CI

Queda nos preços favorece o greening

Para conter o greening, Gilberto Tozatti destaca a importância do monitoramento


“Desde que o greening surgiu, há vinte anos, fomos aprendendo com a doença" “Desde que o greening surgiu, há vinte anos, fomos aprendendo com a doença" - Foto: Canva

A queda dos preços da laranja tem impulsionado o avanço do greening em São Paulo e Minas Gerais, desmotivando os produtores a investir em seu controle e levando ao abandono de pomares. Isso resultou em um aumento na população do inseto vetor da doença. 

Estima-se que mais de 50% dos pomares serão afetados nesta safra. O engenheiro agrônomo, entomologista e consultor Gilberto Tozatti, da Tozatti Citrus Consulting e outros especialistas desenvolveram um modelo matemático para prever a redução na área plantada e na produção de laranja, fornecendo informações cruciais para investimentos na cadeia citrícola.

Para Gilberto Tozatti, apesar do registro de danos severos aos pomares nos últimos anos, ante a incidência crescente do greening no cinturão citrícola, a doença não inviabilizará a citricultura nessas regiões no médio e longo prazos. “Havia um certo receio em setores da cadeia produtiva quanto a discutir a convivência com a doença, mas na prática isso já acontece, sobretudo nas áreas mais afetadas pela contaminação. Controlar o vetor do greening, manejá-lo corretamente, tornou-se importantíssimo para evitar reinfecções e aumento dos sintomas”, observa Tozatti.

“Desde que o greening surgiu, há vinte anos, fomos aprendendo com a doença. Temos hoje várias ferramentas que podem proteger a citricultura”, reforça ele.

Para conter o greening, Gilberto Tozatti destaca a importância do monitoramento eficaz do psilídeo-dos-citros, principalmente em brotos jovens, onde o inseto deposita seus ovos. Ele enfatiza a necessidade de concentrar esforços nessa área e, se necessário, aplicar inseticidas no pomar. Recomenda o uso de agroquímicos em sistema de rotação para evitar resistência do inseto. Tozatti também ressalta a importância de aplicar inseticidas de forma adequada, visando quebrar o ciclo do psilídeo e impedir sua multiplicação. O custo com inseticidas para o manejo do psilídeo-dos-citros representa cerca de 13% do custo total de produção de citros por safra.
 

Assine a nossa newsletter e receba nossas notícias e informações direto no seu email

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.