio da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sema), do Instituto Ambiental do Paraná (IAP) e do Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater).
 
O EVENTO

Lançamento do Projeto Olho D’Água
Data: 24/11/09, terça-feira
Horário: 14 horas
Local de saída: Sede da Cocari
Endereço: Rua Lord Lovat, 420 – Jardim Esplanada – Mandaguari (PR)

Agrolink

Notícias Relacionadas

02/09/14 » Soja dos EUA atinge 72% de lavouras em “boas ou excelentes condições”
02/09/14 » Sobe percentual de milho em boas ou excelentes condições nos EUA
02/09/14 » Balanço da Expoalimentaria 2014 é considerado positivo
02/09/14 » RS, SC e PR criam aliança para tonar Sul principal produtor de leite do país
02/09/14 » Ministro Miguel Rossetto visita agricultores familiares na 37ª Expointer

Comentários

Comente esse conteúdo preenchendo o formulário abaixo e clicando em enviar






- Opiniões expressas nesse ambiente são de exclusiva responsabilidade do autor e não necessariamente representam o posicionamento do Portal Agrolink.

Até o momento não houve nenhum comentário para esse conteúdo.