Bula Asulox 400 - UPL

Bula Asulox 400

CI
asulam
178704
UPL

Composição

Asulam 400 g/L

Classificação

Terrestre/Aérea
Herbicida
4 - Produto Pouco Tóxico
III - Produto perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Concentrado Solúvel (SL)
Seletivo, Sistêmico

Embalagem: 1, 5, 20, 50 e 200 L.

INDICAÇÕES DE USO

O ASULOX 400 é um herbicida indicado para o controle de plantas daninhas conforme a bula.

MODO DE APLICAÇÃO

Recomenda-se aplicar com pulverizadores costal, manual, equipamentos tratorizados ou aeronaves agrícolas.
Preparo da calda:
Para preparação da calda, deve-se abastecer o pulverizador com água limpa até metade de sua capacidade, mantendo o agitador ou retorno em funcionamento e adicionar ASULOX 400 na dose indicada. Após isso, complete o volume do tanque, sempre com agitação constante. Mesmo havendo necessidade de parar a pulverização durante algum tempo é importante que se mantenha o agitador em funcionamento. Se esta interrupção for mais longa, deve-se reiniciar a agitação antes de utilizar a calda novamente. Deve-se preparar apenas a quantidade de calda para a aplicação, visando evitar sobras de calda no tanque do pulverizador. Recomenda-se também que todos os equipamentos utilizados no preparo e aplicação da calda sejam lavados.

Bicos de pulverização
- Equipamentos tratorizados: conjunto de barras e bicos de jato cônico vazio com a combinação de ponta e difusor (core) adequado a uma cobertura uniforme das plantas infestantes sem escorrimento do produto. A barra deverá estar posicionada à altura de 50 cm em relação ao alvo de deposição.
A pressão de trabalho deverá ser entre 60-80 psi.
- Aeronaves: empregar um conjunto de barras e bicos com ponta de pulverização de jato cônico vazio. Bicos de jato leque poderão ser utilizados sem entretanto apresentarem resultados idênticos aos bicos de jato cônico. Os mesmos ocasionam escorrimento do produto sobre as folhas diminuindo a eficiência do produto.
- Com o avião do tipo Ipanema (qualquer modelo) utilizar o total de 40 - 42 bicos na barra de pulverização, fechando os das extremidades das asas em número de 4 a 5 para ser evitada a influência e arraste das gotas pelos vórtices da asa.
- Os bicos trabalharão em angulação de 110° a 180 ° em relação a linha de voo e de acordo com as variações das condições climáticas durante a aplicação, de maneira a obter um tamanho de gotas com VMD entre 120-150 µ e um mínimo de 40 gotas/cm².
- Não recomenda-se a utilização de micronair AU 3000 devido aos volumes estabelecidos não permitirem uma geração de gotas dentro da faixa de deposição.
- Em aviões do tipo Ipanema (qualquer modelo), a faixa de deposição será de 15 metros a uma altura de voo de 4-5 m em relação ao alvo de deposição.
- Para outros tipos de aeronave consultar a gerência de desenvolvimento e aplicações do ASULOX 400.
- Em equipamentos terrestres equipados com barras de pulverização, a faixa de deposição ficará limitada ao comprimento da própria barra.

INTERVALO DE SEGURANÇA

Cana de Açúcar: não determinado devido a modalidade de emprego.

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS

Até 24 horas ou se as partes tratadas estiverem úmidas, usar macacão de algodão hidro- repelente com mangas compridas e luvas/botas de borracha.

LIMITAÇÕES DE USO

Incompatível com produtos ácidos.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Sempre que houver disponibilidade de informações sobre programas de Manejo Integrado, provenientes da pesquisa pública ou privada, recomenda-se que estes programas sejam implementados.

O uso continuado de herbicidas com o mesmo mecanismo de ação pode contribuir para o aumento de população de plantas infestantes a ele resistentes.
Como prática de manejo e resistência de plantas infestantes deverão ser aplicados herbicidas com diferentes mecanismos de ação, devidamente registrados para a cultura. Não havendo produtos alternativos recomenda-se a rotação de culturas que possibilite o uso de herbicidas com diferentes mecanismos de ação. Para maiores esclarecimentos consulte um Engenheiro Agrônomo.