Pinta preta grande ou Mancha de alternaria (Alternaria solani)

Pinta preta grande

Mancha de alternaria (Alternaria solani)

Culturas Afetadas: Batata, Batata Dessecação, Berinjela, Cebola, Crisântemo , Jiló, Lisianthus, Pimenta, Pimentão, Rosa, Todas as culturas com ocorrência do alvo biológico, Tomate, Tomate envarado

A doença é encontrada em todas as regiões produtoras de batata e, junto com a requeima, é uma das principais doenças das culturas de batata e tomate. Sua incidência é maior nos períodos de verão, com temperatura e umidade elevadas. Recebe também as denominações de “crestamento alternário”, “queima”. “queima das folhas” e “crestamento precoce”.

Danos: O Fungo ataca toda a parte aérea da planta, pecíolos e caule. Os sintomas iniciam-se normalmente nas folhas mais baixas e velhas da planta, onde surgem pequenas manchas (de 1 a 2 mm) escuras. Posteriormente, estas crescem, adquirindo um formato ovóide, delimitado pelas nervuras da folha, de coloração escura e com zonas concêntricas características. O tecido entre e ao redor das lesões apresenta¬se normalmente clorótico. O aumento da intensidade da doença no campo ocorre tanto pelo surgimento de lesões novas como pela expansão das mais velhas, que podem coalescer, atingindo uma área considerável da folha. Nos pecíolos e caules os sintomas são semelhantes. Maior número de lesões pode surgir em plantas com deficiência nutricional, principalmente de magnésio, e com infecções de viroses, como o vírus do enrolamento da folha. Em tubérculos, as lesões são escuras, de formato circular a irregular, deprimidas, tendendo a provocar podridão seca. A infecção nestes normalmente ocorre através de ferimentos, mas no Brasil esta ocorrência é rara.

Controle: As medidas de controle para a pinta preta são bem semelhantes às recomendadas para a requeima, pois ambas ocorrem muitas vezes simultaneamente. É importante ressaltar que a boa nutrição das plantas e a sanidade da batata-semente são fundamentais para o controle eficaz da doença. Cultivares nacionais como Aracy e Contenda têm resistência intermediária à pinta preta, mas ainda não dispensam o uso de fungicidas.

Com exceção do metalaxyl e cymoxamil, específicos para controle de oomicetos, todos os fungicidas citados para o controle da requeima também são recomendados para a pinta preta. Deve-se ainda acrescentar iprodione e tebuconazole, que controlam somente a pinta preta, não tendo efeito sobre o agente da requeima.

Deslize o dedo na tabela abaixo para movê-la horizontalmente
Mostrando 1 até 12 de 192