O conteúdo solicitado não foi encontrado

Broca da cana

Broca de rizomas, migdolus (Migdolus fryanus)

Culturas Afetadas: Cana-de-açúcar, Cana-de-açúcar (logo após plantio), Cana-de-açúcar (Planta), Cana-de-açúcar (Plantio), Cana-de-açúcar (Soca)

Os migdolus vêm causando grandes prejuízos a diversas culturas, principalmente cana-de-açúcar e amora. A maior dificuldade é o controle, pois suas larvas podem ser encontradas até 4 metros de profundidade no solo. Podem ainda ocorrer em outras espécies de importância econômica, como café, eucalipto, feijão, mandioca, videira e pastagens.

Danos: As larvas do besouro destroem o sistema radicular das  plantas atacadas, perfurando-os em todos os sentidos e alimentando-se dele. Em cana-de-açúcar, atacam o rizoma, podendo destruí-lo totalmente. Em canas jovens, as touceiras aparecem parcial ou totalmente secas e as falhas podem ser numerosas. Em canas mais velhas, as touceiras atacadas apresentam aspectos e canas afetadas por seca ou fogo. Os efeitos são mais evidentes durante os períodos em que as plantas estão sujeitas a déficit hídrico, quando é possível encontrar números elevados de larvas junto às touceiras atacadas. Os adultos também podem fazer orifícios nos toletes. Os danos ao canavial são irreparáveis: de queda da produtividade à perda da plantação.

Controle: O controle do besouro é difícil e trabalhoso. Isso se deve ao fato de, aliado ao desconhecimento do seu ciclo biológico, o que impossibilita antever com exatidão o seu aparecimento em uma determinada área, a larva e mesmo os adultos passarem uma etapa da vida em grandes profundidades no solo (2 a 5 metros), o que proporciona a esse inseto uma substancial proteção às medidas tradicionais de combate.

Apesar do modo de vida pouco peculiar desse inseto, o mesmo apresenta algumas características biológicas favoráveis ao agricultor, as quais devem ser exploradas no sentido de aumentar a eficiência do controle. Entre essas características merecem destaque as seguintes:

- a baixa capacidade reprodutiva (cerca de 30 ovos por fêmea);

- a fragilidade das larvas no que se refere a qualquer interferência mecânica no seu habitat;

- o curto período de sobrevivência dos machos (1 a 4 dias);

- a ausência de asas funcionais nas fêmeas, o que restringe, sobremaneira, a disseminação.

O controle integrado do besouro Migdolus fryanus consiste no emprego concomitante de três métodos:

a) Mecânico: o controle mecânico esta vinculado à destruição do canavial atacado e, nesse aspecto, devem ser considerados a época de execução do trabalho e os implementos utilizados;

b) Químico: o método mais simples e pratico de controle é o químico aplicado no sulco de plantio. Essa forma de aplicação de inseticidas tem revelado resultados promissores no combate a essa praga;

c) Cultural: consiste no uso de armadilhas com feromônio sintético, as quais capturam e matam os machos do besouro. Além do efeito de controle dessas armadilhas, deve-se ressaltar também a possibilidade de monitorar um grande número de fazendas, o que proporcionará, em breve, antever ataque de larvas nas raizes.

Fotos

Deslize o dedo na tabela abaixo para movê-la horizontalmente
Mostrando 1 até 12 de 25