Glifosato: Ministério da Saúde comprometeu sua confiabilidade

Glifosato

Glifosato: Ministério da Saúde comprometeu sua confiabilidade

"Deveria ter apresentado uma visão imparcial e atualizada", diz João Camargo sobre polêmico Atlas
Por: -Leonardo Gottems
449 acessos

“Uma publicação do Ministério da Saúde deveria ter apresentado uma visão imparcial e atualizada da questão para não comprometer sua confiabilidade”. A afirmação é de professor Doutor em Patologia João Lauro Viana de Camargo, ao comentar sobre o “Atlas do Câncer Relacionado ao Trabalho no Brasil”, que publicado recentemente e citando o glifosato como “cancerígeno”.

“Há muito mérito na iniciativa de publicar um Atlas como aquele, uma fonte técnica potencialmente acessível e útil para estudantes, pesquisadores e gestores de políticas públicas. No entanto, especificamente na parte sobre Agrotóxicos (páginas 64 a 67), que é o que nos interessa, não houve uma apresentação completa e cientificamente isenta da questão do glifosato”, aponta Camargo. 

“Há consenso global e oficial de que o glifosato não apresenta potencial cancerígeno para animais de experimentação e para o homem, e isso foi omitido no Atlas”, sustenta o especialista, que integra a lista de especialistas do Joint Meeting of Pesticides (JMPR) da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO/OMS).

Além de Camargo, o Portal Ciência e Tecnologia Agro (C&T AGRO) também apontou que o Ministério da Saúde divulgou informações incorretas sobre defensivos agrícolas. “O Atlas chama atenção, no que diz respeito aos pesticidas, pelos erros e divergências nas informações, quando comparados às informações de outros órgãos de governo, responsáveis pelas avaliações e registros desses produtos (Anvisa, Ibama e Ministério da Agricultura)”, afirmou o C&T AGRO, que é resultado de uma iniciativa de profissionais da área regulatória de produtos fitossanitários, sementes e outros insumos, vinculados tanto ao setor público quanto privado.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink