Correção do solo: Apuração com eficácia, tratamento preciso

Visitas: 2744

Correção do solo: Apuração com eficácia, tratamento preciso
04/05/12 - 17:23 
O solo atual da região de Carazinho está gradualmente em mudança em função do uso contínuo do sistema Plantio Direto


Buscando agregar níveis mais altos de rentabilidade nas lavouras, a partir do retorno do aumento na produtividade os agricultores priorizam um planejamento da lavoura, pensando em todos os aspectos que formam uma sua produção. Sejam eles através de melhoramento do solo e sementes, otimizando os produtos e os custos empregados.

Conhecendo que um dos princípios para se produzir mais é investir e melhorar a qualidade da base, isto é, a nutrição do solo é de fundamental importância para se projetar altos índices. “Os produtores que não realizarem análises do solo, todo o ano, terão como conseqüências quebras de produtividade”, analisa o Técnico em Agropecuária, Jaime Herbert.

O solo atual da região está gradualmente em mudança em função do uso contínuo do sistema Plantio Direto, em que não há revolvimento do solo por aração, gradagem ou escarificação. “Em conseqüência da aplicação de fertilizantes e o corretivo calcário aplicado na superfície, tem se notado que estão se formando gradientes de teores bem distintos nos primeiros cinco centímetros, são muito mais concentrados em nutrientes do que a camada subsuperficial. A compactação do solo proporciona o fluxo de água ascendente e descendente. Isso está criando uma situação que por vezes é crítica especialmente num ano de seca, onde o fluxo ascendente de água fica um tanto reduzido e como a parte superficial vai secando acaba faltando água para as plantas”, pondera o Engenheiro Agrônomo e pesquisador da Embrapa Trigo, Círio Wiethölter comentando da situação do solo da região Planalto, quando se encontra aqui, gradientes químicos de teores uma questão de compactação subsuperficial.

Decisões X benefícios
As decisões implantadas nas propriedades rurais, se bem empregadas, trazem por sua vez, visíveis benefícios. Para que as atitudes apresentem eficácia, estas devem, sempre que possível ser baseadas em informações. “Esta decisão precisa ser informada. Porque hoje em dia os custos de produção são fundamentais no lucro da lavoura, cada vez mais é importante usar práticas que realmente tenham expressão nos resultados na lavoura”, explica Círio.

Para que os produtos sejam aplicados a partir das informações obtidas, é necessário que estas sejam coletadas de uma forma fiel. As ferramentas que dispomos para sabermos da demanda de aplicação de produtos no solo, a partir de suas deficiências, são obtidas através da análise de solo.

A análise do solo é uma ferramenta que tem implicações econômicas relevantes, porque se o solo é deficiente não há como produzir se não se corrige esta deficiência, ou seja, é necessária adubação ou calagem. No entanto, tanto se a acidez já não é problema, nem o teor de nutrientes como fósforo e potássio, a adubação não necessita ser na quantidade que será necessário se o solo fosse deficiente. Então a análise de solo possui muitas implicações práticas e econômicas.

A formas de coleta de solo distinguem-se entre métodos antigos e recentes. Nos moldes tradicionais a análise é realizada a partir de cortes verticais no solo, com a utilização de pás, quando em um hectare, é coletado cerca de 20 amostras, e destas separadas 1kg, enviado para o laboratório.

Atualmente, através da agricultura de precisão, é realizada coleta localizada de amostras, utiliza-se da informação obtida através desta coleta para fazer a aplicação em função da deficiência do solo, e da demanda da planta. Este é um refinamento do que se fazia convencionalmente. Na agricultura de precisão, as empresas procuram amostrar com um maior número de amostras pela mesma gleba para fazer uma recomendação mais específica e localizada.

Após diagnosticada a necessidade de correção do solo, é realizada através de produtos como calcário agrícola para corrigir a acidez, e os outros nutrientes através de fórmulas, ou na forma simples, nos fertilizantes.

Fertilidade da terra
A principal finalidade de uma análise de solo é verificar a condição de fertilidade das terras, indicando a disponibilidade de alguns dos principais nutrientes para as culturas, como base de uma recomendação racional e econômica de corretivos e adubos. Os fatores de êxito no emprego de análise de solos são, entre outros, a forma química mais significativa dos nutrientes do solo; Extratores mais adequados para quantificar a disponibilidade desses nutrientes; Capacidade produtiva dos solos para as várias culturas; As respostas diferenciais às doses a modos de aplicação dos adubos.

A correção do solo deve ser feita com base na análise do solo, que através da identificação de Ph abaixo de 6, há uma indicação técnica que se faça a correção desta acidez no sentido de elevar o número.

Deve-se isso, ao fato da importância de o produtor realizar esta correção, utilizando calcários para esta recuperação. “Hoje, utilizamos dois calcários na correção desse Ph que neutraliza muito a produção de soja, milho, trigo e outras culturas de inverno. Utilizamos calcário monolítico e o calcário calcítico. O calcítico tem uma ação mais rápida, é possui uma correção em menos tempo. O monolítico possui uma demora de ação maior”, explica o técnico Jaime.

O calcário calcítico indicado pelo técnico em agropecuária possui um valor de R$20 a R$30 mais caro por tonelada do que o monolítico, resultando na faixa de R$110 a R$120 por tonelada. O monolítico estaria na faixa de R$105, já espalhado na lavoura.

Página gerada em: 22/11/2014 21:34:21 - (5 min)

Notícias relacionadas

21/11/14 » Coopercam recebe visita da Syngenta
21/11/14 » Últimos dias para inscrição no 2º Fórum de Agricultura da América do Sul
21/11/14 » Suinocultura volta a ter rentabilidade no Paraná
21/11/14 » Receita muda estratégia e pequenas empresas devem ficar mais atentas
21/11/14 » Não se pode brincar com a inflação, alerta economista da XP Investimentos

Comentários

Comente esse conteúdo preenchendo o formulário abaixo e clicando em enviar






- Opiniões expressas nesse ambiente são de exclusiva responsabilidade do autor e não necessariamente representam o posicionamento do Portal Agrolink.

Até o momento não houve nenhum comentário para esse conteúdo.