Bula Aramo 200

acessos
Tepraloxydim
2200
Basf

Composição

Tepraloxydim 200 g/L Oxima ciclohexanodiona

Classificação

Herbicida
I - Extremamente tóxica
III - Produto perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Concentrado Emulsionável (EC)
Seletivo, Sistêmico
Algodão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Aveia
(Avena sativa)
0,38 a 0,5 L p.c./ha 200 L de calda/ha 40 L de calda/ha (aéreo) Uma única aplicação. 60 dias. Pós-emergência da cultura e das plantas daninhas
Azevém
(Lolium multiflorum)
0,38 a 0,5 L p.c./ha 200 L de calda/ha 40 L de calda/ha (aéreo) Uma única aplicação. 60 dias. Pós-emergência da cultura e das plantas daninhas
Capim camalote
(Rottboellia exaltata)
0,38 a 0,5 L p.c./ha 200 L de calda/ha 40 L de calda/ha (aéreo) Uma única aplicação. 60 dias. Pós-emergência da cultura e das plantas daninhas
Capim carrapicho
(Cenchrus echinatus)
0,38 a 0,5 L p.c./ha 200 L de calda/ha 40 L de calda/ha (aéreo) Uma única aplicação. 60 dias. Pós-emergência da cultura e das plantas daninhas
Capim colchão
(Digitaria sanguinalis)
0,38 a 0,5 L p.c./ha 200 L de calda/ha 40 L de calda/ha (aéreo) Uma única aplicação. 60 dias. Pós-emergência da cultura e das plantas daninhas
Capim colchão
(Digitaria horizontalis)
0,38 a 0,5 L p.c./ha 200 L de calda/ha 40 L de calda/ha (aéreo) Uma única aplicação. 60 dias. Pós-emergência da cultura e das plantas daninhas
Capim custódio
(Pennisetum setosum)
0,38 a 0,5 L p.c./ha 200 L de calda/ha 40 L de calda/ha (aéreo) Uma única aplicação. 60 dias. Pós-emergência da cultura e das plantas daninhas
Capim massambará
(Sorghum halepense)
0,38 a 0,5 L p.c./ha 200 L de calda/ha 40 L de calda/ha (aéreo) Uma única aplicação. 60 dias. Pós-emergência da cultura e das plantas daninhas
Capim pé de galinha
(Eleusine indica)
0,38 a 0,5 L p.c./ha 200 L de calda/ha 40 L de calda/ha (aéreo) Uma única aplicação. 60 dias. Pós-emergência da cultura e das plantas daninhas
Milheto
(Pennisetum americanum)
0,38 a 0,5 L p.c./ha 200 L de calda/ha 40 L de calda/ha (aéreo) Uma única aplicação. 60 dias. Pós-emergência da cultura e das plantas daninhas
Milho
(Zea mays)
0,38 L p.c./ha 200 L de calda/ha 40 L de calda/ha (aéreo) Uma única aplicação. 60 dias. Pós-emergência da cultura e das plantas daninhas
Papuã
(Brachiaria plantaginea)
0,38 a 0,5 L p.c./ha 200 L de calda/ha 40 L de calda/ha (aéreo) Uma única aplicação. 60 dias. Pós-emergência da cultura e das plantas daninhas
Feijão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Aveia
(Avena sativa)
0,38 a 0,5 L p.c./ha 200 L de calda/ha 40 L de calda/ha (aéreo) Uma única aplicação. 45 dias. Pós-emergência da cultura e das plantas daninhas
Azevém
(Lolium multiflorum)
0,38 a 0,5 L p.c./ha 200 L de calda/ha 40 L de calda/ha (aéreo) Uma única aplicação. 45 dias. Pós-emergência da cultura e das plantas daninhas
Capim camalote
(Rottboellia exaltata)
0,38 a 0,5 L p.c./ha 200 L de calda/ha 40 L de calda/ha (aéreo) Uma única aplicação. 45 dias. Pós-emergência da cultura e das plantas daninhas
Capim carrapicho
(Cenchrus echinatus)
0,38 a 0,5 L p.c./ha 200 L de calda/ha 40 L de calda/ha (aéreo) Uma única aplicação. 45 dias. Pós-emergência da cultura e das plantas daninhas
Capim colchão
(Digitaria sanguinalis)
0,38 a 0,5 L p.c./ha 200 L de calda/ha 40 L de calda/ha (aéreo) Uma única aplicação. 45 dias. Pós-emergência da cultura e das plantas daninhas
Capim colchão
(Digitaria horizontalis)
0,38 a 0,5 L p.c./ha 200 L de calda/ha 40 L de calda/ha (aéreo) Uma única aplicação. 45 dias. Pós-emergência da cultura e das plantas daninhas
Capim custódio
(Pennisetum setosum)
0,38 a 0,5 L p.c./ha 200 L de calda/ha 40 L de calda/ha (aéreo) Uma única aplicação. 45 dias. Pós-emergência da cultura e das plantas daninhas
Capim massambará
(Sorghum halepense)
0,38 a 0,5 L p.c./ha 200 L de calda/ha 40 L de calda/ha (aéreo) Uma única aplicação. 45 dias. Pós-emergência da cultura e das plantas daninhas
Capim pé de galinha
(Eleusine indica)
0,38 a 0,5 L p.c./ha 200 L de calda/ha 40 L de calda/ha (aéreo) Uma única aplicação. 45 dias. Pós-emergência da cultura e das plantas daninhas
Milheto
(Pennisetum americanum)
0,38 a 0,5 L p.c./ha 200 L de calda/ha 40 L de calda/ha (aéreo) Uma única aplicação. 45 dias. Pós-emergência da cultura e das plantas daninhas
Milho
(Zea mays)
0,38 a 0,5 L p.c./ha até 200 L de calda/ha 40 L de calda/ha (aéreo) Uma única aplicação. 45 dias. Pós-emergência da cultura e das plantas daninhas
Papuã
(Brachiaria plantaginea)
0,38 a 0,5 L p.c./ha 200 L de calda/ha 40 L de calda/ha (aéreo) Uma única aplicação. 45 dias. Pós-emergência da cultura e das plantas daninhas
Soja Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Aveia
(Avena sativa)
0,38 a 0,5 L p.c./ha 200 L de calda/ha 40 L de calda/ha (aéreo) Uma única aplicação. 60 dias. Pós-emergência da cultura e das plantas daninhas
Azevém
(Lolium multiflorum)
0,38 a 0,5 L p.c./ha 200 L de calda/ha 40 L de calda/ha (aéreo) Uma única aplicação. 60 dias. Pós-emergência da cultura e das plantas daninhas
Capim camalote
(Rottboellia exaltata)
0,38 a 0,5 L p.c./ha 200 L de calda/ha 40 L de calda/ha (aéreo) Uma única aplicação. 60 dias. Pós-emergência da cultura e das plantas daninhas
Capim carrapicho
(Cenchrus echinatus)
0,38 a 0,5 L p.c./ha 200 L de calda/ha 40 L de calda/ha (aéreo) Uma única aplicação. 60 dias. Pós-emergência da cultura e das plantas daninhas
Capim colchão
(Digitaria horizontalis)
0,38 a 0,5 L p.c./ha 200 L de calda/ha 40 L de calda/ha (aéreo) Uma única aplicação. 60 dias. Pós-emergência da cultura e das plantas daninhas
Capim colchão
(Digitaria sanguinalis)
0,38 a 0,5 L p.c./ha 200 L de calda/ha 40 L de calda/ha (aéreo) Uma única aplicação. 60 dias. Pós-emergência da cultura e das plantas daninhas
Capim custódio
(Pennisetum setosum)
0,38 a 0,5 L p.c./ha 200 L de calda/ha 40 L de calda/ha (aéreo) Uma única aplicação. 60 dias. Pós-emergência da cultura e das plantas daninhas
Capim massambará
(Sorghum halepense)
0,38 a 0,5 L p.c./ha 200 L de calda/ha 40 L de calda/ha (aéreo) Uma única aplicação. 60 dias. Pós-emergência da cultura e das plantas daninhas
Capim pé de galinha
(Eleusine indica)
0,38 a 0,5 L p.c./ha 200 L de calda/ha 40 L de calda/ha (aéreo) Uma única aplicação. 60 dias. Pós-emergência da cultura e das plantas daninhas
Milheto
(Pennisetum americanum)
0,38 a 0,5 L p.c./ha 200 L de calda/ha 40 L de calda/ha (aéreo) Uma única aplicação. 60 dias. Pós-emergência da cultura e das plantas daninhas
Milho
(Zea mays)
0,38 a 0,5 L p.c./ha 200 L de calda/ha 40 L de calda/ha (aéreo) Uma única aplicação. 60 dias. Pós-emergência da cultura e das plantas daninhas
Papuã
(Brachiaria plantaginea)
0,38 a 0,5 L p.c./ha 200 L de calda/ha 40 L de calda/ha (aéreo) Uma única aplicação. 60 dias. Pós-emergência da cultura e das plantas daninhas

Embalagens de polietileno com capacidade para 1 L; 5 L e 20 L. Tambor de ferro de 200 L; Bulk (container) de 18.000 e 20.000 L.

INSTRUÇÕES DE USO: ARAMO 200 é herbicida sistêmico para as culturas de algodão, feijão e soja. Após a aplicação sobre a superfície das folhas, o ingrediente ativo é rapidamente absorvido, ocorrendo um processo de translocação, com acúmulo em regiões meristemáticas, onde o produto inibe rapidamente a enzima ACCase, intereferindo na formação de malonil-CoA, conseqüentemente bloqueando a reação inicial da rota metabólica da síntese de lipídios, o que resulta na paralisação do crescimento. O secamento das gramíneas completa-se num período de 1 a 3 semanas.

FINALIDADE DE USO: ARAMO 200 é um herbicida de pós-emergência, sistêmico, que controla gramíneas anuais e perenes, com total seletividade e segurança para as culturas indicadas, conforme recomendado a seguir:

CULTURAS, DOSE E ÉPOCA DE APLICAÇÃO:

ALGODÃO, FEIJÃO E SOJA: Aplicar em pós-emergência das gramíneas, provindas de semente, quando estiverem nos seguintes estágios: Antes do perfilhamento: 0,375 l/ha. Perfilhamento (de 1 a 4 perfilhos): 0,5 l/ha. Perfilhamento (de 1 a 2 perfilhos): 0,5 l/ha. Em sorgo originário de semente até 15 cm de altura: 0,5 l/ha. Até 15 cm de altura (ou 4 folhas): 0,375 l/ha.

ADIÇÃO DE ADJUVANTE: A adição de adjuvante favorece a distribuição da calda sobre a folhagem, melhorando a penetração, o que resulta no melhor controle das plantas daninhas.

VOLUME DE ADJUVANTE A SER ACRESCENTADO NA CALDA DE ARAMO 200: Em aplicação terrestre: 0,5 % do volume de calda (equivalente a 1,0 l/ha em 200 l/ha de calda). Em aplicação aérea: 0,5 % do volume de calda (equivalente a 0,2 l/ha em 40 l/ha de calda). A adição de sulfato de amônio na concentração de 1 a 2 % do volume da calda, tende a minimizar os problemas decorrentes de adversidades ambientais, bem como melhorara o controle das plantas daninhas.

MODO DE APLICAÇÃO: ARAMO 200 deve ser diluído em água e aplicado por pulverização em pós-emergência, sobre a folhagem das gramíneas infestantes. Efetuar uma boa distribuição do produto.

ÉPOCA DE APLICAÇÃO: A aplicação de ARAMO 200 deve ser feita quando as plantas daninhas atingirem os estágios indicados. Passados esses estágios, a eficiência se reduz ou desaparece. Normalmente uma única aplicação é indicada.

EQUIPAMENTOS DE APLICAÇÃO: Pulverizadores, motorizados ou acoplados, de barra, com bicos uniformes de um dos seguintes tipos: jato em leque, de tipos como Twinjet, Teejet, XR Teejet, vazões 80.02, 80.03, 110.02, 110.03, APG 110 R (vermelho), APG 110 D (laranja) VisiFlo amarelo, VisiFlo azul - que produzem gotas entre 300 e 400 micra e permitem uma deposição de cerca de 20 gotas/cm2. Pressão entre 40 e 60 libras/pol2. A altura da barra deve ser tal que permita pequena sobreposição dos jatos dos diversos bicos, no topo das gramíneas a controlar. Volume de água: 200 litros/ha; quando a folhagem estiver molhada por orvalho, neblina ou chuva, reduzir o volume de água para evitar escorrimento. Avião agrícola, equipado com barra e bicos de jato cônico, montados na vertical (90o), em duas opções: 36 bicos modelo D12-45, 46 bicos modelo D10-45. Altura de vôo: 2,5 a 3,5 metros da barra ao topo das plantas. Largura da faixa variável, entre 12 a 14 metros, devendo ser estabelecida por teste, verificada uma concentração de 30 a 50 gotículas/cm2. Pressão: 30 a 35 libras/pol2. Volume de água: 40 litros/ha.

CUIDADOS: Abastecer o avião com a calda por bombeamento, evitando despejar manualmente no tanque. Não permitir a contaminação da cabine do piloto. Auxiliares de pista devem usar o equipamento de proteção individual. Marcadores de faixas (bandeirinhas) devem trabalhar com vestimenta completa de material impermeável, com cobertura da cabeça, proteção de olhos e máscara de respiração.

INTERVALO DE SEGURANÇA: Algodão: 60 dias. Feijão: 45 dias, Soja: 60 dias.

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS: Recomenda-se aguardar a completa secagem do produto sobre as folhas das plantas tratadas ou 24 horas após aplicação; utilizar os Equipamentos de Proteção Individual recomendados pelo Ministério da Saúde.

LIMITAÇÕES DE USO: ARAMO 200 é indicado para uso em culturas em estado normal de sanidade e desenvolvimento. Não apresenta limitações de uso desde que seja usado em plantas daninhas, conforme indicações de uso recomendadas.

Chuvas: ARAMO 200 é absorvido pelas folhas num período de algumas horas. Chuvas a menos de 1 hora da aplicação podem afetar os resultados, com diminuição das porcentagens de controle.

Umidade do Solo: A aplicação de ARAMO 200 deverá ser realizada sob boas condições de umidade do solo, e as gramíneas deverão estar em pleno crescimento.

PRECAUÇÕES GERAIS: Não coma, não beba e não fume durante o manuseio do produto; Não utilize equipamento com vazamento; Não desentupa bicos, orifícios e válvulas com a boca; Não distribua o produto com as mãos desprotegidas; Não transporte este produto juntamente com alimentos, medicamentos, rações, animais e pessoas; Uso exclusivamente agrícola.

PRECAUÇÕES NA PREPARAÇÃO DA CALDA: Ao abrir a embalagem, faça de modo a evitar respingos. Ao abrir a embalagem, faça de modo a evitar que o produto se espalhe. Use Protetor Ocular. Se houver contato do produto com os olhos, lave-os imediatamente e VEJA PRIMEIROS SOCORROS. Use máscaras cobrindo o nariz e a boca. Caso o produto seja inalado ou aspirado, procure local arejado e VEJA PRIMEIROS SOCORROS. Use Luvas de Borracha. Havendo contato do produto com a pele, lave-a imediatamente e VEJA PRIMEIROS SOCORROS. Use macacão com mangas compridas, óculos ou viseira facial, luvas, botas , avental impermeável e máscara apropriada.

PRECAUÇÕES DURANTE A APLICAÇÃO: Evite o máximo possível o contato com a área de aplicação; Aplique somente as doses recomendadas; Não aplique o produto na presença de ventos fortes ou nas horas mais quentes do dia; Não aplique o produto contra o vento; A pulverização do produto produz neblina, use máscara cobrindo o nariz e a boca; Use macacão com mangas compridas, chapéu de abas largas, botas e luvas; Não fuma, beba ou coma, durante a aplicação do produto; Não permita que crianças ou qualquer pessoa não autorizada permaneça na área em que estiver sendo aplicado o produto, ou em áreas tratadas, logo após a aplicação

PRECAUÇÕES APÓS A APLICAÇÃO: Não entre nas áreas tratadas até a secagem do produto sobre as folhas das plantas, se necessário use macacão com mangas compridas, chapéu de aba larga, luvas, botas, máscara e óculos; Não reutilize a embalagem vazia; Mantenha o restante do produto adequadamente fechado em local trancado, longe do alcance de crianças e animais; Tome banho, troque de roupa. Lave suas roupas de trabalho separado das demais roupas de seus familiares; Dar manutenção necessária nos equipamentos de segurança. Atentar para o período de vida útil dos filtros , seguindo corretamente as especificações do fabricante.

PRIMEIROS SOCORROS: Em caso de INGESTÃO, se o paciente estiver consciente, faça-o tomar água e não induza o vômito. Procure o médico, levando a bula, rótulo ou receituário agronômico. Em caso de contato com os OLHOS, lave-os imediatamente com água limpa, por 15 minutos. Procure o médico, levando a bula , rótulo ou receituário agronômico. Em caso de contato com a PELE, lave-a imediatamente com água e sabão. Procure o médico, levando a bula , rótulo ou receituário agronômico. Em caso de INALAÇÃO da calda pulverizada, mantenha o paciente em local arejado. Procure o médico, levando a bula , rótulo ou receituário agronômico.

ANTÍDOTO: Não há antídoto específico.

TRATAMENTO MÉDICO: Tratamento sintomático, de acordo com o quadro clínico. Em casos de ingestão realizar lavagem gástrica.

MECANISMO DE AÇÃO, ABSORÇÃO E EXCREÇÃO: Os mecanismos de absorção, excreção e o metabolismo do Tepraloxydim foram estudados em animais de laboratório, sendo esperado o mesmo comportamento no homem. Tepraloxydim foi avaliado quanto a sua absorção, distribuição e excreção em ratos Wistar nas doses de 30 ou 300 mg/kg de peso corpóreo. De maneira geral, após 120 horas mais de 94% da dose administrada já havia sido excretada (principalmente via urina e secundariamente via fezes). Aumentando-se a dose 10 vezes verificou-se que não houve alteração no tempo de eliminação do produto via fezes quando comparado ao tempo de eliminação via urina, indicando que o processo de absorção não havia sido saturado nestas condições. Com exceção do esqueleto, pele, fígado e partes do trato gastrintestinal, a radiação presente nos tecidos não ultrapassou 0,05% da dose administrada (após 120 horas da administração do produto). Não houve acúmulo de substância nos tecidos e órgãos.

EFEITOS AGUDOS: Foram conduzidos testes em animais de laboratório, e o produto ARAMO 200 apresentou dose letal de 50% dos ratos estudados (DL50) aguda oral maior que 2000 mg/kg massa corporal; dose letal de 50% dos ratos estudados (DL50) aguda dermal maior que 4000 mg/kg massa corporal; dose letal de 50% dos ratos estudados (CL50) inalatória maior que 5,4 mg/l ar. Não existem relatos de efeitos no homem. Os sintomas de intoxicação apresentados pelos animais de laboratório no caso de intoxicação aguda oral foram: dispnéia, apatia, animais cambaleantes, ataxia, atonia, paresia, tremor, eritemas, salivação, lacrimejamento; os animais se recuperaram após 9 dias da administração. No caso de intoxicação aguda dermal: dispnéia, cianose, sendo que os animais se recuperaram após 1 dia da aplicação. Em testes de laboratório ARAMO 200 mostrou-se levemente irritante para pele e irritante para olhos de coelhos. Os testes agudos que originaram as informações acima foram conduzidos de acordo com as diretrizes internacionais para o delineamento experimental de testes de toxicidade com animais de laboratório.

EFEITOS CRÔNICOS: Em estudos toxicológicos de longa duração, nos quais os animais são observados durante toda ou boa parte de suas vidas, expostos ao Tepraloxydim, em diferentes concentrações, foram estabelecidas doses de não efeito tóxico, por exposição crônica à substância.

Foram ainda estudados os efeitos sobre o processo reprodutivo e a progênie de animais de laboratório, tendo sido estabelecidas doses de não efeito tóxico. Foram realizados testes de mutagenicidade em células de bactérias e micronúcleos, sendo que em ambos os experimentos o resultado obtido foi negativo. Os testes sub-crônicos e crônicos que originaram as informações acima foram conduzidos de acordo com as diretrizes internacionais para o delineamento experimental de testes de toxicidade com animais de laboratório.

EFEITOS COLATERAIS / SINTOMAS DE ALARME: Por não ser de finalidade terapêutica, não há como caracterizar seus efeitos colaterais. Sintomas de alarme, não conhecidos.

PRECAUÇÕES DE USO E ADVERTÊNCIAS QUANTO AOS CUIDADOS DE PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE: Este produto é: PERIGOSO ao meio ambiente (CLASSE III). Este produto é ALTAMENTE TÓXICO para organismos aquáticos. Evite a contaminação ambiental - Preserve a Natureza. Não utilize equipamento com vazamento. Não execute aplicação aérea de agrotóxicos em áreas situadas a uma distância inferior a 500 (quinhentos) metros de povoação e de mananciais de captação de água para abastecimento público e de 250 (duzentos e cinqüenta) metros de mananciais de água , moradias isoladas, agrupamentos de animais e culturas suscetíveis a danos. Observe as disposições constantes na legislação estadual e municipal, concernentes às atividades aeroagrícolas. Aplique somente as doses recomendadas. Não aplique o produto na presença de ventos fortes ou nas horas mais quentes. Não lave embalagens ou equipamento aplicador em lagos, fontes, rios e demais corpos d'água. Descarte corretamente as embalagens e restos do produto - siga as instruções da bula. Em caso de acidente, siga corretamente as instruções constantes na bula.

INSTRUÇÕES DE ARMAZENAMENTO DO PRODUTO, VISANDO SUA CONSERVAÇÃO E PREVENÇÃO CONTRA ACIDENTES: Mantenha o produto em sua embalagem original, sempre fechada. O local deve ser exclusivo para produtos tóxicos, devendo ser isolado de alimentos, bebidas ou outros materiais. A construção deve ser de alvenaria ou de material não comburente. Coloque placa de advertência com os dizeres: CUIDADO: VENENO. Tranque o local, evitando o acesso de pessoas não autorizadas, principalmente crianças. Deve haver sempre embalagens adequadas disponíveis, para envolver embalagens rompidas ou para o recolhimento de produtos vazados. Em caso de armazéns deverão ser seguidas as instruções constantes da NBR 9843. Observe as disposições constantes na legislação estadual e municipal.

INSTRUÇÕES EM CASO DE ACIDENTES: Contate as autoridades locais competentes e a Empresa. Utilize o Equipamento de Proteção Individual - EPI (macacão de PVC, luvas e botas de borracha, óculos protetores e máscara contra eventuais vapores). Isole e sinalize a área contaminada. Em caso de derrame, estancar o escoamento, não permitindo que o produto entre em bueiros, drenos ou corpos d'água. Siga as instruções:

Piso pavimentado: absorva o produto derramado com terra ou serragem. Recolha o material com o auxílio de uma pá e coloque em recipiente lacrado e identificado devidamente. O produto derramado não deverá ser mais utilizado. Neste caso, contate o fabricante ou o distribuidor ou qualquer representante da empresa na região. O produto deverá ser desativado conforme orientações de destinação de resíduos e embalagens. Lave o local com grande quantidade de água;

Solo: retire as camadas de terra contaminada até atingir o solo não contaminado e adote os mesmos procedimentos acima descritos para recolhimento e destinação adequada;

Corpos d'água: interrompa imediatamente a captação para o consumo humano e animal e contate o centro de emergência da empresa, visto que as medidas a serem adotadas dependem das proporções do acidente, das características do recurso hídrico em questão e da quantidade do produto envolvido.

Em caso de incêndio, use extintores de água em forma de neblina, CO2 ou pó químico, ficando a favor do vento para evitar intoxicação.

DESTINAÇÃO ADEQUADA DE RESÍDUOS E EMBALAGENS: As embalagens rígidas devem ser enxaguadas três vezes e a calda resultante acrescentada à preparação para pulverização (tríplice lavagem). Não reutilize embalagens. As embalagens devem ser perfuradas, de maneira a torná-las inadequadas para outros usos. Observe as legislações Estadual e Municipal específicas. Fica proibido enterrar embalagens. Consulte o Órgão Estadual de Meio Ambiente. Para desativação de restos de produto contate a empresa e o Órgão Estadual de Meio Ambiente. A desativação do produto é feita através de incineração em fornos destinados para este tipo de operação e aprovados pelo Órgão Estadual responsável, equipados de câmaras para lavagem de gases efluentes.

A rotação de culturas pode permitir também rotação nos métodos de controle das plantas infestantes que ocorrem na área. Além do uso de herbicidas, outros métodos são utilizados dentro de um manejo integrado de plantas infestantes, sendo eles o controle manual, o controle mecânico, através de roça das ou cultivadores, a rotação de culturas e a dessecação da área antes do plantio os mais utilizados e eficazes.

O uso continuado de herbicidas com o mesmo mecanismo de ação pode contribuir para o aumento de população de plantas infestantes resistentes a esse mecanismo de ação.
Como prática de manejo de resistência de plantas infestantes, deverão ser aplicados, alternadamente, herbicidas com diferentes mecanismos de ação. Os herbicidas deverão estar registrados para a cultura.
Não havendo produtos alternativos, recomenda-se a rotação de culturas que possibilite o uso de herbicidas com diferentes mecanismos de ação. Para maiores esclarecimentos, consulte um engenheiro agrônomo.

Compatibilidade

Incompatível com produtos de reação alcalina.