RS dá mais um passo para retirar vacinação
CI
Imagem: Eliza Maliszewski
FEBRE AFTOSA

RS dá mais um passo para retirar vacinação

Projeto piloto do Programa Sentinela será lançado nesta quinta-feira em Jaguarão
Por:

O projeto piloto do Programa de Vigilância Sanitária Animal de Fronteira – Sentinela, da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), será lançado nesta quinta-feira (18), em Jaguarão. Ele é fruto da integração entre os órgãos e instituições de Defesa, Segurança e Sanidade Agropecuária em prol de ações para mitigação de risco sanitário e combate ao abigeato.

"O Programa Sentinela vem para reforçar as barreiras de fiscalização na região de fronteira e preparar o Estado para a mudança de status sanitário para zona livre de aftosa sem vacinação", ressalta o secretário Covatti Filho.

Este piloto, que vai ocorrer entre 18 e 24 de junho, vai monitorar a fronteira entre o Chuí e Dom Pedrito, abrangendo 10 municípios e uma área de 250 quilômetros, sendo Jaguarão a sede. A cidade fica no extremo sul do Rio Grande do Sul, na fronteira com o Uruguai. No total do programa vão ser disponibilizados 36 profissionais divididos em 12 equipes. Em cada bloco, 3 equipes realizarão revezamentos. Para o piloto, duas equipes irão atuar ao mesmo tempo, para levantar as demandas que serão necessárias para quando da inauguração do Programa em efetivo.

O programa Sentinela

O programa tem área de abrangência de 1.200 quilômetros de faixa de fronteira, envolvendo 59 municípios nas fronteiras com Uruguai e Argentina, com 64.842 propriedades rurais e rebanho de 4,4 milhões de cabeças. A metodologia de trabalho prevê a distribuição das equipes e o gerenciamento das atividades em quatro blocos: Jaguarão, Santana do Livramento, São Borja e Santa Rosa.

O Programa conta com 12 equipes de 3 servidores, envolvendo 24 médicos veterinários e 12 técnicos agrícolas. Utilizou-se de recursos de inteligência como análises de risco e análises de rede das movimentações animais na região de fronteira, numa faixa que vai desde o Chuí até Derrubadas. A equipe está dividida em 4 blocos (veja mapa), com cada equipe trabalhando 8 dias consecutivos em sequência. 

O trabalho de inteligência com a utilização de ferramentas como análise de rede de movimentação animal, realizada em parceria com a Universidade Estadual da Carolina do Norte e patrocinada pelo Fundesa, permite que com uma equipe reduzida se possa apresentar um trabalho de fiscalização que otimiza os recursos e presta um serviço de defesa sanitária animal eficiente, através da escolha de propriedades chaves e rotas preferenciais.

Comitês gestor e técnico executivo serão constituídos para a gestão do programa, que vai racionalizar ações de mitigação de risco e recursos disponíveis, para coibir atividades irregulares e ilícitas que possam representar ameaça à condição sanitária do Estado. A difusão de informação qualificada aos envolvidos e interessados deverá ajudar na consolidação de uma cultura de prevenção e biossegurança nas transações com animais na região.

A operacionalização se dará por meio de convênios entre a Seapdr e outras pastas e órgãos da administração do Estado e do governo federal.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink