Grupo questiona acusações de produtor

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o nosso site e as páginas que visita. Tudo para tornar sua experiência a mais agradável possível. Leia os Termos de Uso e a Termos de Privacidade.


CI
Imagem: Divulgação
RESPOSTA

Grupo questiona acusações de produtor

Caso teria envolvido perdas em uma lavoura no Mato Grosso e está na justiça
Por: -Eliza Maliszewski

Na última terça-feira (11) o Portal Agrolink publicou uma notícia que dá conta de uma ação judicial movida pelo produtor rural Alexandre Augustin, proprietário da Fazenda Santa Alice, localizada na região de Alto Garças (MT), que acusa a antiga Sementes Adriana de ter causado perdas em 400 hectares de sua lavoura de algodão com o uso indevido do herbicida 2,4-D. A aplicação teria sido feita em uma lavoura de soja vizinha à propriedade.

VEJA: Produtor diz que perdeu 400 hectares por 2,4-D

Em direito de resposta a ATTO Agrícola, proprietária da área, enviou uma nota sobre o assunto onde esclarece alguns fatos. A nota segue, na íntegra, abaixo:

"A ATTO AGRÍCOLA, antiga Sementes Adriana, vem a público repudiar as acusações feitas pelo sr. Alexandre Augustin (e Esposa - em recuperação judicial) de que teria causado prejuízo a suas lavouras por uso inadequado de agroquímicos.

Nossos valores morais não nos permitiriam dar prejuízos a alguém e não assumir, são mais de 40 anos cumprindo rigorosamente nossos compromissos.

A fazenda Santa Alice do sr. Alexandre está localizada a mais de 6 (seis) quilômetros de onde houve pulverização na lavoura da ATTO, existindo entre as áreas outras propriedades, inclusive com algodão e um rio com matas ciliares, sendo que não se observa fitotoxidez em plantas localizadas fora das lavouras do sr. Alexandre. 

A imputação feita pelo sr. Alexandre, de que foram as aplicações do herbicida, utilizados na área da Atto, que lhe causaram prejuízos, são impossíveis tecnicamente de acordo com a distância, forma de aplicação, horário e situação meteorológica no momento da aplicação.

Tais fatos serão comprovados no judiciário, oportuno tempo, e com a tomada de todas as medidas cabíveis. Inclusive a responsabilização por alegações infundadas". 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink