Bula Clorotalonil 500 SC

acessos
Clorotalonil
16117
AllierBrasil

Composição

Clorotalonil 500 g/L Carbonitrilas

Classificação

Fungicida
II - Altamente tóxico
II - Produto muito perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Suspensão Concentrada (SC)
Contato
Amendoim Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mancha barrenta
(Phoma arachidicola)
2,5 a 3,5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha 30 a 40 L de calda/ha (aéreo) Realizar no máximo quatro aplicações com intervalo de 7 - 10 dias. 14 dias. Iniciar as aplicações do produto logo ao aparecimento dos primeiros sintomas das doenças
Mancha castanha
(Cercospora arachidicola)
2,5 a 3,5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha 30 a 40 L de calda/ha (aéreo) Realizar no máximo quatro aplicações com intervalo de 7 - 14 dias. 14 dias. Iniciar as aplicações do produto logo ao aparecimento dos primeiros sintomas das doenças
Mancha preta
(Pseudocercospora personata)
2,5 a 3,5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha 30 a 40 L de calda/ha (aéreo) Realizar no máximo quatro aplicações com intervalo de 7 - 10 dias. 14 dias. Iniciar as aplicações do produto logo ao aparecimento dos primeiros sintomas das doenças
Verrugose
(Sphaceloma arachidis)
2,5 a 3,5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha 30 a 40 L de calda/ha (aéreo) Realizar no máximo quatro aplicações com intervalo de 7 - 10 dias. 14 dias. Iniciar as aplicações do produto logo ao aparecimento dos primeiros sintomas das doenças
Arroz Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mancha parda
(Bipolaris oryzae)
2,5 a 3 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha 30 a 40 L de calda/ha (aéreo) Realizar no máximo 3 aplicações. 15 dias. Iniciar as aplicações do produto no início do emborrachamento, reaplicar na emissão das panículas e no florescimento
Banana Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mal da sigatoka
(Mycosphaerella musicola)
1 a 2 L p.c./ha 250 a 500 L de calda/ha 30 a 40 L de calda/ha (aéreo) Realizar no máximo seis aplicações. Sem restrições. Iniciar as aplicações do produto em novembro, reaplicar ao surgimento dos sintomas da doença. Repetir as aplicações cada 15 dias até fins de maio ou início de junho
Batata Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Pinta preta grande
(Alternaria solani)
2,5 a 3,5 L p.c./ha 600 a 900 L de calda/ha - Realizar no máximo seis aplicações com intervalo de 7 - 10 dias. 7 dias. Iniciar as aplicações do produto logo ao aparecimento dos primeiros sintomas das doenças
Requeima
(Phytophthora infestans)
2,5 a 3,5 L p.c./ha 600 a 900 L de calda/ha - Realizar no máximo seis aplicações com intervalo de 7 - 10 dias. 7 dias. Iniciar as aplicações do produto logo ao aparecimento dos primeiros sintomas das doenças
Berinjela Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mancha de stemphylium
(Stemphylium solani)
400 mL p.c./100L água 600 a 900 L de calda/ha - Realizar no máximo cinco aplicações com intervalo de 7 - 10 dias. 7 dias. Iniciar as aplicações do produto logo ao aparecimento dos primeiros sintomas das doenças
Seca de ponteiros
(Phoma exigua var. exigua)
400 mL p.c./100L água 600 a 900 L de calda/ha - Realizar no máximo cinco aplicações com intervalo de 7 - 10 dias. 7 dias. Iniciar as aplicações do produto logo ao aparecimento dos primeiros sintomas das doenças
Cenoura Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mancha das folhas
(Cercospora carotae)
400 mL p.c./100L água 600 a 900 L de calda/ha - Realizar no máximo quatro aplicações com intervalo de 7 - 10 dias. 7 dias. Iniciar as aplicações do produto logo ao aparecimento dos primeiros sintomas das doenças
Mancha de alternaria
(Alternaria dauci)
400 mL p.c./ha 600 a 900 L de calda/ha - Realizar no máximo quantro aplicações com intervalo de 7 dias. Iniciar as aplicações do produto logo ao aparecimento dos primeiros sintomas das doenças
Citros Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Verrugose
(Elsinöe fawcetti)
300 mL p.c./100L água 4 a 10 L de calda/ha - Realizar no máximo duas aplicações. 7 dias. Realizar a primeira aplicação do produto, quando dois terços das pétalas já caíram e a segunda aplicação no início da frutificação (frutos com 0,3 a 0,5 cm de diâmetro)
Feijão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Antracnose
(Colletotrichum lindemuthianum)
2 a 3 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha 30 a 40 L de calda/ha (aéreo) Realizar no máximo três aplicações com intervalo de 10 - 15 dias. 14 dias. Iniciar as aplicações 30 dias após o plantio e repetir as aplicações a cada 10-15 dias
Gladíolo Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Ferrugem
(Uromyces transversalis)
600 a 900 L p.c./ha 600 a 900 L de calda/ha - Realizar no máximo quatro aplicações com intervalo de 7 - 10 dias. Uso não alimentar. Iniciar as aplicações do produto logo ao aparecimento dos primeiros sintomas das doenças e repetir as aplicações a cada 7 a 10 dias
Melancia Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Antracnose
(Colletotrichum orbiculare)
400 mL p.c./100L água 600 a 900 L de calda/ha - Realizar no máximo seis aplicações com intervalo de 7 - 10 dias. 7 dias. Iniciar as aplicações do produto logo ao aparecimento dos primeiros sintomas das doenças
Míldio
(Pseudoperonospora cubensis)
400 mL p.c./100L água 600 a 900 L de calda/ha - Realizar no máximo seis aplicações com intervalo de 7 - 10 dias. 7 dias. Iniciar as aplicações do produto logo ao aparecimento dos primeiros sintomas das doenças
Melão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Antracnose
(Colletotrichum orbiculare)
400 mL p.c./100L água 600 a 900 L de calda/ha - Realizar no máximo quatro aplicações com intervalo de 7 - 10 dias. 7 dias. Iniciar as aplicações do produto logo ao aparecimento dos primeiros sintomas das doenças
Míldio
(Pseudoperonospora cubensis)
400 mL p.c./100L água 600 a 900 L de calda/ha - Realizar no máximo quatro aplicações com intervalos de 7 - 10 dias. 7 dias. Iniciar as aplicações do produto logo ao aparecimento dos primeiros sintomas das doenças
Pepino Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Antracnose
(Colletotrichum orbiculare)
400 mL p.c./100L água 600 a 900 L de calda/ha - Realizar no máximo quatro aplicações com intervalo de 7 - 10 dias. 7 dias. Iniciar as aplicações do produto logo ao aparecimento dos primeiros sintomas das doenças
Míldio
(Pseudoperonospora cubensis)
400 mL p.c./100L água 600 a 900 L de calda/ha - Realizar no máximo quantro aplicações com intervalo de 7 - 10 dias. 7 dias. Iniciar as aplicações do produto logo ao aparecimento dos primeiros sintomas das doenças
Pimentão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mancha de stemphylium
(Stemphylium solani)
400 mL p.c./100L água 600 a 900 L de calda/ha - Realizar no máximo três aplicações com intervalo de 7 - 10 dias. 7 dias. Iniciar as aplicações do produto logo ao aparecimento dos primeiros sintomas das doenças
Seca de ponteiros
(Phoma exigua var. exigua)
400 mL p.c./100L água 600 a 900 L de calda/ha - Realizar no máximo três aplicações com intervalo de 7 - 10 dias. 7 dias. Iniciar as aplicações do produto logo ao aparecimento dos primeiros sintomas das doenças
Rosa Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Míldio
(Peronospora sparsa)
400 mL p.c./100L água 600 a 900 L de calda/ha - Realizar no máximo quatro aplicações com intervalo de 7 - 10 dias. 7 dias. Iniciar as aplicações do produto logo ao aparecimento dos primeiros sintomas das doenças
Mofo cinzento
(Botrytis cinerea)
400 mL p.c./100L água 600 a 900 L de calda/ha - Realizar no máximo quatro aplicações com intervalo de 7 - 10 dias. Uso não alimentar. Iniciar as aplicações do produto logo ao aparecimento dos primeiros sintomas das doenças
Soja Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mancha parda
(Septoria glycines)
2 a 3 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha 30 a 40 L de calda/ha (aéreo) Realizar no máximo duas aplicações com intervalo de 15 - 20 dias. - Iniciar as aplicações no florescimento e reaplicar 15 a 20 dias
Míldio
(Peronospora manshurica)
2 a 3 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha 30 a 40 L de calda/ha (aéreo) Realizar no máximo duas aplicações com intervalo de 15 - 20 dias. - Iniciar as aplicações no florescimento e reaplicar 15 a 20 dias
Tomate Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mancha de stemphylium
(Stemphylium solani)
400 mL p.c./100L água 600 a 900 L de calda/ha - Realizar no máximo seis aplicações com intervalo de 7 - 10 dias. 7 dias. Iniciar as aplicações do produto logo ao aparecimento dos primeiros sintomas das doenças
Pinta preta grande
(Alternaria solani)
400 mL p.c./100L água 600 a 900 L de calda/ha - Realizar no máximo seis aplicações com intervalo de 7 - 10 dias. 7 dias. Iniciar as aplicações do produto logo ao aparecimento dos primeiros sintomas das doenças
Requeima
(Phytophthora infestans)
400 mL p.c./100L água 600 a 900 L de calda/ha - Realizar no máximo seis aplicações com intervalo de 7 - 10 dias. 7 dias. Iniciar as aplicações do produto logo ao aparecimento dos primeiros sintomas das doenças
Septoriose
(Septoria lycopersici)
400 mL p.c./100L água 600 a 900 L de calda/ha - Realizar no máximo seis aplicações com intervalo de 7 - 10 dias. 7 dias. Iniciar as aplicações do produto logo ao aparecimento dos primeiros sintomas das doenças
Trigo Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Ferrugem da folha
(Puccinia triticina)
2 a 3 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha 30 a 40 L de calda/ha (aéreo) Realizar no máximo três aplicações conforme descrito na época. 30 dias. Iniciar as aplicações do produto na fase de emborrachamento e reaplicar na fase de florescimento. Havendo necessidade, efetuar a terceira aplicação na fase de espigamento
Ferrugem do colmo
(Puccinia graminis)
2 a 3 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha 30 a 40 L de calda/ha (aéreo) Realizar no máximo três aplicações conforme descrito na época. 30 dias. Iniciar as aplicações do produto na fase de emborrachamento e reaplicar na fase de florescimento. Havendo necessidade, efetuar a terceira aplicação na fase de espigamento
Mancha das glumas
(Stagonospora nodorum)
2 a 3 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha 30 a 40 L de calda/ha (aéreo) Realizar no máximo três aplicações conforme descrito na época. 30 dias. Iniciar as aplicações do produto na fase de emborrachamento e reaplicar na fase de florescimento. Havendo necessidade, efetuar a terceira aplicação na fase de espigamento
Uva Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Antracnose
(Elsinöe ampelina)
400 mL p.c./100L água 2 a 3 L de calda / planta - Realizar no máximo três aplicações com intervalo de 7 dias. 7 dias. Iniciar as aplicações do produto no início da brotação e repetir as aplicações a cada 7 dias até o florescimento
Antracnose
(Colletotrichum gloeosporioides)
400 mL p.c./100L água 2 a 3 L de calda / planta - Realizar no máximo três aplicações com intervalo de 7 dias. 7 dias. Iniciar as aplicações do produto no início da brotação e repetir as aplicações a cada 7 dias até o florescimento
Míldio
(Plasmopara viticola)
até 400 mL p.c./100 kg de sementes - - - 7 Início da brotação
Mofo cinzento
(Botrytis cinerea)
400 mL p.c./100L água 2 a 3 L de calda / planta - Realizar no máximo três aplicações com intervalo de 7 dias. 7 dias. Iniciar as aplicações do produto no início da brotação e repetir as aplicações a cada 7 dias até o florescimento

Tipo: Balde
Material: Metálico
Capacidade: 10; 20 L

Tipo: Bombona
Material: Metálico/ Plástico
Capacidade: 5,0; 6,0; 10; 25; 50 L

Tipo: Frasco
Material: Metálico/ Plástico
Capacidade: 1,0; 5,0; 10 L

INSTRUÇÕES DE USO:
CLOROTALONIL 500 SC é um fungicida ação de contato, do grupo químico isoftalinitrila, que contém o ingrediente ativo clorotalonil, 500 g/L, na formulação suspensão concentrada, indicado para o controle de doenças fúngicas nas culturas de amendoim, arroz, banana, batata, berinjela, cenoura, citros, feijão, gladíolo, melão, melancia, pepino, pimentão, rosa, soja, tomate, trigo e uva.

INÍCIO, NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÕES:

Amendoim: Iniciar as aplicações do produto logo ao aparecimento dos primeiros sintomas das doenças e repetir as aplicações a cada 7 a 10 dias.
Realizar até 4 aplicações por ciclo da cultura.
Volume de calda: 200 a 400 L/há (terrestre); 30 a 40 L/há (aérea).

Arroz: Iniciar as aplicações do produto no início do emborrachamento, reaplicar na emissão das panículas e no florescimento.
Realizar até 3 aplicações por ciclo da cultura.
Volume de calda: 200 a 400 L/há (terrestre); 30 a 40 L/há (aérea).

Banana: Iniciar as aplicações do produto em novembro, reaplicar ao surgimento dos sintomas da doença. Repetir as aplicações cada 15 dias até fins de maio ou início de junho.
Realizar até 6 aplicações por ciclo da cultura.
Volume de calda: 250 a 500 L/há (terrestre); 30 a 40 L/há (aérea).

Batata: Iniciar as aplicações do produto logo ao aparecimento dos primeiros sintomas das doenças e repetir as aplicações a cada 7 a 10 dias.
Realizar até 6 aplicações por ciclo da cultura.
Volume de calda: 600 a 900 L/há (terrestre).

Berinjela: Iniciar as aplicações do produto logo ao aparecimento dos primeiros sintomas das doenças e repetir as aplicações a cada 7 a 10 dias.
Realizar até 5 aplicações por ciclo da cultura.
Volume de calda: 600 a 900 L/há (terrestre).

Cenoura: Iniciar as aplicações do produto logo ao aparecimento dos primeiros sintomas das doenças e repetir as aplicações a cada 7 a 10 dias.
Realizar até 4 aplicações por ciclo da cultura.
Volume de calda: 600 a 900 L/há (terrestre).

Citros: Realizar a primeira aplicação do produto, quando dois terços das pétalas já caíram e a segunda aplicação no início da frutificação (frutos com 0,3 a 0,5 cm de diâmetro).
Realizar até 2 aplicações por ciclo da cultura.
Volume de calda: 4 -10 L de calda/planta.

Feijão: Iniciar as aplicações 30 dias após o plantio e repetir as aplicações a cada 10-15 dias.
Realizar até 3 aplicações por ciclo da cultura.
Volume de calda: 200 a 400 L/há (terrestre); 30 a 40 L/há (aérea).

Gladíolo: Iniciar as aplicações do produto logo ao aparecimento dos primeiros sintomas das doenças e repetir as aplicações a cada 7 a 10 dias.
Realizar até 4 aplicações por ciclo da cultura.
Volume de calda: 600 a 900 L/há (terrestre).

Melão: Iniciar as aplicações do produto logo ao aparecimento dos primeiros sintomas das doenças e repetir as aplicações a cada 7 a 10 dias.
Realizar até 4 aplicações por ciclo da cultura.
Volume de calda: 600 a 900 L/há (terrestre).

Melancia: Iniciar as aplicações do produto logo ao aparecimento dos primeiros sintomas das doenças e repetir as aplicações a cada 7 a 10 dias.
Realizar até 6 aplicações por ciclo da cultura.
Volume de calda: 600 a 900 L/há (terrestre)

Pepino: Iniciar as aplicações do produto logo ao aparecimento dos primeiros sintomas das doenças e repetir as aplicações a cada 7 a 10 dias.
Realizar até 4 aplicações por ciclo da cultura.
Volume de calda: 600 a 900 L/há (terrestre).

Pimentão: Iniciar as aplicações do produto logo ao aparecimento dos primeiros sintomas das doenças e repetir as aplicações a cada 7 a 10 dias.
Realizar até 3 aplicações por ciclo da cultura.
Volume de calda: 600 a 900 L/há (terrestre)

Rosa: Iniciar as aplicações do produto logo ao aparecimento dos primeiros sintomas das doenças e repetir as aplicações a cada 7 a 10 dias.
Realizar até 4 aplicações por ciclo da cultura.
Volume de calda: 600 a 900 L/há (terrestre).

Soja: Iniciar as aplicações no florescimento e reaplicar 15 a 20 dias.
Realizar até 2 aplicações por ciclo da cultura.
Volume de calda: 200 a 400 L/há; 30a 40 L/há (aérea).

Tomate: Iniciar as aplicações do produto logo ao aparecimento dos primeiros sintomas das doenças e repetir as aplicações a cada 7 a 10 dias.
Realizar até 6 aplicações por ciclo da cultura.
Volume de calda: 600 a 900 L/há (terrestre).

Trigo: Iniciar as aplicações do produto na fase de emborrachamento e reaplicar na fase de florescimento. Havendo necessidade, efetuar a terceira aplicação na fase de espigamento.
Realizar até 3 aplicações por ciclo da cultura.
Volume de calda: 200 a 400 L/há (terrestre); 30 a 40 L/há (aérea).

Uva: Iniciar as aplicações do produto no início da brotação e repetir as aplicações a cada 7 dias até o florescimento.
Realizar até 3 aplicações por ciclo da cultura.
Volume de calada: 800 a 1.000 L/há (terrestre); 2 a 3 L/calda por planta.

MODO DE APLICAÇÃO:
Via terrestre:
Pulverizador tratorizado.
Pulverizador de barra tratorizado com bicos cônicos tipo TEEJET X2 ou X3. Tamanho de partículas de 250 micras. Densidade de gotas de 50 - 70 gotas/cm2.
- Velocidade do trator: em torno de 6 Km/h.
- Pressão de 40 - 60 libras.
- Usando-se outros tipos de equipamentos procurar obter pulverizações com cobertura uniforme da parte aérea das plantas.

Condição climática: as aplicações devem ser feitas em condições de temperatura menor que 27°C e umidade relativa do ar acima de 60% ventos até 15 Km/h. Observações locais deverão ser realizadas visando reduzir ao máximo as perdas por volatilização ou deriva.

Via aérea:
Aeronaves agrícolas.
Barra ou atomizador rotativo "Micronair".
- Volume de aplicação: 30 - 40 L/há de calda.
- Altura do vôo: com barra: 2-3 m; com Micronair 3 a 4 metros.
- Largura da faixa de deposição efetiva: 20 m.
- Tamanho/densidade de gotas: 80 micras, com mínimo de 60 gotas/cm2
- No caso de barra, usar bicos cônicos, pontas D6 a D12, disco (core), inferior a 45°.
Usando-se Micronair, o número de atomizadores devem ser de 4 (quatro), onde para o ajuste do regulador de vazão (VRU), pressão e ângulo de pá, seguir tabela sugerida pelo fabricante.
- O sistema de agitação do produto no tanque deve ser mantido em funcionamento durante a aplicação.

Condições climáticas: Diâmetro de gotas deve ser ajustado para cada volume de aplicação (L/há) para proporcionar a adequada densidade de gotas, obedecendo-se ventos de até 10 Km/h, temperatura média e umidade relativa acima de 70%, visando reduzir o mínimo de perda por deriva e deposição. Observações locais deverão ser realizadas visando reduzir ao máximo as perdas por volatilização ou deriva.

Em caso de dúvida consultar um Engenheiro agrônomo.

Instruções para preparo de calda de pulverização:
Encher o tanque do pulverizador com água até a metade de seu volume e adicionar CLOROTALONIL 500 SC> Manter o misturador mecânico ou o retorno em funcionamento e completar o volume do tanque com água. Manter a agitação da calda de forma contínua durante o seu preparo.

Lavagem do equipamento:
Somente utilize equipamentos limpos e devidamente conservados. Após a aplicação do produto, realizar lavagem completa do equipamento.

Intervalo de segurança (dias):
Arroz: 15dias; Trigo: 30 dias; Amendoim e Feijão: 14 dias; Uva, batata, citros, melão, melancia, pepino, berinjela, pimentão, tomate, cenoura: 07 dias.
Banana: sem restrição.
Gladíolo, Rosa: não determinado por ser de uso não alimentar.

LIMITAÇÕES DE USO:
Somente utilizar as doses recomendadas.
Desde que sejam seguidas as recomendações de uso, não ocorre fitotoxicidade para as plantas tratadas.
Os usos do produto estão restritos aos indicados no rótulo e bula.
Não adicionar óleo mineral a calda de aplicação, pois esta poderá ocasionar fitotoxicidade.

MINISTÉRIO DA SAÚDE - AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA
DADOS RELATIVOS À PROTEÇÃO DA SAÚDE HUMANA
ANTES DE USAR LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES.
PRODUTO PERIGOSO.
USE OS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL COMO INDICADO.

PRECAUÇÕES GERAIS:
- Produto para uso exclusivamente agrícola
- Não coma, não beba e não fume durante o manuseio e aplicação do produto.
- Não manuseie ou aplique o produto sem os equipamentos de proteção individual (EPI) recomendados.
- Não utilize equipamentos de proteção individual (EPI) danificados.
- Não utilize equipamentos com vazamentos ou defeitos.
- Não desentupa bicos, orifícios e válvulas com a boca.
- Não transporte o produto juntamente com alimentos, medicamentos, rações, animais e pessoas.

PRECAUÇÕES NO MANUSEIO:
- Se houver contato do produto com os olhos, lave-os imediatamente e SIGA AS ORIENTAÇÕES DESCRITAS EM PRIMEIROS SOCORROS.
- Caso o produto seja inalado ou aspirado, procure local arejado e SIGA AS ORIENTAÇOES DESCRITAS EM PRIMEIROS SOCORROS.
- Ao contato do produto com a pele, lave-a imediatamente e SIGA AS ORIENTAÇÕES DESCRITAS EM PRIMEIROS SOCORROS.
- Ao abrir a embalagem, faça-o de modo a evitar a formação de poeira.
- Utilize equipamento de proteção individual - EPI: macacão de algodão hidro-repelente com mangas compridas passando por cima do punho das luvas e as pernas das calças por cima das botas; luvas; botas de borracha; avental impermeável; máscara com filtro para vapores orgânicos, cobrindo nariz e a boca; óculos de proteção;
- Manuseie o produto em local arejado.

PRECAUÇÕES DURANTE A APLICAÇÃO:
- Aplique o produto somente nas doses recomendadas e observe o intervalo de segurança;
- Evite o máximo possível contato com a área de aplicação;
- Utilize equipamento de proteção individual - EPI: macacão de algodão hidro-repelente com mangas compridas passando por cima do punho das luvas e as pernas das calças por cima das botas; luvas; botas de borracha; avental impermeável; máscara com filtro para vapores orgânicos, cobrindo nariz e a boca; óculos de proteção;

PRECAUÇÕES APÓS A APLICAÇÃO:
- Não reutilize a embalagem vazia;
- Mantenha o restante do produto adequadamente fechado na embalagem original, em local trancado, longe do alcance de crianças e animais;
- Faça a manutenção e lavagem dos equipamentos de proteção após cada aplicação do produto. Fique atento ao período de vida útil dos filtros, seguindo corretamente as especificações do fabricante;
- Tome banho troque e lave as roupas de proteção separado das roupas domésticas.
- Ao lavar as roupas utilizadas/contaminadas, utilize luvas e avental impermeável.
- No descarte de embalagens vazias use EPI (macacão de algodão hidro-repelente com mangas compridas, luvas e botas)
- Evitar entrar nas áreas tratadas até o término do intervalo de reentrada estabelecido para o produto.

PRIMEIROS SOCORROS:
Ingestão: NÃO PROVOQUE VÔMITO, procure assistência médica, levando a embalagem, o rótulo, a bula ou o receita agronômica do produto.
Olhos: Lave com água corrente em abundância e procure assistência médica levando a embalagem, rótulo, bula ou receita agronômica do produto.
Pele: Lave com água corrente em abundância e procure assistência médica, levando a embalagem, rótulo, bula ou receita agronômica do produto.
Inalação: Procure local arejado e recorra a assistência médica, levando a embalagem, rótulo, bula ou receita agronômica do produto.

INFORMAÇÕES MÉDICAS - CLOROTALONIL 500 SC (CLOROTALONIL)

Grupo químico: Isoftalonitrila

Classe toxicológica: II - ALTAMENTE TÓXICO

Vias de exposição: Inalatória e ocular.

Toxicocinética: Após absorvido é conjugado com a glutationa no fígado e no trato gastrointestinal. Estudos em ratos demonstraram que 30% da dose administrada por via oral é absorvida em 48 hrs. Maior parte da dose administrada por via oral é excretada pelas fezes, mais de 82%, em 48-72 hrs. Cerca de 5 - 10% da dose é excretada pela via urinária. Em estudos em cães e em macacos a excreção ocorreu em sua maior parte pelas fezes.

Mecanismos de toxicidade: Os mecanismos de toxicidade em humanos não são conhecidos.

Sintomas e sinais clínicos: Exposição Aguda: Tem sido relatada asma ocupacional após exposição inalatória ao clorotalonil.
Exposição Ocular: Medianamente irritante aos olhos. Produz hiperemia na conjuntiva, quemose e secreção em animais.
Propilenoglicol: Pode causar irritação leve nos olhos. Os efeitos da irritação ocular são reversíveis. O contato repetido ou prolongado com a pele pode causar dermatite.

Diagnóstico: Devido a ausência de sintomas específicos, o diagnóstico deve ser estabelecido pela confirmação da exposição e pela ocorrência de quadro clinico compatível.

Tratamento: Não existe antidoto conhecido, aplicar tratamento sintomático em caso de exposição. No caso de contato dérmico, remover a roupa contaminada e lavar bem as partes do corpo afetadas com água e sabão. Dermatite irritante retardada pode ocorrer 48 a 72 horas após ter cessado a exposição Anti-histamínicos ou esteroidestópicos podem ser uteis no tratamento da dermatite alérgica por contato. No caso de contato com olhos, lavar com água abundante por alguns minutos. No caso de inalação, remover a pessoa para local arejado. Monitorar alterações respiratórias e avaliar irritação, bronquite ou pneumonia. Auxilie na ventilação conforme necessário e administre oxigênio. Trate o broncoespasmo com agonista beta 2 via inalatória ou corticosteroides via parenteral. No caso de ingestão oral, aplicar medidas gerais de suporte. Proceder a lavagem gástrica. Atentar para nível de consciência e proteger vias aéreas do risco de aspiração. Administração de carvão ativado e um purgante com grande quantidade de água são indicados mesmo quando houver transcorrido algum tempo, devido a significante excreção biliar.
Carvão ativado: se liga à maioria dos agentes tóxicos e pode diminuir a absorção sistêmica deles, se administrado logo após ingestão (1 h). Dose: suspensão (240 mL d'água/30 g de carvão). Dose: 25 a 100 g em adultos, 25 a 50 g em crianças de (1 -12) anos e 1 g/Kg em 2000 mg/Kg de peso corpóreo
DL50 dérmica em ratos machos e fêmeas > 2.000 mg/Kg de peso corpóreo
CL50 inalatória (4 horas) em ratos machos e fêmeas: 0,45 mg/L (ar)
Irritação dérmica: não irritante.
Irritação ocular: medianamente irritante.
Sensibilização dérmica: não causou sensibilização dérmica

Efeitos crônicos:
excessiva e repetida exposição dermal pode causar constante irritação e aumentar a possibilidade de reação alergênica. É classificado pela Agência Ambiental Norte-Americana (U.S.EPA) como provável carcinógeno humano (Grupo B2) e pelo IARC como possível carcinógeno humano (Grupo 2B).

TELEFONES DE EMERGÊNCIA
Atenção:
As Intoxicações por Agrotóxicos estão incluídas entre as Enfermidades de Notificação Compulsória. Comunique o caso e obtenha informações especializadas sobre o diagnóstico e tratamento através dos Telefones de Emergência:

Disque Intoxicação: 0800-722-6001 - Rede Nacional de Centros de Informação e Assistência Toxicológica/ RENACIAT
ANVISA/MS

SINITOX/CICT/FIOCRUZ:
Fone: (21) 2573-3244
Fax: (21) 2578-7079

Centro de Assistência Toxicológica do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo
Atendimento Médico Fone: (11) 5011-5111 ramais:250; laboratório 251
Atendimento médico 252; Administração 253 e 254
Atendimento: 0800-771-3733

Centro de Informações Toxicológicas do Rio Grande do Sul:
Fone: (51) 2139-9200
Fax: (51) 2139-9201
Atendimento: 0800-780-200

AllierBrasil Agro Ltda.: 11-31514360

Recomenda-se, de maneira geral, o manejo integrado das pragas, envolvendo todos os princípios e medidas disponíveis e viáveis de controle (ex. controle cultural, biológico, etc.)

Qualquer agente de controle de insetos pode ficar menos efetivo ao longo do tempo devido ao desenvolvimento de resistência. Utilizando-se as seguintes estratégias de Manejo de Resistencia a Inseticidas (MRI), pode-se prolongar a vida útil dos inseticidas:
- Qualquer produto para controle de insetos da mesma classe ou modo de ação não deve ser utilizado em gerações consecutivas da mesma praga.
- Utilizar somente as doses recomendadas no rótulo/bula.
- Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para orientação sobre as recomendações locais para o manejo de resistência.