Bula Formicida Granulado Dinagro-S

acessos
Sulfluramida
3096
Dinagro

Composição

Sulfluramida 3 g/kg Sulfonamidas fluoroalifáticas

Classificação

Formicida
IV - Pouco tóxico
III - Produto perigoso
Não inflamável
Corrosivo
Isca Granulada (GB)
Contato, Ingestão
Todas Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Saúva cabeça de vidro
(Atta laevigata)
6 a 10 g/m² de formigueiro - - - Não determinado. Iniciar as aplicações sempre que forem encontrados formigueiros em atividade
Saúva limão
(Atta sexdens rubropilosa)
6 a 10 g/m² de formigueiro - - - Não determinado. Iniciar as aplicações sempre que forem encontrados formigueiros em atividade
Saúva parda
(Atta capiguara)
8 a 10 g/m² de formigueiro - - - Não determinado. Iniciar as aplicações sempre que forem encontrados formigueiros em atividade

Conteúdo: 5; 10; 50; 250 e 500g. 1; 5; 10 e 20 Kg.

INSTRUÇÕES DE USO / PRAGAS / DOSES:

Formicida indicado para o controle das formigas saúvas das espécies : Atta capiguara (saúva parda) e Atta sexdens rubropilosa (saúva limão), Atta laevigata (saúva cabeça de vidro), para áreas agrícolas e florestas cultivadas.

NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO:

Época de Aplicação:

Iniciar as aplicações sempre que forem localizados formigueiros em atividade.
O produto pode ser aplicado em qualquer época do ano.
Preferencialmente, aplicar o produto com tempo seco e ao entardecer, para evitar umedecimento e interrupção noturna do trabalho de carregamento das iscas pelas formigas.

Frequência de Aplicação:
Normalmente uma única aplicação do Formicida Granulado Dinagro-S é suficiente para controle, desde que aplicado de acordo com as instruções técnicas recomendadas.
Ocorrendo erros de aplicação, uma nova aplicação deve ser feita aos 90 dias após a primeira.

MODO DE APLICAÇÃO:
O produto deve ser aplicado diretamente da embalagem, sem contato manual, ao longo do carreiro e próximo aos olheiros.
Para o cálculo da área de terra solta, localizar a sede do formigueiro e multiplicar o maior comprimento (em metros) pela maior largura (em metros) da sede. No caso de Atta capiguara (saúva parda), incluir no cálculo de área, as rosetas e discos existentes ao lado dos montes de terra solta. (ex.: comprimento= 5m X largura= 10m ; área do formigueiro = 5x10 = 50m2 , o que nos leva a 30g ou 40g de produto)
Visando aumentar a segurança para seres humanos e animais, quando da aplicação do produto, deve-se procurar colocá-lo em porta-iscas apropriados ou cobri-lo com algum tipo de material (telha por ex.), de modo a impedir que o mesmo fique exposto à outros organismos que não as formigas.

Equipamentos de Aplicação:
Aplicar o produto diretamente da embalagem, sem contato manual.
No caso do produto acondicionado em saquinhos de 10g (denominados micro-dosadores e /ou dosadores específicos), distribuir os saquinhos junto aos olheiros de forragem ao lado do início das trilhas.
No caso do produto acondicionado nas demais embalagens, colocá-lo em porta-iscas, desenvolvidos especialmente para esta finalidade.

INTERVALO DE SEGURANÇA:
Não estabelecido devido à modalidade de emprego do produto.
INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS:
(De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS)

LIMITAÇÕES DE USO:
- Não aplicar o produto em dias chuvosos ou com prenúncio de chuvas, a fim de se evitar o umedecimento das iscas.

PRECAUÇÕES GERAIS: Não coma, não beba e não fume durante o manuseio do produto. Não distribua o produto com as mãos desprotegidas.

PRECAUÇÕES NO MANUSEIO: O produto não requer manuseio. Deve ser aplicado diretamente da embalagem sem contato manual. Use luvas de borracha.

PRECAUÇÕES DURANTE O USO: Use máscara cobrindo o nariz e a boca. Use macacão com mangas compridas, calça, luvas de borracha e botas. Distribua o produto diretamente a partir da embalagem, sem contato manual.

PRECAUÇÕES APÓS O USO: Não reutilize a embalagem vazia. Mantenha o restante do produto adequadamente fechado em local trancado, longe do alcance de crianças e animais. Mantenha o produto afastado de alimento ou de ração animal. Tome banho, troque e lave suas roupas (não misture com roupas de uso diário). Após sua utilização, todo e qualquer equipamento de proteção individual deve ser recolhido e cuidadosamente limpo e guardado.

PRIMEIROS SOCORROS: Ingestão: Provoque vômito e procure o médico, levando a embalagem, o rótulo,a bula ou o receituário agronômico do produto. Olhos: Lave com água e sabão em abundância e procure o médico, levando a embalagem, o rótulo,a bula ou o receituário agronômico do produto. Pele: lave com água e sabão em abundância e se houver irritação, procure o médico, levando a embalagem, o rótulo,a bula ou o receituário agronômico do produto. Aspiração: Em caso de aspiração do produto, remova a pessoa para lugar arejado. Recorra a auxilio médico, levando a embalagem, o rótulo, a bula ou o receituário agronômico do produto.

TRATAMENTO MÉDICO/ ANTÍDOTO: Nunca dê nada por via oral a uma pessoa inconsciente. Em caso de ingestão acidental, tome 1 a 2 copos de água e provoque vômito. A seguir administre 5 ml/kg ou 400 ml para adultos, de suspensão com carvão ativado. Para o preparo da suspensão, adicione 50 9 de carvão ativado em 400 ml de água e misture cuidadosamente. Uma hora mais tarde administre laxativo ou citrato de magnésio. Observar o paciente e trata-lo sintomaticamente, se algum sintoma se desenvolver. Caso contrário, nenhum procedimento terapêutico particular é indicado, ou necessário.

MECANISMOS DE AÇÃO, ABSORÇÃO E EXCREÇÃO PARA O SER HUMANO: Ação: Estudos conduzidos em ratos demonstraram que SuIf1urarnida é rapidamente metabolizado para DESFA (perfluorooctano sulfonamida) o qual tem ação citotóxica pode afetar o mecanismo da fosforilação oxidativa. Absorção: Estudos conduzidos em ratos demonstraram que SuIf1urarnida é lenta e incompletamente absorvida pelo trato gastrointestinal. Excreção: Estudos conduzidos em ratos demonstraram que o produto é eliminado através do ar expirado (56%), fezes (25%) e urina (8%), sendo eliminado quase na sua totalidade no período de 72 horas.

EFEITOS AGUDOS E CRÔNICOS: Estudos conduzidos em ratos demonstraram apenas os seguintes efeitos adversos: perda de apetite, moderada diarréia e cansaço. Efeitos de intoxicação não são conhecidos.

EFEITOS COLATERAIS: Sulfluramida não provoca efeitos colaterais.

PRECAUÇÕES DE USO E ADVER1ÊNCIAS QUANTO AOS CUIDADOS DE PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE: Este produto é PERIGOSO ao meio ambiente. Este produto é ALTAMENTE BIOACUMULÁVEL. Não utilize equipamento com vazamentos. Não lave as embalagens ou equipamento aplicador em lagos, fontes, rios e demais corpos d'água. Evite a contaminação ambiental - Preserve a natureza. Aplique somente as doses recomendadas. Não aplique o produto na presença de ventos fortes ou nas horas mais quentes. Descarte corretamente as embalagens e restos do produto -siga as instruções constantes na bula. Em caso de acidente, siga corretamente as instruções constantes na bula.

INSTRUÇÕES DE ARMAZENAMENTO: Mantenha o produto em sua embalagem original. As embalagens devem ser armazenadas sobre um sistema que evite o contato direto com o piso do depósito e de tal forma que as pilhas fiquem afastadas das paredes e teto. As embalagens devem ser dispostas de tal forma que na mesma pilha se tenha somente embalagens iguais e do mesmo produto. As embalagens de formato retangular devem ser empilhadas com o cruzado, o que assegura uma auto-amarração do conjunto com uma maior resistência do mesmo. O local deve ser exclusivo para produtos tóxicos, devendo ser isolado de alimentos, bebidas ou outros materiais, bem como isolado de qualquer fonte de calor, gases corrosivos e unidade. A construção deve ser em alvenaria ou de material não comburente. O local deve ser ventilado, coberto e ter piso impermeável. Coloque placa de advertência com os dizeres: CUIDADO VENENO. Tranque o local, evitando o acesso de pessoas não autorizadas, principalmente crianças. Deve haver sempre embalagens disponíveis para envolver adequadamente embalagens rompidas ou para o recolhimento de produtos vazados. Em caso de 8mlazens maiores deverão ser seguidas as instruções constantes na NBR 9843. Observe as disposições constantes da legislação estadual e municipal.

INSTRUÇÕES EM CASO DE ACIDENTES AMBIENTAIS: Afastar curiosos. Contactar as autoridades locais e a Empresa. Utilizar EPI's (camisa de mangas compridas, calças, botas,capacetes, luvas de borracha, óculos de segurança, e respirador para pó). Em caso de vazamento sinalizar e isolar a área contaminada. Em caso de derrame,estancar o escoamento,não permitindo que o produto entre em bueiros, drenos ou cursos de águas naturais, siga as instruções:

Piso Pavimentado: Absorver o produto derramado com terra ou serragem.Recolher o material com o auxílio de uma pá e colocar em tambores ou recipientes devidamente lacrados e identificados. Remover para área de descarte de lixo químico.Lave o local com grande quantidade de água;

Solo: Retirar as camadas de terra contaminada até atingir o solo não contaminado, e adotar os mesmos procedimentos acima descritos para recolhimento e destinação adequada;

Corpos D' água: Interromper imediatamente o consumo humano e animal e contactar o centro de emergência da empresa visto que as medidas a serem adotadas dependem das proporções do acidente, das características do recurso hídrico em questão e da quantidade do produto envolvido. Em caso de incêndio, use extintores de água em forma de neblina CO2 ou pó químico, ficando a favor do vento para evitar intoxicação.

DESTINO FINAL DOS RESÍDUOS E EMBALAGENS: As embalagens deverão ser enxaguadas três vezes e a calda resultante acrescentada à preparação para ser pulverizada (tríplice lavagem). Não reutilize embalagens vazias. As embalagens devem ser destruídas e enterradas em fosso para lixo tóxico. As sobras do produto, após o processo de desativação, devem de igual forma serem enterradas em fosso para lixo tóxico. O local para construção do fosso deve ser distante de casas, de instalações ou de qualquer fonte d'água, fora do trânsito de pessoas ou animais, porém de fácil acesso e onde não se preveja o aproveitamento agrícola mesmo a longo prazo. O local não deve ser sujeito a inundações ou acúmulos de água. O solo deve ser profundo de permeabilidade média para permitir uma percolação lenta e degradação biológica do produto.

Abrir um fosso de 1 a 2 metros de profundidade, comprimento e largura não devendo exceder a 3 metros, de acordo com as necessidades. Ao redor do fosso cavar uma vale~ com escoadouro, para impedir a penetração de enxurradas. Reservar uma área suficiente para instalação de mais fossos, de acordo com a necessidade. Isolar a área com cerca de tela, para impedir a entrada de animais e dificultar a entrada de pessoas. Colocar uma placa de advertência (CAVEIRA) com os dizeres: CUIDADO LIXO TÓXICO. Enquanto não estiver completo, cobrir o fosso com lona ou plástico. Antes de iniciar o uso do fosso colocar no fim do uma camada de pedra britada, calcáreo moído e cal virgem. Em seguida colocar o material descartado e a cada 15 cm cobrir com outra camada de cal virgem. Completada a capacidade do fosso, cobrir com uma camada de 50 cm de terra e compactar bem. Uma camada adicional de 30 cm de terra deve ser colocada sobre o aterro, para que este fique acima do nível do terraço. Observar a legislação estadual e Municipal especifica. Fica proibido o enterrio de embalagens em áreas inadequadas,consulte o Órgão Estadual de Meio Ambiente.

- Incluir outros métodos de controle de pragas (Ex. Controle cultural, biológico, etc.) dentro do programa de Manejo Integrado de Pragas, quando disponível e apropriado.

Qualquer agente de controle de inseto pode se tornar menos efetivo ao longo do tempo, se a praga alvo desenvolver algum mecanismo de resistência a ele. O Comitê Brasileiro de Ação Resistência a Inseticidas – IRAC –BR, recomenda as seguintes estratégias de manejo de resistência, visando prolongar a vida útil dos inseticidas:
- Qualquer produto para controle de pragas, da mesma classe ou modo de ação, não deve ser utilizado em gerações consecutivas da praga.
- Usar somente as doses recomendadas na bula/rótulo.
- Consultar sempre um Engenheiro Agrônomo para orientação sobre o Manejo de Resistência a Inseticidas.
- Incluir outros métodos de controle de pragas (Ex. Controle cultural, biológico, etc.) dentro do programa de Manejo Integrado de Pragas, quando disponível e apropriado.