Bula Boiadeiro 800 WG - AllierBrasil

Bula Boiadeiro 800 WG

acessos
Fipronil
29017
AllierBrasil

Composição

Fipronil 800 g/kg Fenilpirazol

Classificação

Formicida, Inseticida, Cupinicida
I - Extremamente tóxica
II - Produto muito perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Granulado Dispersível (WG)
Contato, Ingestão

Algodão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Bicudo
(Anthonomus grandis)
100 g p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha - Realizar no máximo 3 aplicações, com intervalo de 7 dias 30 dias Iniciar as aplicações com o produto quando forem encontradas 5% das estruturas de frutificação danificadas
Curuquerê
(Alabama argillacea)
30 g p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha - Aplicação única 30 dias Aplicar o produto quando forem encontradas em média 1 (uma) lagarta por planta quando a cultura não tiver “maçãs” abertas; ou quando forem encontradas em média 2 (duas) lagartas por planta e a cultura já possuir “maçãs” abertas
Tripes
(Frankliniella schultzei)
15 g p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha - Aplicação única 30 dias Aplicar o produto quando forem encontradas plantas com folhas deformadas e em média 6 tripes/planta, até a idade quando a praga provoca dano econômico (15 a 20 dias após a emergência da cultura)
Batata Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Larva alfinete
(Diabrotica speciosa (larva alfinete))
200 g p.c./ha 150 a 300 L de calda/ha - Aplicação única Não determinado por se tratar de tratamento de solo Realizar uma aplicação complementar no momento da “amontoa” (15 a 25 dias após a semeadura), cobrindo o produto imediatamente com terra após a aplicação
Larva alfinete
(Diabrotica speciosa (larva alfinete))
150 g p.c./ha 150 a 300 L de calda/ha - Aplicação única Não determinado por se tratar de tratamento de solo Aplicar o produto em jato dirigido no sulco de plantio da cultura no momento da semeadura na dose de 150 g de produto comercial/ha com equipamento adaptado e bico de jato plano (leque)
Cana-de-açúcar (Plantio) Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Broca da cana
(Migdolus fryanus)
500 g p.c./ha 300 L calda/ha (sulco de plantio) - Aplicação única Não determinado por se tratar de tratamento de solo Aplicar o produto com auxílio de pulverizadores tratorizados adaptados com bico de jato plano (leque) no sulco de plantio no momento da semeadura da cultura
Broca da cana
(Migdolus fryanus)
650 g p.c./ha 300 L calda/ha (sulco de plantio) - Realizar a aplicação parcelada Não determinado por se tratar de tratamento de solo Em áreas de alta infestação utilizar o parcelamento de doses, com a aplicação de 400 g de produto comercial/ha, pulverizado-se na base do arado de aiveca, formando uma barreira química no subsolo contra o ataque da praga, complementado com a dose de 250 g de produto comercial/ha, aplicado-se no sulco de plantio no momento da realização da semeadura da cultura
Broca do colmo
(Diatraea saccharalis)
500 g p.c./ha 300 L calda/ha (sulco de plantio) - Aplicação única Não determinado por se tratar de tratamento de solo Aplicar o produto preventivamente no sulco de plantio no momento da semeadura da cultura com auxílio de pulverizadores adaptados com bicos de jato plano (leque)
Cupim
(Heterotermes tenuis)
200 a 250 g p.c./ha 300 L calda/ha (sulco de plantio) - Aplicação única Não determinado por se tratar de tratamento de solo Aplicar o produto preventivamente no sulco de plantio no momento da semeadura da cultura com auxílio de pulverizadores adaptados com bicos de jato plano (leque). Utilizar as doses mais baixas 200 g de produto comercial/ha para controle de cupins em área onde as infestações sejam reconhecidamente baixas. Aplicar a dose maior, 250 g de produto comercial/ha, para níveis de infestações médios a altos
Cupim
(Neocapritermes opacus)
200 a 250 g p.c./ha 300 L calda/ha (sulco de plantio) - Aplicação única Não determinado por se tratar de tratamento de solo Aplicar o produto preventivamente no sulco de plantio no momento da semeadura da cultura com auxílio de pulverizadores adaptados com bicos de jato plano (leque). Utilizar as doses mais baixas 200 g de produto comercial/ha para controle de cupins em área onde as infestações sejam reconhecidamente baixas. Aplicar a dose maior, 250 g de produto comercial/ha, para níveis de infestações médios a altos
Cupim
(Procornitermes triacifer)
200 a 250 g p.c./ha 300 L calda/ha (sulco de plantio) - Aplicação única Não determinado por se tratar de tratamento de solo Aplicar o produto preventivamente no sulco de plantio no momento da semeadura da cultura com auxílio de pulverizadores adaptados com bicos de jato plano (leque). Utilizar as doses mais baixas 200 g de produto comercial/ha para controle de cupins em área onde as infestações sejam reconhecidamente baixas. Aplicar a dose maior, 250 g de produto comercial/ha, para níveis de infestações médios a altos
Cupim
(Cornitermes cumulans)
200 a 250 g p.c./ha 300 L calda/ha (sulco de plantio) - Aplicação única Não determinado por se tratar de tratamento de solo Aplicar o produto preventivamente no sulco de plantio no momento da semeadura da cultura com auxílio de pulverizadores adaptados com bicos de jato plano (leque). Utilizar as doses mais baixas 200 g de produto comercial/ha para controle de cupins em área onde as infestações sejam reconhecidamente baixas. Aplicar a dose maior, 250 g de produto comercial/ha, para níveis de infestações médios a altos
Saúva parda
(Atta capiguara)
1 a 2 g p.c./ha 50 mL de calda/olheiro - Aplicação única Não determinado por se tratar de tratamento de solo Aplicar o produto de forma dirigida através de pulverizador costal, procurando-se atingir o centro do "olheiro" e mais parte do caminho por onde caminham as formigas (0,5 metro), procurando atingir os indivíduos ali presentes e também o solo por onde os mesmos estiverem circulando
Cana-de-açúcar (Soca) Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Cupim
(Heterotermes tenuis)
250 g p.c./ha 300 L de calda/ha - Aplicação única 30 dias Aplicar o produto com equipamentos pulverizadores adaptados para tal função, abrindo-se um sulco lateral de cada lado da soqueira, procurando-se sempre colocar o produto abaixo do nível do solo e na região de maior ocorrência de raízes da cultura. Aplicar somente após ser constatado a presença da praga na área, e acima do nível de dano econômico
Cupim
(Neocapritermes opacus)
250 g p.c./ha 300 L de calda/ha - Aplicação única 30 dias Aplicar o produto com equipamentos pulverizadores adaptados para tal função, abrindo-se um sulco lateral de cada lado da soqueira, procurando-se sempre colocar o produto abaixo do nível do solo e na região de maior ocorrência de raízes da cultura. Aplicar somente após ser constatado a presença da praga na área, e acima do nível de dano econômico
Cupim
(Cornitermes cumulans)
250 g p.c./ha 300 L de calda/ha - Aplicação única 30 dias Aplicar o produto com equipamentos pulverizadores adaptados para tal função, abrindo-se um sulco lateral de cada lado da soqueira, procurando-se sempre colocar o produto abaixo do nível do solo e na região de maior ocorrência de raízes da cultura. Aplicar somente após ser constatado a presença da praga na área, e acima do nível de dano econômico
Cupim
(Procornitermes triacifer)
250 g p.c./ha 300 L de calda/ha - Aplicação única 30 dias Aplicar o produto com equipamentos pulverizadores adaptados para tal função, abrindo-se um sulco lateral de cada lado da soqueira, procurando-se sempre colocar o produto abaixo do nível do solo e na região de maior ocorrência de raízes da cultura. Aplicar somente após ser constatado a presença da praga na área, e acima do nível de dano econômico
Saúva parda
(Atta capiguara)
1 a 2 g p.c./ha 50 mL de calda/olheiro - Aplicação única 30 dias Aplicar o produto de forma dirigida através de pulverizador costal, procurando-se atingir o centro do "olheiro" e mais parte do caminho por onde caminham as formigas (0,5 metro), procurando atingir os indivíduos ali presentes e também o solo por onde os mesmos estiverem circulando
Eucalipto (Viveiro) Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Cupim de montículo
(Syntermes molestus)
500 g p.c./100 L de água - - Aplicação única Não determinado por referir-se a tratamento de mudas de eucalipto antes do plantio Preparar uma calda inseticida contendo 0,5% do produto e realizar a imersão das bandejas com as mudas durante 30 segundos, em seguida retirá-las e deixar escorrer o excesso de calda por 2 minutos. Aguardar a secagem das bandejas antes de efetuar o plantio das mudas
Cupim de montículo
(Syntermes molestus)
125 g p.c./ha 20 mL de calda/planta - Aplicação única Não determinado por referir-se a tratamento de mudas de eucalipto antes do plantio Aplicar o produto logo após o plantio das mudas dirigindo o jato para a região do solo e o caule das plantas. Fazer uma leve incorporação após a aplicação da calda com o produto
Cupim do chifre
(Cornitermes bequaerti)
500 g p.c./100 L de água - - Aplicação única Não determinado por referir-se a tratamento de mudas de eucalipto antes do plantio Preparar uma calda inseticida contendo 0,5% do produto e realizar a imersão das bandejas com as mudas durante 30 segundos, em seguida retirá-las e deixar escorrer o excesso de calda por 2 minutos. Aguardar a secagem das bandejas antes de efetuar o plantio das mudas
Cupim do chifre
(Cornitermes bequaerti)
125 g p.c./ha 20 mL de calda/planta - Aplicação única Não determinado por referir-se a tratamento de mudas de eucalipto antes do plantio Aplicar o produto logo após o plantio das mudas dirigindo o jato para a região do solo e o caule das plantas. Fazer uma leve incorporação após a aplicação da calda com o produto
Milho Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Larva alfinete
(Diabrotica speciosa (larva alfinete))
100 g p.c./ha 250 a 300 L calda/ha (sulco de plantio) - Aplicação única Não determinado por se tratar de tratamento de solo Aplicar o produto preventivamente em jato dirigido no sulco de plantio no momento da realização da semeadura, com equipamento adaptado e bico de jato plano (leque), cobrindo-se o produto que foi pulverizado imediatamente com terra
Larva pão de galinha
(Diloboderus abderus)
100 g p.c./ha 250 a 300 L calda/ha (sulco de plantio) - Aplicação única Não determinado por se tratar de tratamento de solo Aplicar o produto no sulco de plantio no momento da semeadura com o auxílio de pulverizadores específicos de tal forma a se dar uma distribuição homogênea do produto
Soja Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Tamanduá da soja
(Sternechus subsignatus)
40 g p.c./ha 100 a 200 L de calda/ha - Realizar no máximo duas aplicações 60 dias Aplicar o produto assim que for constatada a presença de adultos do inseto na área, através de equipamento dotado de bico de jato cônico, repetindo se necessário até que a cultura atinja a idade entre 35 e 40 dias, que é quando a mesma deixa de ser alvo do ataque desta praga

0,1; 0,2; 0,25; 0,5; 1,0; 5,0; 20,0; 50; 100 kg

BOIADEIRO 800 WG deve ser aplicado somente através de pulverização terrestre, diluído em água somente nas dosagens recomendadas. Equipamentos de aplicação: O produto pode ser aplicado através de equipamentos tratorizados adaptados, com bico de jato leque (plano) ou cônico, dependendo do alvo a ser atingido; ou pulverizador costal manual. Procurar sempre colocar o produto no local de ocorrência da praga a ser controlada. Utilizar pulverizador costal para o controle de formigas.
Bico: jato em cone da Série X ou D coma, por exemplo, JA-2, D2 ou similares ou em jato leque Twinjet 8003 VB, dependendo do alvo a ser atingido.
Pressão: 20 a 80 lb/pol2
Tamanho de gotas: 110 a 250 micras de diâmetro
Densidade de gotas: mínimoe 40 gotas/cm²
Eucalipto: Pulverizadores costal manual manual e tratorizados.
Bicos: utilizar bicos de jato cônico vazio com combinação adequada de ponta e difusor (core) de maneira que se obtenha uma cobertura uniforme do alvo a ser atingido.
Condições climáticas: Não aplicar o produto com ventos superiores a 10 km/h, não aplicar sob chuva; temperatura deverá ser inferior a 27°C; umidade relativa deverá ser superior a 55%. Observações locais deverão ser realizadas visando reduzir ao máximo as perdas por volatilização ou deriva.
Instruções para preparo da calda de pulverização: Encher ¾ do volume do tanque de pulverizaç��o com água e adicionar BOIADEIRO 800 WG mantendo o misturador mecânico ou o retorno em funcionamento e completar o volume do tanque com água. A agitação da calda deve ser contínua durante o preparo da calda e durante a operação de aplicação da calda. Lavagem do equipamento de pulverização: Somente utilizar equipamentos limpos e devidamente conservados. Após a aplicação do produto, realizar lavagem completa do equipamento.
INTERVALO DE SEGURANÇA:
Algodão: 30 dias;
Batata: não determinado por se tratar de tratamento de solo;
Cana-de-açúcar (aplicação no sulco de plantio): não determinado por se tratar de tratamento de solo;
Canade-açúcar (aplicação foliar): 30 dias;
Eucalipto: não determinado por referir-se a tratamento de mudas de eucalipto antes do plantio.
Milho: não determinado por se tratar de tratamento de solo;
Soja: 60 dias.
INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS:
Não entrar na área em que o produto foi aplicado antes da secagem completa da calda (no mínimo 24 horas após a aplicação). Caso necessite de entrar antes deste período, utilize os equipamentos de proteção individual (EPIs) recomendados para o uso durante a aplicação.
LIMITAÇÕES DE USO:
Somente utilizar as doses recomendadas. Desde que sejam seguidas as recomendações de uso, não ocorre fitotoxicidade para as plantas tratadas. Os usos do produto estão restritos aos indicados no rótulo e na bula. O produto é incompatível com produtos de reação altamente alcalina como a calda bordalesa e calda sulfocálcica. Não e recomendada a sua mistura com produtos de reação fortemente alcalina, como com qualquer outro agrotóxico. Este produto é tóxico para abelhas. A aplicação aérea NÃO É PERMITIDA. Não aplique este produto em época de floração, nem imediatamente antes do florescimento ou quando for observada visitação de abelhas na cultura. O descumprimento dessas determinações constitui crime ambiental, sujeito a penalidades.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Recomenda-se, de maneira geral, o manejo integrado das pragas, envolvendo todos os princípios e medidas disponíveis e viáveis de controle (ex. controle cultural, biológico, etc.)

Qualquer agente de controle de insetos pode ficar menos efetivo ao longo do tempo devido ao desenvolvimento de resistência. Utilizando-se as seguintes estratégias de Manejo de Resistência a Inseticidas (MRI), pode-se prolongar a vida útil dos inseticidas:
- Qualquer produto para controle de insetos da mesma classe ou modo de ação não deve ser utilizado em gerações consecutivas da mesma praga.
- Utilizar somente as doses recomendadas no rótulo/bula.
- Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para orientação sobre as recomendações locais para o manejo de resistência.