Bula Glifos

acessos
Glyphosate
5198
FMC - Campinas

Composição

Glifosato 480 g/L Glicina Substituída

Classificação

Herbicida
II - Altamente tóxico
III - Produto perigoso
Não inflamável
Corrosivo
Concentrado Solúvel (SL)
Não seletivo, Sistêmico
Arroz Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Arroz vermelho
(Oryza sativa)
2 L p.c./ha 150 a 400 L de calda/ha - Único. Não determinado. Pré e pós-emergência da cultura e das plantas infestantes
Beldroega
(Portulaca oleracea)
2 L p.c./ha 150 a 400 L de calda/ha - Único. Não determinado. Pré e pós-emergência da cultura e das plantas infestantes
Capim arroz
(Echinochloa crusgalli)
2 L p.c./ha 150 a 400 L de calda/ha - Único. Não determinado. Pré e pós-emergência da cultura e das plantas infestantes
Capim colchão
(Digitaria horizontalis)
1 L p.c./ha 150 a 400 L de calda/ha - Único. Não determinado. Pré e pós-emergência da cultura e das plantas infestantes
Capim pé de galinha
(Eleusine indica)
1 L p.c./ha 150 a 400 L de calda/ha - Único. Não determinado. Pré e pós-emergência da cultura e das plantas infestantes
Café Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Grama seda
(Cynodon dactylon)
3 L p.c./ha 150 a 400 L de calda/ha - Único. 15 dias. Pré e pós-emergência da cultura e das plantas infestantes
Guanxuma
(Sida rhombifolia)
2 L p.c./ha 150 a 400 L de calda/ha - Único. 15 dias. Pré e pós-emergência da cultura e das plantas infestantes
Cana-de-açúcar Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Capim braquiária
(Brachiaria decumbens)
2 L p.c./ha 150 a 400 L de calda/ha - Único. 30 dias. Pré e pós-emergência da cultura e das plantas infestantes
Capim carrapicho
(Cenchrus echinatus)
até 2 L p.c./ha 150 a 400 L de calda/ha - Único. 30 dias. Pré e pós-emergência da cultura e das plantas infestantes
Capim colchão
(Digitaria horizontalis)
2 L p.c./ha 150 a 400 L de calda/ha - Único. 30 dias. Pré e pós-emergência da cultura e das plantas infestantes
Caruru comum
(Amaranthus viridis)
2 L p.c./ha 150 a 400 L de calda/ha - Único. 30 dias. Pré e pós-emergência da cultura e das plantas infestantes
Falsa serralha
(Emilia sonchifolia)
até 2 L p.c./ha 150 a 400 L de calda/ha - Único. 30 dias. Pré e pós-emergência da cultura e das plantas infestantes
Papuã
(Brachiaria plantaginea)
1 a 2 L p.c./ha 150 a 400 L de calda/ha - Único. 30 dias. Pré e pós-emergência da cultura e das plantas infestantes
Picão preto
(Bidens pilosa)
2 L p.c./ha 150 a 400 L de calda/ha - Único. 30 dias. Pré e pós-emergência da cultura e das plantas infestantes
Citros Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Capim braquiária
(Brachiaria decumbens)
2 L p.c./ha 150 a 400 L de calda/ha - Único. 30 dias. Pré e pós-emergência da cultura e das plantas infestantes
Capim colonião
(Panicum maximum)
2 L p.c./ha 150 a 400 L de calda/ha - Único. 30 dias. Pré e pós-emergência da cultura e das plantas infestantes
Guanxuma
(Sida rhombifolia)
2 L p.c./ha 150 a 400 L de calda/ha - Único. 30 dias. Pré e pós-emergência da cultura e das plantas infestantes
Picão preto
(Bidens pilosa)
2 L p.c./ha 150 a 400 L de calda/ha - Único. 30 dias. Pré e pós-emergência da cultura e das plantas infestantes
Milho Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Amendoim bravo
(Euphorbia heterophylla)
2 L p.c./ha 150 a 400 L de calda/ha - Único. Não determiando. Pré e pós-emergência da cultura e das plantas infestantes
Beldroega
(Portulaca oleracea)
2 L p.c./ha 150 a 400 L de calda/ha - Único. Não determinado. Pré e pós-emergência da cultura e das plantas infestantes
Capim carrapicho
(Cenchrus echinatus)
1 a 2 L p.c./ha 150 a 400 L de calda/ha - Único. Não determinado. Pré e pós-emergência da cultura e das plantas infestantes
Capim colchão
(Digitaria horizontalis)
2 L p.c./ha 150 a 400 L de calda/ha - Único. Não determinado. Pré e pós-emergência da cultura e das plantas infestantes
Capim pé de galinha
(Eleusine indica)
2 L p.c./ha 150 a 400 L de calda/ha - Único. Não determinado. Pré e pós-emergência da cultura e das plantas infestantes
Caruru comum
(Amaranthus viridis)
2 L p.c./ha 150 a 400 L de calda/ha - Único. Não determinado. Pré e pós-emergência da cultura e das plantas infestantes
Guanxuma
(Sida rhombifolia)
2 L p.c./ha 150 a 400 L de calda/ha - Único. Não determinado. Pré e pós-emergência da cultura e das plantas infestantes
Nabiça
(Raphanus raphanistrum)
2 L p.c./ha 150 a 400 L de calda/ha - Único. Não determinado. Pré e pós-emergência da cultura e das plantas infestantes
Papuã
(Brachiaria plantaginea)
1 a 2 L p.c./ha 150 a 400 L de calda/ha - Único. Não determinado. Pré e pós-emergência da cultura e das plantas infestantes
Picão branco
(Galinsoga parviflora)
2 L p.c./ha 150 a 400 L de calda/ha - Único. Não determinado. Pré e pós-emergência da cultura e das plantas infestantes
Pastagens Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Amendoim bravo
(Euphorbia heterophylla)
4 L p.c./ha 150 a 400 L de calda/ha - Único. Não determinado. Pré e pós-emergência da cultura e das plantas infestantes
Capim amargoso
(Digitaria insularis)
4 L p.c./ha 150 a 400 L de calda/ha - Único. Não determinado. Pré e pós-emergência da cultura e das plantas infestantes
Capim braquiária
(Brachiaria decumbens)
4 L p.c./ha 150 a 400 L de calda/ha - Único. Não determinado. Pré e pós-emergência da cultura e das plantas infestantes
Capim pé de galinha
(Eleusine indica)
4 L p.c./ha 150 a 400 L de calda/ha - Único. Não determinado. Pré e pós-emergência da cultura e das plantas infestantes
Guanxuma
(Sida rhombifolia)
4 L p.c./ha 150 a 400 L de calda/ha - Único. Não determinado. Pré e pós-emergência da cultura e das plantas infestantes
Tiririca
(Cyperus rotundus)
5 L p.c./ha 150 a 400 L de calda/ha - Único. Não determinado. Pré e pós-emergência da cultura e das plantas infestantes
Soja Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Amendoim bravo
(Euphorbia heterophylla)
2 L p.c./ha 150 a 400 L de calda/ha - Único. Não determinado. Pré e pós-emergência da cultura e das plantas infestantes
Beldroega
(Portulaca oleracea)
2 L p.c./ha 150 a 400 L de calda/ha - Único. Não determinado. Pré e pós-emergência da cultura e das plantas infestantes
Capim carrapicho
(Cenchrus echinatus)
1 a 2 L p.c./ha 150 a 400 L de calda/ha - Único. Não determinado. Pré e pós-emergência da cultura e das plantas infestantes
Guanxuma
(Sida rhombifolia)
2 L p.c./ha 150 a 400 L de calda/ha - Único. Não determinado. Pré e pós-emergência da cultura e das plantas infestantes
Picão branco
(Galinsoga parviflora)
2 L p.c./ha 150 a 400 L de calda/ha - Único. Não determinado. Pré e pós-emergência da cultura e das plantas infestantes
Trigo Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mentrasto
(Ageratum conyzoides)
2 L p.c./ha 150 a 400 L de calda/ha - Único. Não determinado. Pré e pós-emergência da cultura e das plantas infestantes
Nabiça
(Raphanus raphanistrum)
1 L p.c./ha 150 a 400 L de calda/ha - Único. Não determinado. Pré e pós-emergência da cultura e das plantas infestantes
Tiririca
(Cyperus rotundus)
4 L p.c./ha 150 a 400 L de calda/ha - Único. Não determinado. Pré e pós-emergência da cultura e das plantas infestantes

Frasco plástico (PEAD): 1, 4, 5, 10, 20, 25 e 200 L. Container plástico de alta densidade com base metálica retornável ao fabricante: 1000 L.

INSTRUÇÕES DE USO:
CULTURAS: Arroz, Café, Cana-de-açúcar, Citros, Milho, Pastagens, Soja e Trigo.

ÉPOCA DE APLICAÇÃO: A aplicação de GLIFOS deve ser feita observando-se as plantas daninhas alvo:
Plantas infestantes perenes...preferencialmente no início da floração das plantas infestantes. Plantas infestantes anuais - preferencialmente na fase de desenvolvimento vegetativo antes da formação de flores/sementes das plantas infestantes.
Em ambos os casos as plantas daninhas não devem estar sob efeito de stress hídrico, seja por seca ou excesso de água, pois haverá menor absorção do produto e conseqüetemente menor eficiência de controle.

NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO:
Plantas infestantes N° de aplicações de GLIFOS
Todas as indicações...........................1 aplicação

MODO DE APLICAÇÃO: GLIFOS pode ser aplicado nas seguintes modalidades:
- Pré-plantio da cultura e pós-emergência das plantas daninhas: pastagens (renovação e implantação).
- Pós-plantio da cultura e pós-emergência das plantas daninhas, de forma localizada (dirigindo a aplicação somente sobre as plantas daninhas, protegendo a cultura contra contato com a calda herbicida): citros e café.
- Pré-emergência da cultura e pós-emergência das plantas infestantes: trigo, milho, arroz, soja e cana de açúcar.
- Pré-plantio da cultura e pós-emergência das plantas daninhas (preparo de área para posterior plantio ou implantação da cultura): todas as culturas.

PARA SE OBTER CALDA HOMOGÊNEA, DEVE-SE OBSERVAR SEGUINTES PROCEDIMENTOS:
- Agitar bem a embalagem do produto antes de vertê-lo no tanque.
- Encher o reservatório do pulverizador com água limpa, até a metade.
- Acrescentar o produto nos volumes indicados conforme o alvo.
- Completar o volume do reservatório com água limpa.

A aplicação deve ser sempre conduzida de modo a se obter cobertura uniforme do alvo.

COSTAL MANUAL: Bico: leque em ângulo /defletor. Volume de calda (l/ha): 150 a 250 l/ha. Pressão (lb/pol2): 17 a 20 lb/pol2. Bico: leque / jato plano(equivalentes a séries de 80º e 110°). Volume de calda (l/ha): 150 a 250 l/ha. Pressão (lb/pol2):20 a 30 lb/pol2.
TRATORIZADO CONVENCIONAL: Bico: leque / jato plano (equivalentes às séries 80°e 110°). Volume de calda (l/ha): 150 a 400 l/ha. Pressão (lb/pol2):20 a 50 lb/pol2.

NOTA: as indicações devem ser obtidas respeitadas as condições operacionais indicadas pelo fabricante do equipamento de pulverização.

INTERVALO DE SEGURANÇA (dias): pastagens, trigo, milho, arroz e soja: intervalo de segurança não determinado devido a modalidade de emprego. Cana-de-açúcar e citros: 30 dias. Café: 15 dias.

Sintomas visíveis de ação como murcha e amarelecimento graduais são usualmente observáveis dentro de 3-7 dias após aplicação em plantas anuais e 14-21 dias após aplicação em plantas perenes.

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS: (De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana - ANVISA/MS).

LIMITAÇÕES DE USO: Não utilizar águas barrentas (com argilas em suspensão) pois diminui a eficiência do produto. Não misturar, não armazenar este produto ou caldas preparadas com este produto em tambores ou tanques de aplicação de aço galvanizado ou não revestido (exceto aço inox). Este produto ou as caldas preparadas com este produto reagem com os referidos tipos de tambores ou tanques de aplicação produzindo gás de hidrogênio o qual pode formar uma mistura gasosa altamente combustível. Esta mistura gasosa pode incendiar ou explodir devido a fontes de ignição como fogo, centelhas, faíscas ou cigarros acesos, causando sérias injúrias. Não guardar sobras de calda para uso posterior. Nesse sentido não preparar volume de calda superior ao que deve ser aplicado no dia. Não aplicar o produto durante a ocorrência de ventos, pois pode ocorrer desvio do produto em relação ao alvo (deriva). Não aplicar o produto em dias chuvosos ou com prenúncio de chuva. Em ocorrendo chuva nas 4 horas após a aplicação e dependendo de sua intensidade, pode haver diminuição da ação do produto. Não aplicar o produto com as plantas alvo cobertas com poeira pois neste caso pode haver diminuição da ação do produto devido a menor absorção.

PRECAUÇÕES GERAIS: Leia a siga as instruções do rótulo e da bula. Uso exclusivamente agrícola. Ao abrir a embalagem, evite respingos. Não transporte o produto juntamente com alimentos, medicamentos, ração animal, animais e pessoas. Utilize sempre os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) - Não utilize Equipamentos de proteção Individual danificados. Mantenha o produto afastado de crianças, animais domésticos, alimentos, medicamentos e ração animal. Ao utilizar o equipamento de aplicação, verifique o seu estado de conservação - Não utilize equipamentos com vazamentos ou com defeitos. Não coma, não beba e não fume durante o manuseio ou aplicação do produto. Não desentupa bicos, orifícios, válvulas, tubulações, etc com a boca. Não prepare a calda e não aplique o produto sem utilizar os equipamentos de Proteção Individual (EPIs) que estão recomendados no rótulo e bula do produto.

OBSERVAÇÕES: Para maior segurança e conforto do aplicador, recomendamos que as roupas a serem utilizadas (macacão ou calça e camisa de mangas compridas) sejam de algodão, com tratamento hidrorepelente; Lembramos ainda que o ideal é que as luvas a serem utilizadas sejam de nitrila; Para segurança adicional, recomendamos que no manuseio do produto concentrado sejam utilizados avental impermeável e bonés com protetor lateral.

PRECAUÇÕES NO MANUSEIO: Para utilizar o produto, abrir a embalagem, preparar a calda, armazena-lo, descartar o restante da calda preparada e as embalagens vazias, observe as precauções. Utilize macacão com mangas compridas, luvas e protetor facial (viseira). Manuseie o produto em local arejado. Ao abrir a embalagem, faze-lo de modo a evitar contato com o produto. O produto concentrado pode ser irritante para pele e olhos. SE HOUVER CONTATO DO PRODUTO COM QUALQUER PARTE DO CORPO, LAVE-A IMEDIATAMENTE E VEJA PRIMEIROS SOCORROS.

PRECAUÇÕES DURANTE A APLICAÇÃO: Utilize macacão com mangas compridas, luvas e botas. Não utilize equipamento com vazamento. Não desentupa bicos, orifícios, válvulas, tubulações, etc com a boca. Não aplique produto na presença de ventos fortes ou nas horas mais quentes. Mantenha afastados das áreas de aplicação, crianças, animais domésticos e pessoas desprotegidas.

PRECAUÇÕES APÓS APLICAÇÃO: Evite ao máximo o contato com a área aplicada pelo produto até o término do intervalo de reentrada. Não entre na área em que o produto foi aplicado antes da completa secagem da calda - Caso necessite reentrar utilize Equipamentos de Proteção Individual (EPIs). Não reutilize a embalagem vazia do produto para outros fins. Mantenha o restante dos produtos, adequadamente fechado e armazenado na embalagem original, longe do alcance de crianças e animais. Troque imediatamente após a aplicação todas as roupas utilizadas e tome banho, lavando-as separadamente. Faça a manutenção e lavagem dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) após cada aplicação do produto.

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS: Observar que a reentrada de pessoas sem os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) na cultura ou área aplicada só deve ser permitida após a completa secagem da calda de pulverização.

PRIMEIROS SOCORROS: Procure imediatamente assistência médica ou o serviço de saúde em qualquer caso de suspeita de intoxicação, levando uma embalagem com rótulo legível e/ou a bula. Ingestão: Em caso de ingestão NÃO PROVOQUE VÔMITO. Se o paciente estiver consciente, faça-o tomar água e procure IMEDIATAMENTE assistência médica ou o serviço de saúde. Olhos: Em caso de contato, lave-os imediatamente com água corrente em abundância. Procure assistência médica ou o serviço de saúde; Pele: Em caso de contato, lave as partes atingidas com água e sabão em abundância. Procure assistência médica ou o serviço de saúde; Inalação: Em caso de inalação mantenha em local arejado. Procure assistência médica ou o serviço de saúde.

ANTÍDOTO: Tratamento sintomático de acordo com o quadro clínico. O Glifosate não é um inibidor da acetil colinesterase, não sendo indicado o uso de atropina. O Glifos apresenta em sua formulação, além do Glifosate, um surfactante, que pode produzir sinais locais de irritação.

MECANISMOS DE AÇÃO, ABSORÇÃO E EXCREÇÃO: Mecanismo Ação: Glifosate não é um inibidor da acetilcolinesterase e portanto não existe o quadro clínico decorrente do acúmulo de acetilcolina no espaço intersináptico. O surfactante presente no Glifos aparentemente pode ter algum papel na toxicidade após a ingestão. Em testes "in vitro" com mitocôndrias isoladas de fígado de rato, o Glifosato atua desacoplando a fosforilação oxidativa como resultado da interação com fosforilação oxidativa e na reação transidrogenase energia-dependente. Absorção: A absorção cutânea: Em estudos "in vitro" com tecidos humanos a absorção cutânea foi menor do que 2%. Absorção oral: Em ratos a absorção chegou a 35-40% quando administrado por via oral na dose de 10 mg/kg de peso. Distribuição: Após a absorção, é distribuído no organismo, sendo encontrado principalmente nos intestinos, ossos, cólon e rins. As maiores concentrações foram encontradas no intestino delgado, acima de 34%, duas horas após a ingestão. Metabolismo: Aparentemente, o metabolismo do Glifosate em animais é mínimo. Essencialmente são produzidos metabólitos não tóxicos e aproximadamente 100% do encontrado nos tecidos, corresponde ao produto original. Excreção: Renal: O Glifosate é eliminado na urina, atingindo rapidamente níveis muito baixos. Em geral, dois ou três dias depois da ingestão não é detectado na urina. Estudos em ratos mostraram que aproximadamente 36% da dose foi excretada na urina num período de 7 dias. Em ratos (machos) que receberam Glifosate radiomarcado, aproximadamente 20 a 30% foi eliminado na urina em 72 horas. Fezes: Em estudos com animais, aproximadamente 51% da dose foi excretada nas fezes num período de 7 dias. Em ratos (machos) que receberam Glifosate radiomarcado, aproximadamente 70 a 80% foi eliminado nas fezes em 72 horas.

EFEITOS AGUDOS: Em caso de contacto com o produto concentrado os sinais e sintomas serão decorrentes do efeito irritante sobre a pele e mucosas tanto do Glifosate como do surfactante aniônico. Foi observada toxicidade grave em seres humanos, após a ingestão de quantidades superiores a 50 g do ingrediente ativo. Em estudos epidemiológicos retrospectivos, em pacientes que ingeriram o Glifosate, os sinais agudos mais comuns foram, dor na boca e garganta, ulceração ou erosão na mucosa oral, vômitos, diarréia, dentre outros menos freqüentes. Testes de curto prazo mostram que o Glifosate e suas formulações apresentam baixo nível de toxicidade aguda. Em testes conduzidos em animais de laboratório, o herbicida Glifos apresentou, DL50 oral aguda em ratos de 4.400 mg/kg, DL50 dérmica aguda em coelhos superior a 4.000 mg/kg e CL50 inalatória de 3,18 mg/L para ratos com 4 horas de exposição.

EFEITOS CRÔNICOS: Foram ainda estudados os efeitos sobre o processo reprodutivo e a progênie de animais de laboratório. Foram realizados testes de mutagenicidade em células de bactérias e micronúcleos, sendo que em ambos os experimentos o resultado obtido foi negativo. A alta solubilidade do Glifosate em água e baixa solubilidade em lipídios sugerem que ele não se bioacumula o que é comprovado por estudos científicos. Os estudos efetuados mostram claramente que o Glifosate é muito lentamente absorvido através da membrana gastrointestinal e que ha um mínimo de retenção nos tecidos e uma rápida eliminação em várias espécies animais. A não retenção e a rápida eliminação do Glifosate, indica que no mesmo no caso de exposição repetida, o produto não é acumulado no corpo.

SINTOMAS DE ALARME: Não são conhecidos sintomas de alarme, sendo recomendado a suspensão do uso do produto se surgiram quaisquer sintomas durante a sua manipulação.

SINAIS CLÍNICOS: O contato do produto com a pele pode causar dermatite, piloereção e eritema. O contato do produto com os olhos pode causar conjuntivite e edema orbital. Síndrome tóxica após ingestão de altas doses: Epigastralgia, ulceração ou lesão da mucosa gástrica, hipertemia, anúria, oligúria, hipotensão arterial, choque cardiogênico, arritmia cardíaca, edema pulmonar não cardiogênico, pneumonite, necrose tubular aguda, elevação de enzimas hepáticas, leucocitose, acidose metabólica e hipercalemia.

EFEITOS COLATERAIS: Por não se tratar de produto com finalidade terapêutica, não ha como caracterizar seus efeitos colaterais.

PRECAUÇÕES DE USO E ADVERTÊNCIAS QUANTO AOS CUIDADOS DE PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE: Este produto é PERIGOSO ao meio ambiente - CLASSE III. Evite a contaminação ambiental - Preserve a Natureza. Não utilize equipamento com vazamentos. Aplique somente as doses recomendadas. Não lave as embalagens ou equipamento aplicador em lagos, fontes, rios e demais corpos d'água. Descarte corretamente as embalagens e restos do produto. Siga as instruções da bula. Em caso de acidente, siga corretamente as instruções constantes na bula.

INSTRUÇÕES DE ARMAZENAMENTO: Mantenha o produto em sua embalagem original, sempre fechada. O local deve se ser exclusivo para produtos tóxicos, devendo ser isolado de alimentos, bebidas ou outros materiais. A construção deve ser de alvenaria ou de material não comburente. O local deve ser ventilado, coberto e ter piso impermeável. Coloque placa de advertência com os dizeres: CUIDADO VENENO. Trancar o local, evitando o acesso de pessoas não autorizadas, principalmente crianças. Deve haver sempre embalagens adequadas disponíveis para envolver embalagens rompidas ou para o recolhimento de produtos vazados. Em caso de armazéns, deverão ser seguidas as instruções constantes da NBR 9843. Observe as disposições constantes da legislação estadual e municipal.

INSTRUÇÕES EM CASO DE ACIDENTES AMBIENTAIS: Contate as autoridades locais competentes e a empresa. Utilize o EPI (macacão de PVC, luvas e botas de borracha, óculos protetores e máscara contra eventuais vapores). Isole e sinalize a área contaminada. Em caso de derrame, não permita que o produto entre em bueiros, drenos ou cursos de águas naturais. Siga as instruções: Piso pavimentado: Colocar o material absorvente (por exemplo: serragem ou terra) sobre o conteúdo derramado. Recolher o material com auxílio de uma pá e colocar em um recipiente, que em seguida deverá ser lacrado e identificado devidamente. Lavar o local com grande quantidade de água; Solo: Retirar as camadas de terra contaminada até atingir o solo não contaminado, e adotar os mesmos procedimentos acima descritos para recolhimento e destinação adequada; Corpo d'água: Interromper imediatamente o consumo humano e animal e contactar o centro de emergência da empresa, visto que as medidas a serem adotadas dependem das proporções do acidente, das características do recurso hídrico em questão e da quantidade do produto envolvido. Em caso de incêndio, use máscara, extintores de água em forma de neblina, CO2 ou pó químico, ficando a favor do vento para evitar contaminação.

DESTINAÇÃO ADEQUADA DE RESÍDUOS E EMBALAGENS: As embalagens devem ser enxaguadas três vezes e a calda resultante acrescentada à preparação para ser pulverizada (tríplice lavagem). As embalagens devem ser furadas, de maneira a torná-las inadequadas para outros usos. Não reutilize embalagens vazias. Observar legislações Estadual e Municipal específica. Fica proibido o enterrio de embalagens em áreas inadequadas, consulte o Órgão Estadual de Meio Ambiente.

MÉTODOS DE DESATIVAÇÃO: Por incineração ou por decomposição do produto por ação da hidrólise alcalina. Condições para desativação através de incineração: Forno tipo rotativo; Temperatura na faixa de 900-950º C; Tempo de permanência de 30-40 minutos; Enviar gases para pós-queimador (com permanência de pelo menos 2 segundos a temperatura igual ou superior a 1000º C).

Sempre que houver disponibilidade de informações sobre programas de Manejo Integrado, provenientes da pesquisa pública ou privada, recomenda-se que estes programas sejam implementados.

O uso continuado de herbicidas com o mesmo mecanismos de ação pode contribuir para o aumento da população de plantas infestantes resistentes a produtos com esse mecanismo de ação.

Compatibilidade

Incompatível com aço galvanizado.