O conteúdo solicitado não foi encontrado

Cercosporiose

(Pseudocercospora purpurea)

Culturas Afetadas: Abacate

Sinônimo: Cercospora purpurea

Este fungo causa perdas econômicas significativas em cultivos de abacate na América Latina e Estados Unidos. A cercosporiose do abacateiro também pode estar associada ao fungo

Cercospora perseae, apresentando sintomas parecidos.

Danos: Os frutos infectados apresentam pequenas lesões com 3 a 6mm de diâmetro, coloração marrom, ligeiramente deprimidas e com bordos definidos. Pontos de coloração acinzentada ocorrem no centro das lesões, formados pela esporulação do fungo, quando em condições de alta umidade. Com o envelhecimento das lesões, estas causam fissuras na casca do fruto servindo de porta de entrada para outros patógenos. Em condições severas, a doença causa a queda prematura dos frutos, em conseqüência da infecção do pedicelo que é caracterizada por lesões deprimidas, circulares, de coloração pardo-escura a negra, que podem envolver o pedicelo. Nas folhas, P. purpurea causa lesões angulares de 1 a 3 mm de diâmetro, de coloração marrom ou cinza, com halo clorótico visível nas duas faces da folha. Estas manchas podem coalescer, e como o tecido necrosado no centro das lesões tendem a cair, facilita o rasgamento do limbo da folha.

Controle: O principal método de controle a ser adotado é a utilização de variedades resistentes, pois, devido ao porte das plantas, o controle químico torna-se complicado. O uso de fungicidas cúpricos e ditiocarbamatos pode ser feito quando a doença ocorre após a queda das folhas, pouco antes da florada do abacateiro e logo após a queda de 2/3 das pétalas. Em viveiros e sementeiras, as folhas infectadas devem ser removidas periodicamente.

Fotos

Deslize o dedo na tabela abaixo para movê-la horizontalmente