Bula Fentrol

acessos
Gama-cialotrina
5704
FMC - Campinas

Composição

Gama-Cialotrina 60 g/L Piretróide

Classificação

Inseticida
III - Medianamente tóxico
II - Produto muito perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Suspensão de Encapsulado (CS)
Contato, Ingestão

Algodão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Bicudo
(Anthonomus grandis)
180 a 250 mL p.c./ha 300 L de calda/ha 10 a 20 L de calda/ha (aéreo) Reaplicar caso necessário. 10 dias. 10 % dos botões florais estiverem atacados
Lagarta da maçã
(Heliothis virescens)
180 a 250 mL p.c./ha 300 L de calda/ha 10 a 20 L de calda/ha (aéreo) Reaplicar caso necessário. 10 dias. Encontrado 5 a 10 % das plantas infestadas
Batata Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Vaquinha verde amarela
(Diabrotica speciosa)
20 a 40 mL p.c./100L água 600 L de calda/ha 10 a 20 L de calda/ha (aéreo) Reaplicar caso necessário. 3 dias. Início da infestação
Café Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Bicho mineiro
(Leucoptera coffeella)
40 mL p.c./ha 500 L de calda/ha 10 a 20 L de calda/ha (aéreo) Reaplicar caso necessário. 7 dias. Início da infestação
Cebola Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Tripes do fumo
(Thrips tabaci)
40 mL p.c./100L água 500 L de calda/ha 10 a 20 L de calda/ha (aéreo) Reaplicar caso necessário. 3 dias. Início da infestação
Citros Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Bicho furão
(Ecdytolopha aurantiana)
6 a 12 mL p.c./100L água 2000 L de calda/ha 10 a 20 L de calda/ha (aéreo) Reaplicar caso necessário. 7 dias. Início da infestação
Cigarrinha
(Oncometopia facialis)
6 a 12 mL p.c./100L água 2000 L de calda/ha 10 a 20 L de calda/ha (aéreo) Reaplicar caso necessário. 7 dias. Início da infestação
Couve Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Lagarta da couve
(Ascia monuste orseis)
10 mL p.c./100L água 1000 L de calda/ha 10 a 20 L de calda/ha (aéreo) Reaplicar caso necessário. 7 dias. Início da infestação
Feijão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Vaquinha verde amarela
(Diabrotica speciosa)
60 a 90 mL p.c./ha 400 L de calda/ha 10 a 20 L de calda/ha (aéreo) Reaplicar caso necessário. 15 dias. Início da infestação
Milho Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Lagarta do cartucho
(Spodoptera frugiperda)
60 mL p.c./ha 300 L de calda/ha 10 a 20 L de calda/ha (aéreo) Reaplicar caso necessário. 15 dias. Início da infestação
Soja Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Lagarta da soja
(Anticarsia gemmatalis)
40 mL p.c./ha 250 L de calda/ha 10 a 20 L de calda/ha (aéreo) Reaplicar caso necessário. 14 dias. 40 lagartas/pano de batida ou desfolha de 30 % antes da floração ou 15 % a partir das primeiras flores
Percevejo verde
(Nezara viridula)
70 mL p.c./ha 250 L de calda/ha 10 a 20 L de calda/ha (aéreo) Reaplicar caso necessário. 14 dias. Lavoura comercial: 4 percevejos adultos ou ninfas com mais de 0,5 cm / pano de batida. Lavoura produção de sementes: 2 percevejos adultos ou ninfas com mais de 0,5 cm / pano de batida
Tomate Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Broca pequena do tomateiro
(Neoleucinodes elegantalis)
10 a 15 mL p.c./100L água 1000 L de calda/ha 10 a 20 L de calda/ha (aéreo) Reaplicar caso necessário. 3 dias. A partir do florescimento
Trigo Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Lagarta do trigo
(Pseudaletia sequax)
40 mL p.c./ha 250 L de calda/ha 10 a 20 L de calda/ha (aéreo) Reaplicar caso necessário. 15 dias. Início da infestação

CONTEÚDO: 250; 500 mL; 1; 5; 20; 50; 100 e 200 L.
Isotanque de 15 toneladas

INSTRUÇÕES DE USO:

INÍCIO, NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO:

- Algodão:
.Lagarta-das-maças (Heliothis virescens): Aplicar quando forem encontrados 5 a 10% de plantas infestadas.
.Bicudo (Anthonomus grandis): Aplicar quando 10% dos botões florais estiverem atacados.
Número máximo de aplicações do produto: 3.

- Batata:
.Vaquinha-verde-amarela (Diabrotica speciosa): Aplicar em inicio de infestação.
Número máximo de aplicações do produto: 4.

- Café:
.Bicho-mineiro-do-café (Leucoptera coffeella): Tratar no início da infestação, buscando uma boa cobertura das plantas.
Número máximo de aplicações do produto: 2.


- Cebola:
.Tripes-do-fumo (Thrips tabaci): Aplicar em início de infestação buscando uma boa cobertura da planta.
Número máximo de aplicações do produto: 2.

- Citros:
.Bicho-furão (Ecdytolopha aurantiana): Aplicar em cobertura total da planta no inicio da infestação.
.Cigarrinha-da-cvc (Oncometopia facialis): Tratar no inicio de infestação.
Número máximo de aplicações do produto: 2.

- Couve:
.Curuquerê-da-couve (Ascia monuste orseis): Aplicar em inicio de infestação.
Número máximo de aplicações do produto: 2.

- Feijão:
.Vaquinha-verde-amarela (Diabrotica speciosa): Aplicar em inicio de infestação.
Número máximo de aplicações do produto: 2.

- Milho:
.Lagarta-do-cartucho (Spodoptera frugiperda): Aplicar em inicio de infestação.
Número máximo de aplicações do produto: 2.

- Soja:
.Lagarta-da-soja (Anticarsia gemmatalis): Aplicar quando se encontrar, em média, 40 lagartas por pano-de-batida ou se a desfolha atingir 30% antes da floração ou 15% a partir da emissão das primeiras flores.
.Percevejo-da-soja (Nezara viridula): Aplicar quando forem encontrados 4 percevejos 1 adultos ou ninfas com mais de 0,5 cm por pano-de-batida. Para lavouras de produção de sementes, este nível deve ser reduzido para 2 percevejos por pano-de-batida.
Número máximo de aplicações do produto: 2.

- Tomate:
.Broca-pequena-do-fruto (Neoleucinodes elegantalis): Aplicar a partir do florescimento ou da detecção de postura dos insetos nas estruturas florais.
Número máximo de aplicações do produto: 4.

- Trigo:
.Lagarta-do-trigo (Pseudaletia sequax): Aplicar em inicio de infestação.
Número máximo de aplicações do produto: 2.

MODO DE APLICAÇÃO:

FENTROL é utilizado em pulverização foliar, através da aplicação com pulverizadores costais manuais e motorizados, pulverizadores tratorizados, e através de pulverização aérea com aeronaves agrícolas (aviões, helicópteros).

- Equipamentos de aplicação:

- costal manual: Utilizar bicos cônicos das séries D; ou equivalentes com pressão de 40 a 60 Ibs/pol² (p.s.i.). Observar para que ocorra uma boa cobertura da cultura tratada.
- costal motorizado: Utilizar bicos cônicos das séries D; ou equivalentes, com pressão de 40 a 60 Ibs/pol² (p.s.i.).
- tratorizado: quando aplicar com barra, utilizar bicos cônicos das séries D; ou equivalentes com pressão de 80 a 150 Ibs/pol² (p.s.i.). Observar que esteja ocorrendo uma boa cobertura.

- aeronaves agrícolas:
. bicos: utilizar bicos de jato cônico vazio da série O ou similar, com a combinação adequada de ponta e difusor (core) ou bicos rotativos tipo MICRONAIR.
. n° de bicos na barra: qualquer modelo de aviões tipo IPANEMA, utilizar 40 a 42
bicos, fechando sempre de 4 a 5 unidades em cada ponta externa da asa e 3 intermediários de cada ponta interna das asas e próximos ao corpo (fuselagem) do avião. Manter em operação os 8 bicos originais na "barriga", ou seja, fuselagem do avião, sempre posicionados no mesmo ãngulo dos bicos das asas.
Para outros modelos e tipos de avião, utilizar uma disposição que dê uniformidade de distribuição de gotas sobre a faixa de deposição, evitando a influência e perda das gotas pelos vórtices de pontas das asas.
. altura do vôo: qualquer modelo de aviões tipo IPANEMA, a altura mínima de vôo é de 4 a 5 metros, sempre considerando o alvo ou a cultura.
. volume de aplicação: para aplicações com produtos diluídos em água, utilizar vazões de 10 a 20 litros/hectare. Com este volume, pode-se utilizar bicos hidráulicos como recomendados acima ou bicos rotativos tipo MICRONAIR. Volumes de aplicação acima daqueles valores, é vedado ou não recomendável o uso de bicos rotativos, devendo-se passar a utilizar os bicos hidráulicos acima indicados.
.faixa de deposição: aviões tipo IPANEMA ou similares, a faixa de deposição é de 20 metros, independentes dos bicos serem rotativos ou hidráulicos.

- Condições climáticas:
. Temperatura: Abaixo de 32°C
. Umidade relativa do ar: Mínima de 55%
. Velocidade do vento: Acima de 2 km/hora até 10 km/hora no máximo

Para se obter calda homogênea, deve-se observar seguintes procedimentos:
- Agitar bem a embalagem do produto antes de vertê-Io no tanque.
- Encher o reservatório do pulverizador com água limpa, até a metade.
- Acrescentar o produto nos volumes indicados conforme o alvo.
- Completar o volume do reservatório com água limpa.

A aplicação deve ser sempre conduzida de modo a se obter cobertura uniforme do alvo,
nas horas em que a temperatura é mais amena (primeiras horas da manhã ou fim do dia).

- LIMITAÇÕES DE USO:

. Não aplicar o produto em dias chuvosos ou com prenúncio de chuva.
. Não aplicar o produto durante a ocorrência de ventos, pois, pode ocorrer desvio do
produto em relação ao alvo (deriva).
. Não guardar sobras de calda para uso posterior. Nesse sentido, não preparar volume
de calda superior ao que deve ser aplicado no dia.

- Fitotoxicidade:
Testes de eficácia demonstraram que o produto não é fitotóxico quando aplicado nas doses e formas recomendadas.

Incluir outros métodos de controle de insetos (ex.: Controle Cultural, Biológico, etc.) dentro do
programa de Manejo Integrado de Pragas (MIP) quando disponível e apropriado.

Qualquer agente de controle de inseto pode ficar menos efetivo ao longo do tempo se o inseto alvo desenvolver algum mecanismo de resistência. Implementando as seguintes estratégia de manejo de resistência a inseticidas (MRI) poderíamos prolongar a vida útil dos inseticidas:
- Qualquer produto para controle de inseto da mesma classe ou modo de ação não deve ser
utilizado em gerações consecutivas da mesma praga.
- Utilizar somente as dosagens recomendadas na bula.
- Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para direcionamento sobre as recomendações
locais para o MRI.