Bula Eco Meta

acessos
Metarhizium anisopliae
7010
Toyobo

Composição

Metarhizium anisopliae 50 g/kg Inseticida biológico

Classificação

Inseticida biológico
III - Medianamente tóxico
IV - Produto pouco perigoso ao meio ambiente
Não inflamável
Não corrosivo
Pó molhável (WP)
Contato, Seletivo
Cana-de-açúcar Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Cigarrinha das raízes
(Mahanarva fimbriolata)
2 a 3 kg p.c./ha - - Por ciclo da cultura. Não determinado devido a natureza do produto. 1 a 2 aplicações por ciclo da cultura

sacos polietileno de baixa densidade: 5,0 kg.

O produto ECO META deve ser aplicado na forma líquida, através de pulverizadores de barra ou costais, com jato dirigido à base das plantas ou aplicação direta, através de granuladeiras, sem necessidade de preparação de calda. Os levantamentos populacionais da praga devem ser realizados após as duas primeiras chuvas (setembro/outubro) para detecção de espumas com ninfas na base das touceiras. Realizar no máximo duas aplicações por ciclo da cultura.


Limpeza do Equipamento
- Limpar muito bem o tanque/bicos do pulverizador para eliminar resíduos de inseticidas, herbicidas, ou fungicidas químicos.


Atenção:
a) Não realizar a limpeza do pulverizador próximo de lagos, rios ou reservas de água.
b) Realizar esta limpeza em local adequado onde os resíduos tenham o destino estabelecido em legislação.
- O ideal é encher o tanque do pulverizador com água e adicionar 1 litro de solupan ou 1Kg de sabão em pó para cada 400 litros de água. Deixar esta mistura em repouso por 12 horas. Em seguida agitar a mistura e aspergir todo o volume através do bicos de pulverização. Posteriormente enxaguar com água limpa usando como escoamento sempre os bicos. Nessa operação aproveita-se para testar a regulagem da vazão.


Preparação da calda
Em um balde ou recipiente deve-se proceder à lavagem do material. Colocar o equivalente a 5,0 L de água para cada 2,0 a 3,0 Kg de produto e proceder a lavagem. Esperar por alguns minutos para a precipitação do arroz e verter a suspensão no tanque de pulverização, passando-o através de uma peneira. Repetir o procedimento de lavagem por 3 vezes para a limpeza completa do arroz (sem conídios do fungo). Recomenda-se um volume total de calda de 300 L/ha.

PRECAUCOES GERAIS:
Produto para usa exclusivamente agricola.
Nao coma, nao beba e nao fume durante o manuseio e aplicaçao do produto.
Nao manuseie ou aplique o produto sem os equipamentos de proterçao individual (EPI) recomendados.
Os equipamentos de proteçao individual (EPI) recomendados devem ser vestidos na seguinte ordem: macacao, botas, avental, mascara, oculos, touca arabe e luvas.
Nao utilize equipamentos de proteçao individual (EPI) danificados.
Nao utilize equipamentos com vazamentos ou defeitos.
Nao desentupa bicos, orificios e valvulas com a boca.
Nao transporte o produto juntamente com alimentos, medicamentos, raçoes, animais e pessoas.

PRECAUCOES NA PREPARACAO DA CALDA:
Produto irritante para os olhos.
Caso ocorra contato acidental da pessoa com o produto, siga as orientarçoes descritas em primeiros socorros e procure rapidamente um servirço medico de emergencia.
Ao abrir a embalagem, farça-o de modo a evitar dispersao de poeira.
Utilize os seguintes equipamentos de proterçao individual - EPI: macacao de algodao hidrorrepelente com mangas compridas passando por cima do punho das luvas e as pernas das calças por cima das botas; botas de borracha; avental impermeavel, mascara com filtro P2 ou P3, oculos de segurança com proteçao lateral e luvas de nitrila.
Manuseie o produto em local aberto e ventilado.
Os graos de arroz, apos o preparo da calda, devem ser descartados incorporando-os no solo.
PRECAUCOES DURANTE A APLICACAo:
Evite o maximo possivel o contato com a area tratada durante o intervalo de reentrada. Nao -aplique o produto na presença de ventos fortes e nas horas mais quentes do dia.
Verifique a direrçao do vento e aplique de modo a evitar que o aplicador entre na área do produto.
Aplique o produto somente nas doses recomendadas e observe o intervalo de segurança.

Efeitos agudos:
•DL50 dermica: >4000 mg/kg
•Irritayao dermica: Em coelhos albinos, este produto nao causou irritayao e, ou lesao dermica.

•Irritaçao ocular: Em coelhos albinos, este produto causou produçao de secreçao ocular e irritaçao ocular do tipo hiperemia grau 1 com reversao em ate 48 horas. Nenhuma alteraçao foi observada na cornea ou na iris.
•Sensibilizaçao cutanea: Em cobaias este produto foi considerado sensibilizante.

•Toxicidade/Patogenicidade Oral Aguda: Neste teste, nenhuma evidencia de patogenicidade e toxicidade foram encontradas durante a necropsia dos animais tratados com este produto formulado; Entretanto, o fungo foi isolado de amostras de baço e figado de animais tratados com o mesmo. A presença de colonias encontradas nas placas semeadas com amostras de tecidos dos animais demonstra que os conidios do fungo podem permanecer viaveis em tecidos de ratos, podendo sinalizar potencial de infectividade.

•Toxicidade/Patogenicidade Pulmonar Aguda: Neste teste, nenhuma evidencia de patogenicidade e toxicidade foram encontradas durante a necropsia dos animais tratados com este produto formulado; Entretanto, o fungo foi isolado de amostras de baço de animais tratados com o mesmo. A presença de colonias encontradas nas placas semeadas com amostras de tecidos dos animais demonstra que os conidios do fungo podem permanecer viaveis em tecidos de ratos, podendo sinalizar potencial de infectividade.

(De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA)

Sempre que houver disponibilidade de informações sobre MIP, provenientes da pesquisa publica ou privada, recomenda-se que estes programas sejam incorporados à prática agrícola.

Sempre que houver disponibilidade de informações sobre MIP, provenientes da pesquisa pública ou privada, recomenda-se que estes programas sejam implementados. Qualquer agente de controle de insetos pode se tornar menos efetivo ao longo do tempo, se a praga alvo desenvolver algum mecanismo de resistência a ele. O Comitê Brasileiro de Ação a Resistência a Inseticidas (IRAC – BR) recomenda as seguintes estratégias de manejo de resistência visando prolongar a vida útil do inseticida:
- Qualquer produto para controle de pragas, da mesma classe ou modo de ação, não deve ser usado em gerações consecutivas da praga;
- Usar somente as doses recomendadas na bula/rótulo;
- Consultar sempre um Engenheiro Agrônomo para orientação sobre o Manejo de Resistência a Inseticidas;
- Incluir outros métodos de controle de pragas (Ex.: controle cultural, biológico, químico, etc) dentro do programa de Manejo Integrado de Pragas, quando disponível e apropriado.