Bula Actara 10 GR

acessos
Thiamethoxam
3200
Syngenta

Composição

Thiamethoxam 10 g/kg Neonicotinoide

Classificação

Inseticida
III - Medianamente tóxico
III - Produto perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Granulado (GR)
Sistêmico
Abacaxi Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Cochonilha do abacaxi
(Dysmicoccus brevipes)
10 a 15 kg p.c./ha - - - 60 dias. Aplicar em sulcos nos dois lados, próximo à base das plantas, ao longo das linhas de plantio, utilizando aplicador de granulado manual ou granuladeira acoplada ao trator no sulco de plantio, cobrindo imediatamente o produto com terra
Arroz Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Bicheira da raiz do arroz
(Oryzophagus oryzae)
10 a 15 kg p.c./ha - - - 21 dias. Aplicar a lanço,15 dias após inundar a área
Batata Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Larva arame
(Conoderus scalaris)
20 kg p.c./ha - - - 89 dias. Aplicação no solo, imediatamente antes da amontoa utilizando aplicador de granulado manual ou granuladeira acoplada ao trator, distribuindo o produto ao lado das fileiras de plantas, cobrindo imediatamente com terra
Pulgão verde
(Myzus persicae)
15 kg p.c./ha - - - 89 dias. Fazer a aplicação no sulco de plantio utilizando aplicador de granulado manual ou granuladeira acoplada ao trator no sulco do plantio, cobrindo imediatamente o produto com terra
Vaquinha verde amarela
(Diabrotica speciosa)
15 a 20 kg p.c./ha - - - 89 dias. Para o adulto, fazer a aplicação no sulco de plantio utilizando aplicador de granulado manual ou granuladeira acoplada ao trator no sulco do plantio, cobrindo imediatamente o produto com terra. Evitar que o produto entre em contato direto com as gemas dos tubérculos sementes. Para a larva, aplicação no solo, imediatamente antes da amontoa utilizando aplicador de granulado manual ou granuladeira acoplada ao trator, distribuindo o produto ao lado das fileiras de plantas, cobrindo imediatamente com terra
Café Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Bicho mineiro
(Leucoptera coffeella)
25 a 50 kg p.c./ha - - - 90 dias. Aplicar 25 kg/ha após a floração principal e mais 25 kg/ha no inicio do desenvolvimento dos frutos (“chumbinho”) ou 30 a 50 kg/ha em única aplicação no inicio do desenvolvimento dos frutos (“chumbinho”). Aplicar sempre com boa umidade no solo
Cigarra
(Quesada gigas)
25 a 50 kg p.c./ha - - - 90 dias. Aplicar 25 kg/ha após a floração principal e mais 25 kg/ha no inicio do desenvolvimento dos frutos (“chumbinho”) ou 30 a 50 kg/ha em única aplicação no inicio do desenvolvimento dos frutos (“chumbinho”). Aplicar sempre com boa umidade no solo
Mosca das raízes
(Chiromyza vittata)
35 kg p.c./ha - - - 90 dias. Aplicar 25 kg/ha após a floração principal e mais 25 kg/ha no inicio do desenvolvimento dos frutos (“chumbinho”) ou 30 a 50 kg/ha em única aplicação no inicio do desenvolvimento dos frutos (“chumbinho”). Aplicar sempre com boa umidade no solo
Cana-de-açúcar Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Cigarrinha das raízes
(Mahanarva fimbriolata)
20 a 25 kg p.c./ha - - - Intervalo de segurança não determinado, devido à modalidade de emprego. Aplicação em sulco, em ambos os lados da fileira de plantas
Citros Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Cigarrinha
(Oncometopia facialis)
75 g p.c. / planta - - - 14 dias. Aplicação em sulco, em ambos os lados da fileira de plantas, sob a projeção da copa
Cochonilha pardinha
(Selenaspidus articulatus)
75 g p.c. / planta - - - 14 dias. Aplicação em sulco, em ambos os lados da fileira de plantas, sob a projeção da copa
Psilideo
(Diaphorina citri)
75 g p.c. / planta - - - 14 dias. Aplicação em sulco, em ambos os lados da fileira de plantas, sob a projeção da copa
Maçã Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Cochonilha escama marisco
(Lepidosaphes ulmi)
40 a 50 kg p.c./ha - - - 60 dias. Em sulco, num raio de 50 cm, ao redor das plantas
Pulgão lanígero das rosáceas
(Eriosoma lanigerum)
40 a 50 kg p.c./ha - - - 60 dias. Em sulco, num raio de 50 cm, ao redor das plantas
Pêssego Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Pulgão verde
(Myzus persicae)
35 a 40 kg p.c./ha - - - 45 dias. Em sulco, num raio de 50 cm, ao redor das plantas
Urucum Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Cochonilha pérola da terra
(Eurhizococcus brasiliensis)
7 a 40 g p.c. / planta - - - 45 dias. Para plantas até 1 ano de idade: aplicar em sulco ao redor das plantas 7 g/planta em aplicação parcelada, sendo a primeira em novembro e a segunda em janeiro ou 14 g/planta Aplicação única em novembro. Para plantas de dois anos ou mais: aplicar em sulco ao redor das plantas 15 g/planta em aplicação parcelada, sendo a primeira em novembro e a segunda em janeiro ou 40 g/planta Aplicação única em novembro

Frasco plástico 100 e 500g; 1, 5, 10, 20 e 50 Kg; Saco -fibra de papel: 0,5, 1, 2, 3, 4, 5, 10, 20, 25, 50, 100, 200, 250 e 500Kg; Fibralata de papel kraft0,5, 1, 2, 3, 4, 5, 10, 20, 25,30, 40 e 50 Kg; Barrica de papel kraft: 1,2,3,4,5,10,20,25,30,40,50 Kg; Balde polietileno de alta densidade: 1,2,3,4,5,10,20,25, 30, 40,50 Kg; Balde de ferro: 1,2,3,4,5,10,20,25,30,40,50 Kg; Saco multifolhado com saco interno: 0,5,1,2, 3, 4,5,10,20,25,30,40,50 Kg; Saco plástico polietileno: 0,1,0,5,1,2,3,4,5,10,20,25,30,40,50,100,200,250, 500Kg; Saco de nylon +polietileno:0,5,1,2,3,4,5,10,20,25,30,40,50Kg.

INSTRUÇÕES DE USO:

“O ACTARA 10 GR na dose recomendada apresenta efeito bioativador melhorando o desenvolvimento das plantas (velocidade de brotação, sistema radicular, parte aérea). Por estes motivos, as plantas poderão resistir melhor as adversidades climáticas, mantendo o seu potencial produtivo".

MODALIDADE DE APLICAÇÃO:
BATATA: Aplicação no sulco de plantio : 15 kg/ha. Aplicação no solo, imediatamente antes da amontoa : 20 kg/ha..

CAFÉ: Aplicar 25 kg/ha após a floração principal + 25 kg/ha no início do desenvolvimento dos frutos ("chumbinho"); ou 30 a 50 kg/ha em única aplicação no início do desenvolvimento dos frutos ("chumbinho"). Aplicar sempre com boa umidade no solo.

CANA-DE-AÇÚCAR: Aplicação em sulco, em ambos os lados da fileira de plantas.

CITROS: Aplicação em sulco em ambos os lados da fileira da plantas, sob a projeção da copa.

ABACAXI: Aplicar em sulcos nos dois lados, próximo à base das plantas, ao longo das linhas de plantio.

ARROZ: Aplicar a lanço, 15 dias após inundar a área.

MAÇÃ: Em sulco, num raio de 50 cm, ao redor das plantas.

PÊSSEGO: Em sulco, ao redor das plantas, num raio de 50 cm.

UVA: Plantas até 1 ano de idade. Aplicar em sulco ao redor das plantas. Plantas de 2 anos ou mais. Aplicar em sulco ao redor das plantas.

MODO/EQUIPAMENTO DE APLICAÇÃO: A dose maior deverá ser usada quando:
- Houver um histórico de altas infestações na área;
- Se desejar um controle residual mais prolongado;
- Se tratar de solos pesados (argilosos);
- Houver presença da praga, em populações altas, em culturas vizinhas;
- Se tratar de cultivares suscetíveis a viroses.

Abacaxi: aplicação no sulco de plantio: utilizar aplicador de granulado manual ou granuladeira acoplada ao trator no sulco de plantio, cobrindo imediatamente o produto com terra.

Batata: aplicação no sulco de plantio: Utilizar aplicador de granulado manual ou granuladeira acoplada ao trator no sulco do plantio, cobrindo imediatamente o produto com terra. Evitar que o produto entre em contato direto com as gemas dos tubérculos sementes. Aplicação na amontoa: Utilizar aplicador de granulado manual ou granuladeira acoplada ao trator, distribuindo o produto ao lado das fileiras de plantas, cobrindo imediatamente com terra.

Café: Aplicar 25 kg/ha na época da floração principal + 25 kg/ha no início do desenvolvimento dos frutos ("chumbinho"); ou 30 a 50 kg/ha em única aplicação no início do desenvolvimento dos frutos ("chumbinho"). Cana: Utilizar granuladeira acoplada ao trator, aplicando o produto em ambos os lados da fileira de plantas, a uma profundidade de 5 a 10 cm.

Cana: Utilizar granuladeira acoplada ao trator, aplicando o produto em ambos os lados da fileira de plantas, a uma profundidade de 5 a 10 cm. Aplicar na fase inicial de desenvolvimento da cultura, no aparecimento das primeiras ninfas. Em áreas nas quais, ocorre o ataque da cigarrinha com freqüência, fazer tratamento preventivo. Em ambos os casos, fazer aplicação com boa umidade no solo.

Maçã e Pêssego: A aplicação deverá ser feita em sulcos em forma de anel, com raio aproximado de 50 cm do tronco. Utilizar aplicador de granulado manual. Cobrir o sulco com terra, após a deposição do produto.

Uva: Para plantas até 1 ano de idade, faça duas aplicações parceladas, com 7 g/planta cada, em sulco ao redor das mesmas, sendo a primeira aplicação em novembro e a segunda em janeiro, cobrindo os sulcos, após a aplicação; uma ou mais aplicação única com 14 g/planta, feita em novembro. Para plantas com dois anos de idade ou mais, faça duas aplicações com 15 g/planta, ou uma única aplicação, com 40 g/planta.

INTERVALO DE SEGURANÇA PARA AS CULTURAS INDICADAS (período de tempo que deverá transcorrer entre a última aplicação e a colheita): Abacaxi: 100 dias; Arroz: 78 dias; Café: 90 dias; Cana: 205 dias; Citros: 180 dias; Maçã: 60 dias; Pêssego: e Uva: 45 dias.

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS: (De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela saúde humana- ANVISA/MS)

LIMITAÇÕES DE USO:
Fitotoxicidade para as culturas indicadas: Nas culturas e doses recomendadas não houve qualquer efeito fitotóxico.
Outras restrições a serem observadas: Não foi observado até o momento restrições de uso, dentre as culturas recomendadas. Não deixar o produto entrar em contato direto com as gemas dos tubérculos semente, quando aplicado no sulco de plantio. No manejo do Thiamethoxam na cultura do café, a dose anual do ingrediente ativo não deverá exceder a 600 g de i.a. / ha / ano.

PRECAUÇÕES GERAIS:
Não coma, não beba e não fume durante o manuseio do produto. Não utilize equipamentos com vazamentos. Não desentupa bicos, orifícios e válvulas com a boca. Não distribua o produto com as mãos desprotegidas.

PRECAUÇÕES NO MANUSEIO E APLICAÇÃO:

Uso exclusivamente agrícola. Não coma, não beba e não fume durante o manuseio e a aplicação do produto.
Não transporte o produto juntamente com alimentos, medicamentos, rações, animais e pessoas.
Evite o contato do produto com pele, olhos, nariz e boca. Em caso de acidente VEJA PRIMEIROS SOCORROS.
Durante o manuseio e a aplicação, utilize os seguintes equipamentos de proteção individual: macacão com mangas compridas, chapéu de aba larga, luvas impermeáveis e botas. Não utilizar equipamentos de proteção individual danificados. Se houver contato do produto com os olhos, lave-os imediatamente e VEJA PRIMEIROS SOCORROS.
Caso o produto seja inalado ou aspirado, procure local arejado e VEJA PRIMEIROS SOCORROS.
Evite o contato do produto com a pele. Caso isso aconteça, lave-a imediatamente e VEJA PRIMEIROS SOCORROS.
Evite o máximo possível, o contato com a área de aplicação.
Não aplique o produto contra o vento.
Use equipamentos de proteção individual adequado no descarte das embalagens, como luvas e botas.

PRECAUÇÕES APÓS A APLICAÇÃO:

Não reutilize as embalagens vazias.
Mantenha o restante do produto adequadamente fechado, em local trancado, longe do alcance de crianças e animais.
Guardar longe de alimentos, bebidas e ração animal.
No final do trabalho, tome banho, troque e lave as suas roupas separadamente das roupas normais.
Lavar os equipamentos de proteção individual.
Evite ao máximo o contato com a área já aplicada pelo produto.


PRIMEIROS SOCORROS:

Primeiros socorros em geral: Em caso de indisposição, remova o paciente para um local com ar fresco e proteja-o da friagem.

EM CASO DE SUSPEITA DE INTOXICAÇÃO (se sentir dor de cabeça, náuseas, vômitos, etc):
Chame imediatamente o médico.
Mostre a bula do produto. Procurar imediatamente o médico caso o produto tenha sido inalado, ingerido, aspirado ou tenha entrado em contato com seus olhos e pele.
Se possível ligue para o telefone de emergência mencionado nesta bula.
No caso de contato com os olhos: Lave os olhos com água limpa por vários minutos.
No caso de ingestão: Administrar carvão medicinal repetidamente em grande quantidade de água.
Observação: Nunca dê nada pela boca a uma pessoa inconsciente.
Nunca induza o vômito.
No caso de contato com a pele: Remova a roupa contaminada e lave completamente as partes atingidas do corpo com água e sabão.

EFEITOS COLATERAIS: Por não ser produto de finalidade terapêutica, não há como caracterizar seus efeitos colaterais.

SINTOMAS DE INTOXICAÇÃO: Nos estudos de toxicidade aguda oral e dérmica, realizados em ratos albinos, não houve sinais de intoxicação em nenhum dos animais testados.

ANTÍDOTO E TRATAMENTO (INFORMAÇÕES PARA USO MÉDICO): Não há antídoto específico. Tratamento sintomático em função do quadro clínico. Medidas terapêuticas imediatas para reduzir ou impedir a absorção, neutralizar a ação do produto e intensificar sua eliminação. Não se conhece interações medicamentosas ou contra-indicações no tratamento dos intoxicados com este produto.

MECANISMO DE AÇÃO, ABSORÇÃO E EXCREÇÃO PARA O SER HUMANO:

A norma geral adotada internacionalmente não contempla a realização desses estudos no ser humano. Todavia, estudos efetuados com animais de laboratório possibilitam fornecer as seguintes informações sobre mecanismo de ação, absorção e excreção: O produto administrado oralmente para ratos foi rapidamente e completamente absorvido do trato gastrointestinal para o sistema circulatório. A máxima concentração no sangue foi encontrada de 1 a 4 horas após a administração independente da dose e do sexo dos animais, entretanto o decaimento desta concentração foi também muito rápida atingindo metade dela em 8 horas, independente da dose e do sexo. A via de eliminação do produto é independente da via de administração (oral ou intravenosa), da dose e do sexo dos animais. 70 a 80% da dose administrada é eliminada na forma do composto original, e a principal biotransformação do produto no organismo é a quebra de anel nitroguanidina formando derivado de guanidina. Pode também ocorrer hidrólise com formação de uréia; demetilação do grupo guanidina e substituição de clorina do anel tiazol por glutationa, porém esta via não é representativa. Todo o produto absorvido foi excretado, predominantemente via urina. Dentro de 24 horas cerca de 90% da dose foi excretadas via rins e 4% através das fezes.

EFEITOS AGUDOS E CRÔNICOS: DL50 aguda oral para ratos: > 2000 mg/kg (Pouco tóxico) - não houve sintomas de intoxicação. DL50 aguda dérmica para ratos: > 2000 mg/kg (Pouco tóxico) - não houve sintomas de intoxicação. Irritação dérmica: não irritante; Irritação ocular: não irritante; Toxicidade aguda inalatória: > 3,566 mg/l - não houve sinais de intoxicação. Sensibilização dérmica (cobaias): não sensibilizante. A administração do ingrediente ativo na dieta de ratos por período de 2 anos não revelou alterações relevantes quanto a sinais clínicos, toxicidade ocular, hematologia e parâmetros de urina e peso de órgãos. Exames macroscópicos não revelaram alterações relacionadas ao tratamento. Exames microscópicos revelaram rins, fígado e baço como órgãos alvos, porém as alterações encontradas são pelo acúmulo de alfa 2-microglobulina, que não é relevante para humanos. Não houve efeitos no nível de 500 ppm (21,0 mg/kg/dia) para ratos machos e 1000 ppm (50,3 mg/kg/dia) para fêmeas. O produto foi também testado em camundongos em várias doses, sendo que, não houve alteração na taxa de mortalidade e sobrevivência nos animais tratados, comparados ao controle. Os sinais clínicos observados nos animais foram "abdômen estendido" em machos em dose de 2500 ppm e em fêmeas na dose de 1250 ppm. Este efeito está associado à alteração observada nos exames microscópicos no fígado nestas doses. A maior dose tolerada foi de 500 ppm na dieta. O Nível sem efeito observado para estudo crônico neste animal foi de 20 ppm, equivalente a 2,63 a 3,6 mg/kg de peso corpóreas para machos e fêmeas, respectivamente. Portanto nestas doses e abaixo delas não houve efeito nos animais testados.

PRECAUÇÕES DE USO E ADVERTÊNCIAS QUANTO À PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE: Este produto é PERIGOSO ao Meio Ambiente. (CLASSE III). Evite a contaminação ambiental - Preserve a Natureza. Não utilize equipamento com vazamentos. Não aplique o produto na presença de ventos fortes ou nas horas mais quentes. Aplique somente as doses recomendadas. Não lave embalagens ou equipamento aplicador em lagos, fontes, rios e demais corpos d'água. Descarte corretamente as embalagens e restos do produto.

INSTRUÇÕES DE ARMAZENAMENTO DO PRODUTO, VISANDO SUA CONSERVAÇÃO E PREVENÇÃO CONTRA ACIDENTES: Mantenha o produto em sua embalagem original, sempre fechada. O local deve ser exclusivo para produtos tóxicos, devendo ser isolado de alimentos, bebidas ou outros materiais. A construção deve ser de alvenaria ou de material não comburente. O local deve ser ventilado, coberto e ter piso impermeável. Coloque placa de advertência com os dizeres: CUDADO VENENO. Tranque o local, evitando o acesso de pessoas não autorizadas, principalmente crianças. Deve haver sempre embalagens adequadas disponíveis, para envolver embalagens rompidas ou para o recolhimento de produtos vazados. Em caso de armazéns deverão ser seguidas as instruções constantes na NBR 9843. Observe as disposições constantes da legislação Estadual e Municipal.

INSTRUÇÕES EM CASO DE ACIDENTES: Isole e sinalize a área contaminada. Contate as autoridades locais competentes e a empresa. Utilize o equipamento de proteção individual - EPI (macacão de PVC, luvas e botas de borracha, óculos protetores e máscara contra eventuais vapores). Em caso de derrame, siga as instruções abaixo: Piso pavimentado: Recolha o material com auxílio de uma pá e coloque em recipiente lacrado e identificado devidamente. O produto derramado não deverá ser mais utilizado. Neste caso, contate a empresa ou, o distribuidor ou qualquer representante da empresa na região. O produto deverá ser desativado em incinerador apropriado e aprovado pelas autoridades competentes. Lave o local com grande quantidade de água; Solo: Retire as camadas de terra contaminada até atingir o solo não contaminado e adote os mesmos procedimentos acima descritos para o recolhimento e destinação adequada; Corpos d'água: Interrompa imediatamente a captação para o consumo humano e animal e contacte o centro de emergência da empresa, visto que as medidas a serem adotadas dependem das proporções do acidente, das características do recurso hídrico em questão e da quantidade do produto envolvido. Em caso de incêndio, o produto deve ser extinto com pó, espuma, dióxido de carbono ou água (não aplique o jato de água diretamente sobre o produto). Os produtos de combustão poderão ser tóxicos e/ou irritantes. Medidas devem ser tomadas para prevenir da penetração no solo ou da propagação incontrolada dos agentes de extinção do fogo contaminados. Use respirador para proteção da fumaça.

DESTINAÇÃO DE RESÍDUOS E EMBALAGENS: Não reutilize embalagens. As embalagens devem ser perfuradas, de maneira a torná-las inadequadas para outros usos. (Obs: exceto em caso de existência do recolhimento das mesmas pela empresa). Observe as legislações Estadual e Municipal específicas. Fica proibido enterrar embalagens. Consulte o Órgão Estadual de Meio Ambiente. Para desativação de restos de produto contate a empresa e o Órgão Estadual de Meio Ambiente. A desativação do produto é feita através de incineração em fornos destinados para este tipo de operação e aprovado pelo Órgão Estadual responsável, equipado com câmaras de lavagem de gases efluentes.

Incluir outros métodos de controle de pragas (Ex. controle cultural, biológico, etc.) dentro do programa de Manejo Integrado de Pragas, quando disponível e apropriado.

Qualquer agente de controle de insetos pode se tornar menos efetivo ao longo do tempo, se a praga alvo desenvolver algum mecanismo de resistência a ele. O Comitê Brasileiro de Ação a Resistência à Inseticidas - IRAC-BR, recomenda as seguintes estratégias de manejo de resistência visando prolongar a vida útil dos inseticidas:
- Qualquer produto para controle de pragas, da mesma classe ou modo de ação, não deve ser utilizado em gerações consecutivas da praga.
- Usar somente doses recomendadas na bula/rótulo.
- Consultar sempre um Engenheiro Agrônomo para orientação sobre Manejo de Resistência a Inseticidas.

Compatibilidade

Não se conhecem casos de incompatibilidade.