Fungicida

Caso Mertin 400: Syngenta “condena o uso irregular de suas tecnologias”

Arrozeiros estariam aplicando o produto em lavoura irrigada

A Syngenta divulgou sua posição a respeito da decisão do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, que determinou a restrição da venda do fungicida Mertin 400 (Hidróxido de Fentina) no estado. O magistrado estipulou em R$ 1 milhão ao mês a multa em caso de comprovação do uso do agroquímico em lavouras de arroz irrigado, bem como o recolhimento do produto vendido em 60 dias. Arrozeiros estariam aplicando o produto em lavoura irrigada, descumprindo as recomendações da bula do agroquímico.

Confira a nota na íntegra:

“A Syngenta esclarece que o Mertin 400 é um fungicida registrado para o controle de doenças nas culturas de feijão e algodão, como consta expressamente na bula do produto. A empresa não se manifestará com relação à ação judicial, uma vez que ainda não foi formalmente notificada. A Syngenta reforça que segue os mais altos padrões de ética e segurança, que cumpre todas as normas com relação à produção e comercialização de seus produtos e que condena o uso irregular de suas tecnologias. Além disso, afirma que atua diretamente em prol das boas práticas agrícolas a fim de promover uma agricultura sustentável.”

Saiba mais: Justiça do RS proíbe venda do fungicida Mertin 400

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos