Bula Avant 750 SP - Ameribrás

Bula Avant 750 SP

acessos
Acephate
4193
Ameribrás

Composição

Acefato 750 g/kg Organofosforado

Classificação

Acaricida, Inseticida
III - Medianamente tóxico
III - Produto perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Pó solúvel (SP)
Contato, Ingestão, Sistêmico

Algodão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Ácaro rajado
(Tetranychus urticae)
0,5 a 0,75 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - 10 dias. 14 dias. Quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico
Curuquerê
(Alabama argillacea)
0,4 a 0,5 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - 10 dias. 14 dias. Quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico
Lagarta da maçã
(Heliothis virescens)
1 a 1,5 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - 10 dias. 14 dias. Quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico
Percevejo manchador
(Dysdercus ruficollis)
0,5 a 0,75 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - 10 dias. 14 dias. Quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico
Pulgão do algodoeiro
(Aphis gossypii)
0,5 a 0,75 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - 10 dias. 14 dias. Quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico
Tripes
(Caliothrips brasiliensis)
0,4 a 0,5 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - 10 dias. 14 dias. Quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico
Tripes
(Frankliniella schultzei)
0,4 a 0,5 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - 10 dias. 14 dias. Quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico
Amendoim Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Cigarrinha verde
(Empoasca kraemeri)
0,4 a 0,5 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - Único. 14 dias. Quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico
Lagarta do pescoço vermelho
(Stegasta bosquella)
0,5 a 1 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - Único. 14 dias. Quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico
Tripes do bronzeamento
(Enneothrips flavens)
0,4 a 0,5 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - Único. 14 dias. Quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico
Batata Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Cigarrinha verde
(Empoasca kraemeri)
0,4 a 0,6 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - 10 dias. 14 dias. Quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico
Lagarta do cartucho
(Spodoptera frugiperda)
0,75 a 1,5 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - 10 dias. 14 dias. Quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico
Pulgão das solanáceas
(Macrosiphum euphorbiae)
0,4 a 0,6 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - 10 dias. 14 dias. Quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico
Pulgão verde
(Myzus persicae)
0,4 a 0,6 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - 10 dias. 14 dias. Quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico
Traça da batatinha
(Phthorimaea operculella)
0,75 a 1,5 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - 10 dias. 14 dias. Quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico
Brócolis Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Pulgão da couve
(Brevicoryne brassicae)
0,5 a 1 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - 10 dias. 14 dias. Quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico
Pulgão verde
(Myzus persicae)
0,5 a 1 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - 10 dias. 14 dias. Quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico
Traça das crucíferas
(Plutella maculipennis)
0,5 a 1 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - 10 dias. 14 dias. Quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico
Citros Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Bicho furão
(Ecdytolopha aurantiana)
1 a 1,5 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - Único. 21 dias. Quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico
Cochonilha
(Orthezia praelonga)
1 a 1,5 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - Único. 21 dias. Quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico
Cochonilha pardinha
(Selenaspidus articulatus)
1 a 1,5 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - Único. 21 dias. Quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico
Parlatoria
(Parlatoria pergandii)
1 a 1,5 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - Único. 21 dias. Quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico
Couve Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Pulgão da couve
(Brevicoryne brassicae)
0,5 a 1 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - 10 dias. 14 dias. Quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico
Pulgão verde
(Myzus persicae)
0,5 a 1 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - 10 dias. 14 dias. Quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico
Traça das crucíferas
(Plutella maculipennis)
0,5 a 1 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - 10 dias. 14 dias. Quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico
Couve-flor Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Pulgão da couve
(Brevicoryne brassicae)
0,5 a 1 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - 10 dias. 14 dias. Quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico
Pulgão verde
(Myzus persicae)
0,5 a 1 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - 10 dias. 14 dias. Quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico
Traça das crucíferas
(Plutella maculipennis)
0,5 a 1 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - 10 dias. 14 dias. Quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico
Feijão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Cigarrinha verde
(Empoasca kraemeri)
0,2 a 0,5 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha (aéreo) - 10 dias. 14 dias. Quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico
Lagarta enroladeira das folhas
(Hedylepta indicata)
0,5 a 1 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha (aéreo) - 10 dias. 14 dias. Quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico
Manhoso
(Chalcodermus bimaculatus)
0,5 a 1 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - 10 dias. 14 dias. Quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico
Mosca branca
(Bemisia tabaci)
0,2 a 0,5 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - 10 dias. 14 dias. Quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico
Tripes
(Caliothrips brasiliensis)
1 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - 10 dias. 14 dias. Quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico
Vaquinha verde amarela
(Diabrotica speciosa)
0,5 a 1 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - 10 dias. 14 dias. Quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico
Melão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Pulgão do algodoeiro
(Aphis gossypii)
0,25 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - 10 dias. 7 dias. Quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico
Repolho Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Pulgão da couve
(Brevicoryne brassicae)
0,5 a 1 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - 10 dias. 14 dias. Quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico
Pulgão verde
(Myzus persicae)
0,5 a 1 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - 10 dias. 14 dias. Quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico
Traça das crucíferas
(Plutella maculipennis)
0,5 a 1 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - 10 dias. 14 dias. Quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico
Soja Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Lagarta da soja
(Anticarsia gemmatalis)
0,2 a 0,5 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - 10 dias. 14 dias. Quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico
Lagarta enroladeira das folhas
(Hedylepta indicata)
0,6 a 0,75 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - 10 dias. 14 dias. Quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico
Percevejo marrom
(Euschistus heros)
0,6 a 0,75 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - 10 dias. 14 dias. Quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico
Percevejo verde
(Nezara viridula)
0,5 a 0,75 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - 10 dias. 14 dias. Quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico
Trichoplusia
(Trichoplusia ni)
0,2 a 0,5 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - 10 dias. 14 dias. Quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico
Tripes
(Frankliniella schultzei)
0,5 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - 10 dias. 14 dias. Quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico
Tripes
(Frankliniella rodeos)
0,5 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - 10 dias. 14 dias. Quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico
Tripes
(Caliothrips brasiliensis)
0,5 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - 10 dias. 14 dias. Quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico
Tomate Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Ácaro vermelho
(Tetranychus evansi)
0,75 a 1 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - 10 dias. 7 dias. Quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico
Lagarta da espiga do milho
(Helicoverpa zea)
0,75 a 1 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - 10 dias. 7 dias. Quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico
Larva minadora
(Liriomyza huidobrensis)
0,5 a 0,75 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - 10 dias. 7 dias. Quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico
Mosca branca
(Bemisia tabaci)
1 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - 10 dias. 7 dias. Quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico
Pulgão das solanáceas
(Macrosiphum euphorbiae)
1 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - 10 dias. 7 dias. Quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico
Pulgão verde
(Myzus persicae)
1 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - 10 dias. 7 dias. Quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico
Tripes
(Thrips palmi)
0,5 a 0,75 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - 10 dias. 7 dias. Quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico
Vaquinha verde amarela
(Diabrotica speciosa)
0,5 a 0,75 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - 10 dias. 7 dias. Quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico

Saco – hidrossolúvel: 0,05; 0,1; 0,15; 0,2; 0,25; 0,3; 0,5; 1; 1,5; 2; 2,5; 3; 3,5; 4; 5; 6; 8; 10; 15; 20 e 25 kg
Saco(¹) - plástico multicamada: 1; 2; 5; 20 e 20 kg
Big-bag(²) – tecido com proteção impermeável: 100; 200; 250; 500; 600; 625; 650; 700; 800; 900; 1000; 1100; 1200 e 1500 kg
Cartucho(¹) – papelão com proteção impermeável: 0,1; 0,15; 0,2; 0,25; 0,5; 1; 1,5; 2; 2,5; 4; 5; 8; 10; 15; 20 e 25 kg
Frasco(¹) – plástico ou metálico: 1; 1,5; 2; 2,5; 3; 4; 5; 8; 10; 15; 20 e 25 kg
Fibrolata(¹) – corpo de papel com tampa e/ou fundo de flandres (metálico): 0,5; 1; 2; 3; 4 e 5 kg
Tambor(²) – plástico ou metálico (com revestimento anticorrosivo): 50; 100; 200; 250 e 500 kg
(¹): Contendo sacos hidrossolúveis perfazendo o total do peso liquido.
(²): Uso exclusivamente industrial

NUMERO, EPOCA E INTERVALO DE APLICAÇAO:
Os tratamentos se necessário devem ser de iniciados quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico e repetir se necessário de acordo com o numero máximo de aplicações para cada cultura, respeitando-se o intervalo mínimo de 10 dias entre cada aplicação.

MODO DE APLICAÇAO:
AVANT 750 SP deve ser aplicado em pulverização terrestre com pulverizador de barra tratorizado munidos de bicos adequados que produzam gotas de 250-350 µs e densidade de 40 gotas/cm².

Preparo da Calda:
AVANT 750 SP e acondicionado em saco hidrossolúvel, que e totalmente dissolvido em contato com a água, não havendo necessidade de abrir ou corte-lo. A embalagem hidrossolúvel deve ser despejada diretamente no tanque de preparo da solução.
Para o use de sacos hidrossolúveis:
1) Encher o tanque com água limpa com ¼ do volume de calda recomendado
2) Iniciar agitação no tanque
3) Colocar o saco hidrossolúvel diretamente no tanque, sem corte-lo ou abri-lo, ao colocá-lo na água ele se dissolverá rapidamente.
4) Adicionar tantos sacos hidrossolúveis quanto necessário para conseguir a dosagem recomendada.
5) Aguardar a complete dissolução do saco hidrossolúvel na água. A agitação continua é necessária para a boa mistura.

Limpeza do equipamento de aplicação:
Antes da aplicação, verifique e inicie somente com o equipamento limpo e bem conservedo. lmediatamente apos a aplicação, proceda a uma complete limpeza de todo o equipamento pare reduzir o risco da formação de dep6sitos sólidos que possam se tornar difíceis de serem removidos. O adiamento, mesmo por poucas horas, somente torna a limpeza mais difícil.
1. Com o equipamento de aplicação vazio, enxague completamente o pulverizador e faça circular água limpa pelas mangueiras, barras, bicos e difusores, removendo fisicamente, se necessário, os depósitos visíveis de produto. O material resultante desta operação deverá ser pulverizado na área tratada com o respectivo produto
2. Complete o pulverizador com água limpa. Circule esta solução pelas mangueiras, barras, filtros e bicos. Desligue a barra e encha o tanque com Água limpa. Circule pelo sistema de pulverização por 15 minutes. Circule então pelas mangueiras, barras, filtros, bicos e difusores. Esvazie o tanque na área tratada com o respectivo produto.
3. Remove e limpe os bicos, filtros e difusores em um balde com a solução de limpeza. . Enxegue completamente o pulverizador, mangueiras, barra, bicos e difusores com água limpa no mínimo 3 vezes. Limpe tudo que for associado ao pulverizador, inclusive o material usado para o enchimento do tanque.
4. Tome todas as medidas de segurança necessárias durante a limpeza. Não limpe o equipamento perto de nascentes, fontes de água ou de plantas úteis. Descarte os resíduos da limpeza de acordo com a legislação Estadual ou Municipal.
E PROIBIDA A APLICAÇÃO COM EQUIPAMENTO MANUAL OU COSTAL.

CONDICOES CLIMATICAS:
Temperatura ambiente: máxima de 30°C.
Umidade Relativa do ar: mínima de 55%.
Velocidade do vento: 2 a 10 km/hora.

Aviso ao Usuário: AVANT 750 SP deve ser utilizado exclusivamente de acordo com as recomendações de bula/rótulo. Recomendamos a leitura da Cartilha Informativa que acompanha o produto de forma complementar às informações da bula. Consulte sempre um Engenheiro Agrônomo.

Dados Relativos A Proteção saúde Humana:
(De acordo com as recomendações aprovadas pelo Órgão responsável pela Saúde Humana - ANVISA/MS).

Dados Relativos a Proteção do Meio Ambiente:
(De acordo com as recomendações aprovadas pelo Órgão responsável pelo Meio Ambiente - IBAMA/MMA).

RESTRICOES ESTADUAIS, DO DISTRITO FEDERAL E MUNICIPAIS:
De acordo com as recomendações aprovadas pelos Órgãos responsáveis.
O Engenheiro agrônomo pode alterar as condições de aplicação desde que não ultrapasse a máxima, o número máximo de aplicações e o intervalo de segurança determinados na bula.

INTERVALO DE SEGURANÇA:
Algodão, Amendoim, Couve, Batata, Brócolis, Couve-flor, Repolho, Feijão e Soja: 14 dias
Tomate e melão: 7 dias
Citros: 21 dias

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS: CONFORME APROVADO PELA ANVISA.

LIMITAÇÕES DE USO:
Quando utilizado conforme as recomendações da bula, (nome do produto) não causa fitotoxicidade às culturas indicadas.

INFORMAÇÕES SOBRE OS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL A SEREM UTILIZADOS:
VIDE DADOS RELATIVOS À PROTEÇÃO DA SAÚDE HUMANA, conforme Avaliação toxicológica da ANVISA, para cada processo.

INFORMAÇÕES SOBRE OS EQUIPAMENTOS DE APLICAÇÃO A SEREM USADOS: Vide MODO DE APLICAÇÃO.

DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TRÍPLICE LAVAGEM DA EMBALAGEM OU TECNOLOGIA EQUIVALENTE:
VIDE DADOS RELATIVOS À PROTEÇÃO DO MEIO AMBIENTE.

INFORMAÇÕES SOBRE OS PROCEDIMENTOS PARA A DEVOLUÇÃO, DESTINAÇÃO, TRANSPORTE, RECICLAGEM, REUTILIZAÇÃO E INUTILIZAÇÃO DAS EMBALAGENS VAZIAS:
VIDE DADOS RELATIVOS À PROTEÇÃO DO MEIO AMBIENTE.

INFORMAÇÕES SOBRE OS PROCEDIMENTOS PARA A DEVOLUÇÃO E DESTINAÇÃO DE PRODUTOS IMPRÓPRIOS PARA UTILIZAÇÃO OU EM DESUSO:
Vide DADOS RELATIVOS À PROTEÇÃO DO MEIO AMBIENTE.

INFORMAÇÕES SOBRE MANEJO DE RESISTÊNCIA:
Qualquer agente de controle de inseto pode se tornar menos efetivo ao longo do tempo, se o inseto desenvolver algum mecanismo de resistência. O Comitê Brasileiro de Ação a Resistência à Inseticida — IRAC-BR, recomenda as seguintes estratégias de manejo de resistência a inseticida, visando prolongar a vida útil dos inseticidas:
- Qualquer produto para controle de inseto, da mesma classe ou modo de ação, não deve ser utilizado em gerações consecutivas da praga.
- Usar somente as doses recomendadas na bula/rótulo.
- Consultar sempre um Engenheiro Agrônomo para orientação sobre o Manejo de Resistência a Inseticidas.

INFORMAÇÕES SOBRE MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS:
Incluir outros métodos de controle de pragas (Ex. controle cultural, biológico, etc.) dentro do programa de Manejo Integrado de Pragas, quando disponível e apropriado.

PRECAUÇÕES GERAIS: Não coma, não beba e não fume durante o manuseio do produto. Não utilize equipamentos com vazamento. Não distribua o produto com as mãos desprotegidas. Não desentupa bicos, orifícios e válvulas com a boca.

PRECAUÇÕES NO MANUSEIO: O produto é irritante para os olhos: Se houver contato do produto com os olhos, lave-os imediatamente e veja PRIMEIROS SOCORROS. O produto é irritante para a pele: Se houver contato do produto com a pele, lave-a imediatamente e veja PRIMEIROS SOCORROS. Use macacão com mangas compridas, chapéu de aba larga, óculos ou viseira facial, luvas, botas, avental impermeável e máscara apropriada.

PRECAUÇÕES DURANTE A APLICAÇÃO: Evite o máximo possível, o contato com a área de aplicação. Não aplique o produto contra o vento. A aplicação produz neblina, use máscara cobrindo o nariz e a boca. Use macacão com mangas compridas, chapéu de aba larga, luvas e botas.

PRECAUÇÕES APÓS A APLICAÇÃO: Não reutilize a embalagem vazia. Mantenha o restante do produto adequadamente fechado, em local trancado, longe do alcance de crianças e animais. Tome banho, troque e lave as suas roupas.

PRIMEIROS SOCORROS: Ingestão: Provoque o vômito e procure logo o médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou receituário agronômico do produto. Olhos: Lave com água em abundância e procure o médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou receituário agronômico do produto. Pele: Lave com água e sabão em abundância e se houver irritação procure o médico levando a embalagem, rótulo, bula ou receituário agronômico do produto. Inalação: Procure lugar arejado e vá ao médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou receituário agronômico do produto.

ANTÍDOTO: Sulfato de Atropina.

TRATAMENTO MÉDICO: Após aparecimento dos sintomas, use Sulfato de Atropina. Para maiores informações, vide bula.

DADOS ADICIONAIS: Mecanismos de ação, absorção e excreção para o ser humano.

EFEITOS AGUDOS E CRÔNICOS: EFEITOS COLATERAIS: É um inibidor da acetil-colinesterase; provoca um bloqueio da atividade enzimática nas terminações nervosas, o que leva a uma diminuição da hidrólise da acetilcolina e consequentemente acúmulo da mesma nestas terminações. Sintomatologia: Efeitos muscarínicos: são os mais típicos. Aumento da secreção brônquica: lacrimejamento e sudorese, náuseas, vômitos e diarréia; incontinência urinária. Miose e braquicardia. Efeitos Nicotímicos: tremores, espasmos, fasciculações, paralisias, fraqueza muscular. Taquicardia e hipertensão. Efeitos sobre SNC (Sistema Nervoso Central): ansiedade, cefaléia, tonturas, ataxia, convulsões, depressão respiratória e coma.

TRATAMENTO: Em caso de ingestão, proceder esvaziamento gástrico (lavagem gástrica ou emese). Em caso de contato ocular ou com a pele lavar com água em abundância. Após aparecimento dos sintomas : Sulfato de Atropina. A dose recomendada varia de 0,25 mg a 2 mg intramuscular ou endovenosa em intervalos regulares, a cada 10 ou 15 minutos até surgirem sinais de atropinização leve. Os derivados das oximas (Contrathion) podem ser usados na dose inicial de 20 mg (EV) seguidos por 200 mg (EV) à cada 6 horas por 72 horas. Controle de crises convulsivas e manifestações neurológicas com benzodiazepínicos, hidantoínas e fenobarbital em doses habituais. Assistência adequada as condições respiratórias, entubação orotraquial, traqueostomia e respiração artificial nos casos graves. Correção dos distúrbios hidreletrolíticos se houverem. Administração de óleo ou alimentos gordurosos como leite são contra indicados.

PRECAUÇÕES DE USO E ADVERTÊNCIAS QUANTO AOS CUIDADOS DE PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE: Este produto é PERIGOSO ao meio ambiente. Evite a contaminação ambiental. Preserve a natureza. Não utilize equipamento com vazamentos. Aplique somente as doses recomendadas. Não aplique o produto na presença de ventos fortes ou nas horas mais quentes. Não lave as embalagens ou equipamento aplicador em lagos, fontes, rios e demais corpos d'água. Não execute aplicação aérea de agrotóxicos em áreas situadas a uma distância mínima de 500 (quinhentos) metros de proteção de mananciais de captação de água para abastecimento público; e de 250 (duzentos e cinqüenta) metros de mananciais de água, moradias isoladas, agrupamentos de animais e culturas susceptíveis a danos. Observe as disposições constantes na legislação estadual e municipal concernentes à atividade aeroagrícolas. Descarte corretamente as embalagens e restos do produto - siga as instruções constantes no item Destinação Adequada de Resíduos e Embalagens. Em caso de acidente, siga corretamente as instruções constantes na bula.

INSTRUÇÕES DE ARMAZENAMENTO: Mantenha o produto em sua embalagem original. O local deve ser exclusivo para produtos tóxicos, devendo ser isolado de alimentos, bebidas e outros materiais. A construção deve ser em alvenaria ou de material não comburente. O local deve ser ventilado, coberto e ter piso impermeável. Coloque placa de advertência com os dizeres: CUIDADO VENENO. Trancar o local, evitando o acesso de pessoas não autorizadas, principalmente crianças. Deve haver sempre sacos plásticos disponíveis para envolver adequadamente embalagens rompidas ou para o recolhimento de produtos vazados. Em caso de armazéns maiores deverão ser seguidas as instruções constantes na NBR 9843. Observe as disposições constantes da legislação estadual e municipal.

INSTRUÇÕES EM CASO DE ACIDENTES: Contate as autoridades locais competentes e a Empresa. Utilize o EPI (macacão de PVC, luvas e botas de borracha, óculos protetores e máscara contra eventuais vapores). Isole e sinalize a área contaminada. Em caso de derrame, estancar o escoamento, não permitindo que o produto entre em bueiros, drenos ou cursos de águas naturais, siga as instruções: Piso pavimentado: Absorver o produto derramado com terra ou serragem. Recolher o material com auxílio de uma pá e colocar em tambores ou recipientes devidamente lacrados e identificados. Remover para a área de descarte de lixo químico. Lave o local com grande quantidade de água; Solo: retirar as camadas de terra contaminada até atingir o solo não contaminado, e adotar os mesmos procedimentos acima descritos para recolhimento e destinação adequada; Corpos d'água: interromper imediatamente o consumo humano e animal e contatar o centro de emergência da empresa, visto que as medidas a serem adotadas dependem das proporções do acidente, das características do recurso hídrico em questão e da quantidade do produto envolvido; Em caso de incêndio, use extintores de água em forma de neblina, CO2 ou pó químico ficando a favor do vento para evitar intoxicação.

PROCEDIMENTOS DE LAVAGEM, ARMAZENAMENTO, DEVOLUÇÃO, TRANSPORTE E DESTINAÇÃO DE EMBALAGENS VAZIAS E RESTOS DE PRODUTOS IMPRÓPRIOS PARA A UTILIZAÇÃO OU EM DESUSO:

ESTA EMBALAGEM NÃO PODE SER LAVADA

ARMAZENAMENTO DA EMBALAGEM VAZIA: O Armazenamento da embalagem vazia, até a devolução nas Unidades de Recebimento, deve ser em local coberto, ventilado, ao abrigo de chuva, ter piso impermeável, no próprio local das embalagens cheias. No manuseio desta embalagem usar luvas. Esta embalagem vazia deve ser armazenada, separada das não contaminadas, em sacos plásticos transparentes (Embalagens Padronizadas - modelo ABNT), todas devidamente identificadas e com lacre, que deverão ser adquiridas nos Canais de Distribuição. No manuseio desta embalagem usar luvas.

DEVOLUÇÃO DA EMBALAGEM VAZIA: É obrigatória a devolução da embalagem vazia, com tampa pelo usuário, onde foi adquirido o produto, ou no local indicado na nota fiscal emitida pelo estabelecimento comercial, no ato da compra. A devolução deve ser feita no prazo de até 01 ano da data da compra ou, até o prazo de validade do produto. O usuário deve guardar o comprovante de devolução pelo prazo mínimo de 01 ano.

TRANSPORTE: As embalagens vazias não podem ser transportadas junto com alimentos, bebidas, medicamentos, rações, animais e pessoas.

DESTINAÇÃO FINAL DAS EMBALAGENS VAZIAS: A destinação final das embalagens vazias, após a devolução pelos usuários, somente poderá ser realizada pela Empresa Registrante ou por empresas legalmente autorizadas pelos órgãos competentes.

É PROIBIDO AO USUÁRIO A REUTILIZAÇÃO E A RECICLAGEM DAS EMBALAGENS VAZIAS OU FRACIONAMENTO / REEMBALAGEM DE PRODUTOS .

EFEITOS SOBRE O MEIO AMBIENTE DECORRENTE DA DESTINAÇÃO INADEQUADA DA EMBALAGEM VAZIA E RESTOS DE PRODUTOS: A destinação inadequada de embalagens e restos de produtos no meio ambiente causa contaminação do solo, da água e do ar, prejudicando a fauna, a flora e a saúde das pessoas.

PRODUTO EM DESUSO: Caso este produto venha a se tornar impróprio para utilização, consultar o registrante através do telefone indicado no rótulo para sua devolução e destinação final.

Incluir outros métodos de controle de pragas (ex. controle cultural, biológico, etc.) dentro do programa de Manejo Integrado de Pragas (MIP) quando disponíveis e apropriados.

Qualquer agente de controle de pragas pode ficar menos efetivo ao longo do tempo devido ao desenvolvimento de resistência.
Recomendam-se as seguintes estratégias de manejo de resistência, pode-se prolongar a vida útil dos inseticidas e acaricidas:
· Qualquer produto para controle de pragas da mesma classe ou de mesmo modo de ação não deve ser utilizado em gerações consecutivas da mesma praga;
· Utilizar somente as dosagens recomendadas no rótulo/bula;
· Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para orientação sobre as recomendações locais para o manejo de resistência;

Compatibilidade

Incompatível com produtos alcalinos.