24/10
CBOT
BM&F

Soja
US$ 9,77 (NOV14)
R$ 22 (MAI15)

Milho
US$ 3,51 (DEZ14)
R$ 26,64 (NOV14)


20000 24/10/2014 12:35:21

GSI inova com lâmpadas LED para aviários

Visitas: 1332

GSI inova com lâmpadas LED para aviários
28/05/13 - 18:52 
Produto deixa avicultor adaptado à nova legislação

Hoje, todo o empresário, independente da área, tem de aliar em seus negócios bons níveis de produtividade e lucratividade à redução de custos no processo produtivo e a equipamentos e ações ecologicamente corretas. Pensando nisso, a GSI Agromarau lançou, recentemente, as lâmpadas LED, para aviários, que atendem aos requisitos da Portaria Interministerial 1.007, de 31 de dezembro de 2010.

A portaria fixa, para todo o Brasil, índices mínimos de eficiência luminosa para as lâmpadas incandescentes comuns. Apesar de ser de 2010, a portaria estabelece prazos para as adaptações. Um deles está bem perto: a partir de 30 de junho deste ano, o comércio varejista está proibido de vender lâmpadas incandescentes comuns acima de 101 watts.

Um dos setores afetados diretamente pelas mudanças é a avicultura, que depende de iluminação para a criação e bem-estar dos animais. Com as lâmpadas LED GSI Agromarau, projetadas especialmente para a aplicação agropecuária, o produtor tem um equipamento de longa vida e baixíssimo consumo. Ele sai ganhando em economia, resistência e alta produtividade para aviários, especialmente o modelo Dark House.

As lâmpadas são totalmente protegidas contra poeira, umidade e amônia. Considerando a utilização severa, com dimmer (sistema que possibilita controlar a intensidade da iluminação), uma lâmpada LED dura aproximadamente 30 vezes mais que uma lâmpada incandescente. Ela gera uma economia de energia superior a 90%. Isso significa que, se hoje, do consumo total de energia de uma instalação avícola, as lâmpadas incandescentes representam 30%, com as LEDs esse percentual cai para apenas 3%.

“As lâmpadas LED são muito mais eficientes que as incandescentes. Para termos uma ideia, a LED tem uma vida útil superior a 30 mil horas, enquanto a incandescente dura, em média, mil horas”, diz Marcos Dal Moro, do setor de Engenharia de Produtos Automação da GSI Agromarau.
Benefícios ao meio ambiente – Com a Portaria Interministerial 1.007, o Brasil segue o modelo de países como Argentina, Cuba, Austrália e Nova Zelândia. Aqui, o programa deve ser concluído em junho de 2017. Até essa data, todas as lâmpadas incandescentes devem ter sido substituídas por lâmpadas fluorescentes compactas, lâmpadas halógenas e lâmpadas LED.

Além de representar economia para o consumidor, a troca faz bem para o meio ambiente: as lâmpadas incandescentes produzem apenas 5% de luz e 95% de calor. Com o uso de outros tipos de lâmpada, diminuem a produção de calor e de CO2 (gás carbônico) e, portanto, o efeito estufa é minimizado.

Agrolink com informações de assessoria
Página gerada em: 25/10/2014 00:44:00 - (5 min)

Comentários

Comente esse conteúdo preenchendo o formulário abaixo e clicando em enviar






- Opiniões expressas nesse ambiente são de exclusiva responsabilidade do autor e não necessariamente representam o posicionamento do Portal Agrolink.

Até o momento não houve nenhum comentário para esse conteúdo.