Bula Astro - Bayer

Bula Astro

Clorpirifós
498
Bayer

Composição

Clorpirifós 450 g/L

Classificação

Terrestre
Inseticida
3 - Produto Moderadamente Tóxico
II - Produto muito perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Emulsão Óleo em Água (EW)
Contato, Ingestão

Embalagens plásticas de 1, 5, 10 e 20 L. Embalagens de metal de 5, 10 e 20 L. Baldes metálicos de 50, 100 e 200 L. Baldes plásticos de 50, 100 e 200 L.

INSTRUÇÕES DE USO

NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO

Algodão: Curuquerê - iniciar a aplicação quando a praga atingir o nível de dano econômico, ou seja, quando forem encontradas 2 lagartas (> 15 mm) por planta, ou quando o nível de desfolha atingir 25%, ou ainda quando ocorrer 10% de desfolha no terço inferior. Lagarta-militar - realizar aplicação quando as lagartas estiverem no 1º instar.
Batata:
Vaquinha-verde-amarela - a aplicação, visando o controle da larva, deve ser feita imediatamente após o plantio e antes do fechamento do sulco. Já para o controle do adulto, a aplicação deverá ser feita no início da infestação, em qualquer estádio de desenvolvimento da cultura.
Larva-minadora - assim que se observarem os primeiros sinais de infestação. Se necessário, reaplicar com intervalo de 7 dias.
Café: o controle deve ser iniciado, dentro do período crítico de cada região, quando a intensidade máxima de ataque atingir 20% de folhas minadas. Para isso deve-se considerar apenas as folhas novas, nos terços médio e superior do cafeeiro.
Citros: Picuinha - Aplicar no início da infestação, com a calda dirigida ao tronco e ramos primários. Reaplicar, se necessário. Cochonilha-pardinha - Aplicar no início da infestação. Reaplicar, se necessário. Aplicar até o ponto de escorrimento.
Milho: Lagarta-do-cartucho - Aplicar no período após a germinação até 60 - 70 dias de idade da cultura em função do nível de infestação. O intervalo de aplicação será em função da reinfestação.
Vaquinha-verde-amarela - Aplicar antes do plantio, dirigindo-se o jato para o sulco.
Soja: Iniciar a aplicação quando forem encontradas 40 lagartas grandes por amostragem (2 m lineares da cultura). Reaplicar, se necessário.
Tomate: Aplicar preventivamente a partir do início do florescimento, reaplicando a cada 7 dias, caso haja necessidade.
MODO DE APLICAÇÃO

Algodão/Batata/Milho/Soja: Aplicar através de equipamento tratorizado com barra equipada com bicos tipo cone ou similares, procurando obter uma pulverização uniforme. O volume de calda recomendado é de 90 a 125 L/ha para algodão, 80 L/ha para soja e 300 a 400 L/ha para milho. Para o controle da larva de Diabrótica, no sulco de plantio da batata, recomenda-se aplicar sobre os tubérculos antes do fechamento do sulco, empregando-se 1000 L de calda/ha. Para controle de lagarta-do-cartucho em milho recomenda-se bico leque série 80.03 ou 80.04, dirigindo a aplicação para o cartucho da planta.
Café/Citros/Tomate: Aplicar através de equipamentos tratorizados adequados às culturas. Na cultura do tomate recomenda-se utilizar 1000 L de calda/ha e em café 300 L/ha.

INTERVALO DE SEGURANÇA

Algodão, batata, café, citros, milho, soja e tomate: 21 dias.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Incluir outros métodos de controle de insetos (ex. Controle Cultural, Biológico, etc.) dentro do programa de Manejo Integrado de Pragas (MIP) quando disponível e apropriado.

Qualquer agente de controle de inseto pode ficar menos efetivo ao longo do tempo se o inseto alvo desenvolver algum mecanismo de resistência. Implementando as seguintes estratégias de Manejo de Resistência a Inseticidas (MRI) poderíamos prolongar a vida útil dos inseticidas:
- Qualquer produto para controle de inseto da mesma classe ou modo de ação não deve ser utilizado em gerações consecutivas da mesma praga.
- Utilizar somente as doses recomendadas no rótulo / bula.
- Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para direcionamento sobre as recomendações locais para o MRI.