Bula Balance Prime - Bayer

Bula Balance Prime

CI
Isoxaflutol
40419
Bayer

Composição

Isoxaflutol 750 g/kg

Classificação

Terrestre
Herbicida
5 - Produto Improvável de Causar Dano Agudo
II - Produto muito perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Granulado Dispersível (WG)
Seletivo, Sistêmico

Tipo: Saco
Material: Plástico/Hidrossolúvel
Capacidade: 1 kg.

INSTRUÇÕES DE USO

BALANCE® PRIME é um herbicida aplicado na pré-emergência das plantas infestantes e da cultura da soja tolerante ao Isoxaflutole. BALANCE® PRIME atua em pré-emergência no controle tanto sobre as gramíneas como algumas dicotiledôneas.

Soja tolerante ao Isoxaflutole
• Para o controle das plantas infestantes oriundas de sementes e para evitar a mato-competição inicial das mesmas na lavoura da soja tolerante ao Isoxaflutole, aplicar BALANCE® PRIME em uma única vez, sobre o solo úmido, após o plantio da soja, na pré-emergência das plantas infestantes e na préemergência da soja tolerante ao Isoxaflutole, através de pulverizadores tratorizados.
• Utilizar um volume de calda de 100 a 200 L/ha, não sendo necessária a adição de adjuvantes.
• Em situações em que não foi possível a aplicação de BALANCE® PRIME em pré-emergência logo após o plantio da soja tolerante ao Isoxaflutole e em que não ocorreu a emergência das plantas infestantes, a aplicação de BALANCE® PRIME pode ser realizada na pós-emergência precoce das variedades de soja tolerante ao Isoxaflutole, considerando-se o período do início da germinação da soja até no máximo no estádio de desenvolvimento V2, segundo nó, quando as plantas de soja apresentam a primeira folha trifoliada totalmente desenvolvida.

MODO DE APLICAÇÃO

Para a cultura: Soja tolerante ao Isoxaflutole Aplicação terrestre BALANCE® PRIME deve ser aplicado por equipamento terrestre, através de pulverizador de arrasto tratorizado ou por equipamento autopropelido, dotados de barra de pulverização que permitam uma taxa de aplicação de 100 a 200 litros/ha de calda sobre a superfície do solo. Utilizar pulverizadores dotados de pontas de pulverização de jato plano (leque) que permitam uma cobertura homogênea e evitem a deriva, produzindo gotas com diâmetro igual ou maior a 300 µm e uma deposição mínima de 20 gotas/cm². Para esta aplicação pode-se empregar, por exemplo, as pontas XR de jato plano de uso ampliado, para a altura de trabalho da barra de 75 cm as pontas XR8004, XR8005, TP8006, TP8008 e para a altura de trabalho da barra de 50 cm as pontas XR11005, XR11006, XR e XR11008. Para as aplicações visando taxa de aplicação de calda mais baixa e com excelente controle de deriva, pode-se utilizar as pontas de jato plano com indução de ar de uso ampliado como, por exemplo, as pontas AIXR11002, AIXR110025, AIXR11003, AIXR11004, AIXR11005 e AIXR11006. Para um bom manejo da deriva, recomenda-se optar pela altura da barra de pulverização o mais próximo do solo que a regulagem do equipamento permitir. Adequar a pressão de trabalho de acordo com a vazão desejada e atendendo à velocidade de deslocamento do equipamento de pulverização e dentro das possibilidades de deslocamento de cada área de cultivo. BALANCE

PREPARO DA CALDA

Recomenda-se antes da aplicação preparar uma pré-mistura da dose recomendada em um vasilhame em separado com um pouco de água limpa, despejar a seguir esta calda no pulverizador que deverá conter água limpa até a metade de sua capacidade e misturar. Após este procedimento, completar a capacidade do reservatório do pulverizador com água, mantendo sempre o sistema em agitação antes e durante todo o processo de pulverização para manter homogênea a calda de pulverização.

Condições meteorológicas

Em aplicações com qualquer tipo de equipamento, observar as condições meteorológicas recomendadas, considerando que a umidade relativa do ar é o fator mais importante, já que determina uma maior ou menor evaporação das gotas ocasionando uma deposição irregular ou desvio acentuado do alvo desejado.

Condições meteorológicas favoráveis:
Temperatura mínima de 10ºC e máxima de 27ºC e umidade relativa do ar de mínimo, 60%. Quando as aplicações estão sendo realizadas com pontas de jato plano de uso ampliado e a temperatura estiver próxima aos 27ºC, a velocidade do vento durante as pulverizações deve atingir, no máximo, 6 km/h. Quando estão sendo utilizadas pontas de jato plano com indução de ar de uso ampliado em que as gotas produzidas são maiores, o limite de velocidade do vento, durante as aplicações à temperatura até 27ºC, pose ser ampliado para 12 km/h. Como ocorrem as variações de temperatura, umidade relativa e velocidade do vento, deve-se adequar os parâmetros de trabalho do equipamento, como velocidade de deslocamento na área, vazão total da barra e pressão de trabalho no sistema do pulverizador de acordo com as condições meteorológicas no momento e durante a aplicação. Obs.: Recomenda-se o uso de anti-gotejantes nas pontas de pulverização e durante as aplicações, evitar a sobreposição de barras.

INTERVALO DE SEGURANÇA

Soja tolerante ao Isoxaflutole: Não determinado devido à modalidade de uso.

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS ÁREAS TRATADAS

Não entre na área em que o produto foi aplicado antes da secagem completa da calda (no mínimo 24 horas após a aplicação). Caso necessite entrar antes desse período, utilize os equipamentos de proteção individual (EPIs) recomendados para uso durante a aplicação.

LIMITAÇÕES DE USO

• Não aplicar o herbicida em áreas que receberam calagens pesadas em intervalo menor que 90 dias.
• BALANCE® PRIME é um herbicida pré-emergente devendo ser utilizado somente na cultura e modalidade para a qual está registrado, observando atentamente as instruções de uso do produto.
• Como se trata de um herbicida para aplicação em pré-emergência das plantas infestantes, os melhores resultados são obtidos quando o solo se encontra bem preparado e livre de torrões.
• Não aplicar em solos que se encontram encharcados ou com drenagem prejudicada.
• Não aplicar em solos leves com menos de 1% de matéria orgânica.
• Evitar a utilização de herbicidas, inclusive BALANCE® PRIME, em áreas sujeitas à erosão e ao escoamento superficial.
• Para qualquer tipo de solo, realizar uma única aplicação por ano, utilizando as doses recomendadas de acordo com a classe textural do solo.

Para a cultura da soja tolerante ao Isoxaflutole:

• O uso de herbicida BALANCE® PRIME em pré-emergência da cultura da soja, é restrito ao uso apenas nos casos em que a cultivar de soja seja indicada como tolerante a Isoxaflutole e sua semente identificada como passível deste uso.
• Se utilizado em cultivares de soja que não sejam identificados na embalagem de suas sementes como aptas às aplicações de BALANCE® PRIME, pode resultar em danos severos à cultura.
• BALANCE® PRIME quando utilizado nas doses recomendadas e dentro das instruções de uso, não causará danos à variedade cultivar indicada.
• Não aplicar o produto em períodos extremamente secos, sem umidade no solo. Aplicar quando a umidade é favorável à germinação da soja e das plantas infestantes.
• No sistema de plantio direto da soja tolerante ao Isoxaflutole, aplicar BALANCE PRIME somente após a operação de dessecação das plantas infestantes a qual deverá ser realizada com antecedência suficiente para que a pulverização do BALANCE PRIME atinja o solo de forma mais homogênea possível.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Sempre que houver disponibilidade de informações sobre programas de Manejo Integrado, provenientes da pesquisa pública ou privada, recomenda-se que estes programas sejam implementados.

O uso sucessivo de herbicidas do mesmo mecanismo de ação para o controle do mesmo alvo pode contribuir para o aumento da população da planta daninha alvo resistente a esse mecanismo de ação, levando a perda de eficiência do produto e um consequente prejuízo. Como prática de manejo de resistência de plantas daninhas e para evitar os problemas com a resistência, seguem algumas recomendações:
• Rotação de herbicidas com mecanismos de ação distintos do Grupo F2 (isoxazol) para o controle do mesmo alvo, quando apropriado.
• Adotar outras práticas de controle de plantas daninhas seguindo as boas práticas agrícolas.
• Utilizar as recomendações de dose e modo de aplicação de acordo com a bula do produto.
• Sempre consultar um engenheiro agrônomo para o direcionamento das principais estratégias regionais para o manejo de resistência e a orientação técnica da aplicação de herbicidas.
• Informações sobre possíveis casos de resistência em plantas daninhas devem ser consultados e, ou, informados à: Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas (SBCPD: www.sbcpd.org), Associação Brasileira de Ação à Resistência de Plantas Daninhas aos Herbicidas (HRAC-BR: www.hracbr.org), Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA: www.agricultura.gov.br).