Bula Blowout - Albaugh

Bula Blowout

Dibrometo de diquate; Diquate
19417
Albaugh

Composição

Dibrometo de diquate 200 g/L
Diquate 200 g/L

Classificação

Herbicida
I - Produto Extremamente Tóxico
II - Produto muito perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Concentrado Solúvel (SL)
Não seletivo, Não sistêmico

Soja

Cardiospermum halicacabum (Saco de padre)

Tipo: Bombona; Material: PET; Capacidade: 5;10 e 20 L.
Tipo: Frasco; Material: Plástico e PET; Capacidade: 1,0 L.
Tipo: Tambor; Material: Plástico; Capacidade; 200 L
Tipo: Tanque; Material: PET; Capacidade: 1000 L

INSTRUÇÕES DE USO DO PRODUTO: BLOWOUT é um herbicida não seletivo de ação por contato, apresentado na forma de concentrado solúvel, pertencente ao grupo químico bipiridílio.
CULTURAS, PLANTAS INFESTANTES E DOSES: DlQUAT 200 SL RAINBOW é indicado para uso em dessecação na cultura da soja.
ÍNICIO, NUMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÕES: Uma aplicação por ciclo da cultura.
MODO DE APLICAÇÃO:
BLOWOUT deve ser aplicado somente nas dosagens recomendadas diluído em agua, em pulverização com jato dirigido ou em área total.
Equipamentos de Aplicação: BLOWOUT poderá ser aplicado através de pulverizadores costal manual ou costal pressurizado, pulverizador tratorizado convencional e através de aeronave agrícola. Os equipamentos de pulverização devem ser equipados com filtros adequados a cada tipo de bico.
- Pulverizador de Barra Tratorizado Bico tipo leque da série 80 ou 110, pressão entre 30 a 40 lb/pol², aplicando entre 200 a 300 L de calda/ha.
Obs.: Para pulverização nas entrelinhas, através de jato dirigido, utilizar os protetores de bicos, evitando que a deriva atinja a cultura.
- Pulverizador costal Bico tipo leque da série 80 ou 110, pressão entre 15 a 20 lb/pol², aplicando um volume de calda mínimo e 200 L de calda/ha.
Aplicação através de aeronave agrícola (avião acoplado de barra aplicadora):
Bico tipo cônico, pontas D6 e D12 provido de caracóis e placas com orifícios (angulo de 90°), pressão: 25 lb/pol², volume de calda = 30 a 40 L de calda/ha.
Altura do voo: 2 a 3 m, faixa de deposição: 12 a 15 m. Tamanho de gotas entre 250 a 300 micras, e 30 a 40 gotas/cm². O diâmetro de gotas deve ser ajustado para cada volume de pulverização para adequar a densidade. Evitar as perdas por deriva e evaporação.
- Condições climáticas:
Temperatura máxima: 28°C;
Umidade relativa (mínimo): 55%;
Velocidade do vento (máximo): 10 Km/h.
Observações locais deverão ser realizadas visando reduzir ao máximo as perdas por volatização ou deriva.
Instruções para preparo da calda de pulverização: Encher o tanque do pulverizador com água até a metade de seu volume e adicionar BLOWOUT. Manter o misturador mecânico ou o retorno em funcionamento e completar o volume do tanque com água. Manter a agitação da calda de forma continua durante seu preparo.
INTERVALO DE SEGURANÇA:
Soja: 7 dias
INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS:
Não entre na área em que o produto foi aplicado antes da secagem completa da calda (no mínimo 24 horas após a aplicação). Caso necessite de entrar antes desse período, utilize os equipamentos de proteção individual (EPIs) recomendados para o uso durante a aplicação.
LIMITAÇÕES DE USO:
- Uso exclusivo para culturas agrícolas.
- Fitotoxicidade para as culturas indicadas: BLOWOUT não é fitotóxico às culturas quando aplicado nas modalidades e doses recomendadas.
- O produto é um herbicida de contato, portanto, durante a aplicação, deve-se evitar que a deriva atinja a cultura para evitar a fitotoxicidade.
- O produto deve ser utilizado única e exclusivamente conforme a recomendação.
- Depois de um período de seca é importante esperar que o solo tenha sido completamente molhado pela chuva em volta das raízes. Não aplicar com solo seco.
- A calda deve ser aplicada no mesmo dia da preparação. A utilização da mesma preparada de um dia para o outro pode reduzir a eficiência do produto.
- Recomenda-se consultar um Engenheiro Agrônomo para maiores informações.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Sempre que houver disponibilidade de informações sobre programas de Manejo Integrado, provenientes da pesquisa pública ou privada, recomenda-se que estes programas sejam implementados.

O uso continuado de herbicidas com o mesmo mecanismo de ação pode contribuir para o aumento de população de plantas daninhas a ele resistentes. Como prática de manejo de resistência de plantas infestantes deverão ser aplicados herbicidas, com diferentes mecanismos de ação, devidamente registrados para a cultura. Não havendo produtos alternativos, recomenda-se a rotação de culturas que possibilite o uso de herbicidas com diferentes mecanismos de ação. Para maiores esclarecimentos, consulte um engenheiro agrônomo.