Bula Helymax WP - Ballagro

Bula Helymax WP

acessos
Bacillus thuringiensis
2617
Ballagro

Composição

Bacillus thuringiensis 64 g/kg Inseticida microbiológico

Classificação

Inseticida microbiológico
II - Altamente tóxico
IV - Produto pouco perigoso ao meio ambiente
Não inflamável
Não corrosivo
Pó molhável (WP)
Ingestão

Abóbora Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Broca das cucurbitáceas
(Diaphania hyalinata)
até 50 g p.c./100 L de água até 500 L de calda/ha - Deve ser reaplicado com intervalos de 7 a 10 dias. Não determinado em função da não necessidade de estipular o limite máximo de resíduo (LMR) para este produto. Efetuar o tratamento sempre no início do aparecimento das pragas
Broca dos frutos
(Diaphania nitidalis)
até 50 g p.c./100 L de água até 500 L de calda/ha - Deve ser reaplicado com intervalos de 7 a 10 dias. Não determinado em função da não necessidade de estipular o limite máximo de resíduo (LMR) para este produto. Efetuar o tratamento sempre no início do aparecimento das pragas
Alfafa Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Lagarta da alfafa
(Colias lesbia pyrrhothea)
até 250 g.p.c./ha até 200 L de calda/ha - Deve ser reaplicado com intervalos de 7 a 10 dias. Não determinado em função da não necessidade de estipular o limite máximo de resíduo (LMR) para este produto. Efetuar o tratamento sempre no início do aparecimento das pragas
Lagarta do cartucho
(Spodoptera frugiperda)
125 a 250 g.p.c./ha até 200 L de calda/ha - Deve ser reaplicado com intervalos de 7 a 10 dias. Não determinado em função da não necessidade de estipular o limite máximo de resíduo (LMR) para este produto. Efetuar o tratamento sempre no início do aparecimento das pragas
Algodão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Curuquerê
(Alabama argillacea)
125 a 250 g.p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha - Deve ser reaplicado com intervalos de 7 a 10 dias. Não determinado em função da não necessidade de estipular o limite máximo de resíduo (LMR) para este produto. Efetuar o tratamento sempre no início do aparecimento das pragas
Helicoverpa
(Helicoverpa armigera)
250 a 375 g.p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha - Deve ser reaplicado com intervalos de 7 a 10 dias. Não determinado em função da não necessidade de estipular o limite máximo de resíduo (LMR) para este produto. Efetuar o tratamento sempre no início do aparecimento das pragas
Lagarta da maçã
(Heliothis virescens)
até 250 g.p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha - Deve ser reaplicado com intervalos de 7 a 10 dias. Não determinado em função da não necessidade de estipular o limite máximo de resíduo (LMR) para este produto. Efetuar o tratamento sempre no início do aparecimento das pragas
Amendoim Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Curuquerê dos capinzais
(Mocis latipes)
125 a 250 g p.c./ha até 200 L de calda/ha - Deve ser reaplicado com intervalos de 7 a 10 dias. Não determinado em função da não necessidade de estipular o limite máximo de resíduo (LMR) para este produto. Efetuar o tratamento sempre no início do aparecimento das pragas
Lagarta da soja
(Anticarsia gemmatalis)
125 a 250 g.p.c./ha até 200 L de calda/ha - Deve ser reaplicado com intervalos de 7 a 10 dias. Não determinado em função da não necessidade de estipular o limite máximo de resíduo (LMR) para este produto. Efetuar o tratamento sempre no início do aparecimento das pragas
Arroz Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Curuquerê dos capinzais
(Mocis latipes)
200 a 300 g.p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha - Deve ser reaplicado com intervalos de 7 a 10 dias. Não determinado em função da não necessidade de estipular o limite máximo de resíduo (LMR) para este produto. Efetuar o tratamento sempre no início do aparecimento das pragas
Lagarta do cartucho
(Spodoptera frugiperda)
200 a 300 g.p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha - Deve ser reaplicado com intervalos de 7 a 10 dias. Não determinado em função da não necessidade de estipular o limite máximo de resíduo (LMR) para este produto. Efetuar o tratamento sempre no início do aparecimento das pragas
Brócolis Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Lagarta da couve
(Ascia monuste orseis)
até 30 g p.c./100 L de água 400 a 600 L de calda/ha - Deve ser reaplicado com intervalos de 7 a 10 dias. Não determinado em função da não necessidade de estipular o limite máximo de resíduo (LMR) para este produto. Efetuar o tratamento sempre no início do aparecimento das pragas
Traças das crucíferas
(Plutella xylostella)
até 30 g p.c./100 L de água 400 a 600 L de calda/ha - Deve ser reaplicado com intervalos de 7 a 10 dias. Não determinado em função da não necessidade de estipular o limite máximo de resíduo (LMR) para este produto. Efetuar o tratamento sempre no início do aparecimento das pragas
Trichoplusia
(Trichoplusia ni)
até 30 g p.c./100 L de água 400 a 600 L de calda/ha - Deve ser reaplicado com intervalos de 7 a 10 dias. Não determinado em função da não necessidade de estipular o limite máximo de resíduo (LMR) para este produto. Efetuar o tratamento sempre no início do aparecimento das pragas
Café Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Lagarta dos cafezais
(Eacles imperialis magnifica)
125 a 250 g.p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Deve ser reaplicado com intervalos de 7 a 10 dias. Não determinado em função da não necessidade de estipular o limite máximo de resíduo (LMR) para este produto. Efetuar o tratamento sempre no início do aparecimento das pragas
Cana-de-açúcar Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Curuquerê dos capinzais
(Mocis latipes)
200 a 300 g p.c./ha até 300 L de calda/ha - Deve ser reaplicado com intervalos de 7 a 10 dias. Não determinado em função da não necessidade de estipular o limite máximo de resíduo (LMR) para este produto. Efetuar o tratamento sempre no início do aparecimento das pragas
Lagarta do cartucho
(Spodoptera frugiperda)
200 a 300 g.p.c./ha até 300 L de calda/ha - Deve ser reaplicado com intervalos de 7 a 10 dias. Não determinado em função da não necessidade de estipular o limite máximo de resíduo (LMR) para este produto. Efetuar o tratamento sempre no início do aparecimento das pragas
Citros Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Bicho furão
(Ecdytolopha aurantiana)
até 25 g p.c./100 L de água até 2000 L de calda/ha - Deve ser reaplicado com intervalos de 7 a 10 dias. Não determinado em função da não necessidade de estipular o limite máximo de resíduo (LMR) para este produto. Efetuar o tratamento sempre no início do aparecimento das pragas
Côco Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Lagarta das palmeiras
(Brassolis sophorae)
até 30 g p.c./100 L de água 400 a 500 L de calda/ha - Deve ser reaplicado com intervalos de 7 a 10 dias. Não determinado em função da não necessidade de estipular o limite máximo de resíduo (LMR) para este produto. Efetuar o tratamento sempre no início do aparecimento das pragas
Couve-flor Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Lagarta da couve
(Ascia monuste orseis)
até 30 g p.c./100 L de água 400 a 600 L de calda/ha - Deve ser reaplicado com intervalos de 7 a 10 dias. Não determinado em função da não necessidade de estipular o limite máximo de resíduo (LMR) para este produto. Efetuar o tratamento sempre no início do aparecimento das pragas
Trichoplusia
(Trichoplusia ni)
até 30 g p.c./100 L de água 400 a 600 L de calda/ha - Deve ser reaplicado com intervalos de 7 a 10 dias. Não determinado em função da não necessidade de estipular o limite máximo de resíduo (LMR) para este produto. Efetuar o tratamento sempre no início do aparecimento das pragas
Eucalipto Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Lagarta dos eucalipotos
(Thyrinteina arnobia)
0,5 a 0,75 g.p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha - Deve ser reaplicado com intervalos de 7 a 10 dias. Não determinado em função da não necessidade de estipular o limite máximo de resíduo (LMR) para este produto. Efetuar o tratamento sempre no início do aparecimento das pragas
Feijão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Lagarta da soja
(Anticarsia gemmatalis)
125 a 250 g.p.c./ha até 200 L de calda/ha - Deve ser reaplicado com intervalos de 7 a 10 dias. Não determinado em função da não necessidade de estipular o limite máximo de resíduo (LMR) para este produto. Efetuar o tratamento sempre no início do aparecimento das pragas
Fumo Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Lagarta da maçã
(Heliothis virescens)
125 a 250 g.p.c./ha até 200 L de calda/ha - Deve ser reaplicado com intervalos de 7 a 10 dias. Não determinado em função da não necessidade de estipular o limite máximo de resíduo (LMR) para este produto. Efetuar o tratamento sempre no início do aparecimento das pragas
Mandarová do fumo
(Manduca sexta paphus)
125 a 250 g.p.c./ha até 200 L de calda/ha - Deve ser reaplicado com intervalos de 7 a 10 dias. Não determinado em função da não necessidade de estipular o limite máximo de resíduo (LMR) para este produto. Efetuar o tratamento sempre no início do aparecimento das pragas
Mandioca Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mandarová
(Erinnyis ello)
125 a 250 g.p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha - Deve ser reaplicado com intervalos de 7 a 10 dias. Não determinado em função da não necessidade de estipular o limite máximo de resíduo (LMR) para este produto. Efetuar o tratamento sempre no início do aparecimento das pragas
Melancia Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Broca das cucurbitáceas
(Diaphania hyalinata)
até 50 g p.c./100 L de água até 500 L de calda/ha - Deve ser reaplicado com intervalos de 7 a 10 dias. Não determinado em função da não necessidade de estipular o limite máximo de resíduo (LMR) para este produto. Efetuar o tratamento sempre no início do aparecimento das pragas
Broca dos frutos
(Diaphania nitidalis)
até 50 g p.c./100 L de água até 500 L de calda/ha - Deve ser reaplicado com intervalos de 7 a 10 dias. Não determinado em função da não necessidade de estipular o limite máximo de resíduo (LMR) para este produto. Efetuar o tratamento sempre no início do aparecimento das pragas
Melão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Broca das cucurbitáceas
(Diaphania hyalinata)
até 50 g p.c./100 L de água até 500 L de calda/ha - Deve ser reaplicado com intervalos de 7 a 10 dias. Não determinado em função da não necessidade de estipular o limite máximo de resíduo (LMR) para este produto. Efetuar o tratamento sempre no início do aparecimento das pragas
Broca dos frutos
(Diaphania nitidalis)
até 50 g p.c./100 L de água até 500 L de calda/ha - Deve ser reaplicado com intervalos de 7 a 10 dias. Não determinado em função da não necessidade de estipular o limite máximo de resíduo (LMR) para este produto. Efetuar o tratamento sempre no início do aparecimento das pragas
Milho Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Helicoverpa
(Helicoverpa armigera)
até 250 g.p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha - Deve ser reaplicado com intervalos de 7 a 10 dias. Não determinado em função da não necessidade de estipular o limite máximo de resíduo (LMR) para este produto. Efetuar o tratamento sempre no início do aparecimento das pragas
Lagarta do cartucho
(Spodoptera frugiperda)
até 250 g.p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha - Deve ser reaplicado com intervalos de 7 a 10 dias. Não determinado em função da não necessidade de estipular o limite máximo de resíduo (LMR) para este produto. Efetuar o tratamento sempre no início do aparecimento das pragas
Pastagens Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Curuquerê dos capinzais
(Mocis latipes)
200 a 300 g.p.c./ha até 200 L de calda/ha - Deve ser reaplicado com intervalos de 7 a 10 dias. Não determinado em função da não necessidade de estipular o limite máximo de resíduo (LMR) para este produto. Efetuar o tratamento sempre no início do aparecimento das pragas
Lagarta do cartucho
(Spodoptera frugiperda)
200 a 300 g.p.c./ha até 200 L de calda/ha - Deve ser reaplicado com intervalos de 7 a 10 dias. Não determinado em função da não necessidade de estipular o limite máximo de resíduo (LMR) para este produto. Efetuar o tratamento sempre no início do aparecimento das pragas
Pepino Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Broca das cucurbitáceas
(Diaphania hyalinata)
até 50 g p.c./100 L de água até 500 L de calda/ha - Deve ser reaplicado com intervalos de 7 a 10 dias. Não determinado em função da não necessidade de estipular o limite máximo de resíduo (LMR) para este produto. Efetuar o tratamento sempre no início do aparecimento das pragas
Broca dos frutos
(Diaphania nitidalis)
até 50 g p.c./100 L de água até 500 L de calda/ha - Deve ser reaplicado com intervalos de 7 a 10 dias. Não determinado em função da não necessidade de estipular o limite máximo de resíduo (LMR) para este produto. Efetuar o tratamento sempre no início do aparecimento das pragas
Repolho Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Lagarta da couve
(Ascia monuste orseis)
até 30 g p.c./100 L de água 400 a 600 L de calda/ha - Deve ser reaplicado com intervalos de 7 a 10 dias. Não determinado em função da não necessidade de estipular o limite máximo de resíduo (LMR) para este produto. Efetuar o tratamento sempre no início do aparecimento das pragas
Traças das crucíferas
(Plutella xylostella)
até 30 g p.c./100 L de água 400 a 600 L de calda/ha - Deve ser reaplicado com intervalos de 7 a 10 dias. Não determinado em função da não necessidade de estipular o limite máximo de resíduo (LMR) para este produto. Efetuar o tratamento sempre no início do aparecimento das pragas
Trichoplusia
(Trichoplusia ni)
até 30 g p.c./100 L de água 400 a 600 L de calda/ha - Deve ser reaplicado com intervalos de 7 a 10 dias. Não determinado em função da não necessidade de estipular o limite máximo de resíduo (LMR) para este produto. Efetuar o tratamento sempre no início do aparecimento das pragas
Soja Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Helicoverpa
(Helicoverpa armigera)
até 250 g.p.c./ha 150 a 200 L de calda/ha - Deve ser reaplicado com intervalos de 7 a 10 dias. Não determinado em função da não necessidade de estipular o limite máximo de resíduo (LMR) para este produto. Efetuar o tratamento sempre no início do aparecimento das pragas
Lagarta da soja
(Anticarsia gemmatalis)
125 a 250 g.p.c./ha 150 a 200 L de calda/ha - Deve ser reaplicado com intervalos de 7 a 10 dias. Não determinado em função da não necessidade de estipular o limite máximo de resíduo (LMR) para este produto. Efetuar o tratamento sempre no início do aparecimento das pragas
Trichoplusia
(Trichoplusia ni)
125 a 250 g.p.c./ha 150 a 200 L de calda/ha - Deve ser reaplicado com intervalos de 7 a 10 dias. Não determinado em função da não necessidade de estipular o limite máximo de resíduo (LMR) para este produto. Efetuar o tratamento sempre no início do aparecimento das pragas
Tomate Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Lagarta da espiga do milho
(Helicoverpa zea)
até 30 g p.c./100 L de água 500 a 600 L de calda/ha - Deve ser reaplicado com intervalos de 7 a 10 dias. Não determinado em função da não necessidade de estipular o limite máximo de resíduo (LMR) para este produto. Efetuar o tratamento sempre no início do aparecimento das pragas
Trichoplusia
(Trichoplusia ni)
até 30 g p.c./100 L de água 500 a 600 L de calda/ha - Deve ser reaplicado com intervalos de 7 a 10 dias. Não determinado em função da não necessidade de estipular o limite máximo de resíduo (LMR) para este produto. Efetuar o tratamento sempre no início do aparecimento das pragas

INSTRUÇÕES DE USO/CUL TURAS/PRAGAS/DOSE:
Produto com eficiência agronômica comprovada para as culturas: abóbora, alfafa, algodão,
amendoim, arroz, brócolis, café, cana-de-açúcar, citros, coco, couve, couve-flor, eucalipto,
fumo, mandioca, melão, melancia, pastagens, pepino, repolho, soja e tomate, podendo ser
utilizado em qualquer cultura com ocorrência dos alvos biológicos.

NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO I MODO DE APLICAÇÃO:
Efetuar o tratamento sempre no início do aparecimento das pragas, e repetir sempre que
necessário. Em caso de chuva após o tratamento, repetir a aplicação.
O HELYMAX WP deve ser aplicado através de pulverização, fazendo uma pré mistura antes
de colocar o produto no pulverizador. Pulverizar uniformemente procurando atingir toda a
planta.
O HELYMAX WP deve ser reaplicado com intervalos de 7 a 10 dias, repetindo-se em caso de
chuva. Usar sempre um espalhante adesivo, seguindo as recomendações do fabricante.
EQUIPAMENTOS DE APLICAÇÃO:
Recomenda-se o uso de pulverizadores manuais, motorizados ou acoplados a tratores, com
bicos cônicos tipo D8 e D9.
INTERVALO DE SEGURANÇA: Não determinado em função da não necessidade de estipular
o limite máximo de resíduo (LMR) para este produto.

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NA CULTURA E ÁREAS TRATADAS: Não
entre na área em que o produto foi aplicado antes da completa secagem da calda (no mínimo
24 horas após a aplicação). Caso necessite entrar na área tratada antes desse período, utilize
os equipamentos de proteção individual (EPls) recomendados para a aplicação do produto.
LIMITAÇÕES DE USO:
Não aplicar o HELYMAX WP nas horas de sol muito forte, dê preferência para fazer as
aplicações ao entardecer. Não aplicar o HELYMAX WP em dias de chuva forte ou com
prenúncio das mesmas.

DADOS RELATIVOS A PROTECAO DA SAÚDE HUMANA:
PRODUTO PERIGOSO.
ANTES DE USAR LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES.
USE OS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL COMO INDICADO.
PRECAUÇÕES GERAIS:
- Produto para use exclusivamente agricola.
Não coma, não beba e não fume durante o manuseio e aplicação do do produto.
Não manuseie ou aplique o produto sem os equipamentos de proteção individual (EPI) recomendados.
Os equipamentos de proteção individual (EPI) recomendados devem ser vestidos na seguinte ordem: macacdo, botas, mascara, óculos e luvas.
Não utilize equipamentos de proteção individual (EPI) danificados.
Não utilize equipamentos corn vazamentos ou defeitos.
Não desentupa bicos, orificios e válvulas corn a boca.
Ndo transporte o produto juntamente com alimentos, medicamentos, rações, animais e pessoas.

PRECAUÇÕES NA PREPARAÇÃO DA CALDA:
- Se houver contato do produto com os olhos, lave-os imediatamente e SIGA AS ORIENTACOES DESCRITAS EM PRIMEIROS SOCORROS.
Caso o produto seja inalado ou aspirado, procure local arejado e SIGA AS ORIENTAÇÕES DESCRITAS EM PRIMEIROS SOCORROS.
Ao contato do produto com a pele, lave-a imediatamente e SIGA AS ORIENTACOES DESCRITAS EM PRIMEIROS SOCORROS.
Ao abrir a embalagem, faça-o de modo a evitar dispersado de poeira.
Utilize equipamento de proteção individual — EPI: macacão com tratamento hidrorepelente com mangas compridas passando por cima do punho das luvas e as pernas das calças por cima das botas; botas de borracha; mascara descartável, cobrindo nariz e a boca, Óculos de proteção e luvas de nitrila.
Manuseie o produto em local arejado.

PRECAUÇÕES DURANTE A APLICAÇÃO
- Evite o máximo possível o contato com a área de aplicação.
Não aplique o produto na presença de ventos fortes e nas horas mais quentes do dia. Aplique o produto somente nas doses recomendadas.
Utilize equipamento de proteção individual — EPI: macacão com tratamento hidrorepelente com mangas compridas passando por cima do punho das luvas e as pernas das calças por cima das botas; botas de borracha; mascara descartável, cobrindo nariz e a boca, Óculos de proteção e luvas de nitrila.

PRECAUÇÕES APOS A APLICAÇÃO
Não reutilize a embalagem vazia.
Mantenha o restante do produto adequadamente fechado em sua embalagem original em local trancado, longe do alcance de crianças e animais.
Antes de retirar os equipamentos de proteção individual (EPI), lave as luvas ainda vestidas para evitar contaminação.
Tome banho imediatamente após a aplicação do produto.
Troque e lave as suas roupas de proteção separado das demais roupas da família. Ao lavar as roupas utilizar luvas e avental impermeável.
Faça a manutenção e lavagem dos equipamentos de proteção após cada aplicação do produto.
No descarte de embalagens utilize equipamento de proteção individual — EPI: macacão hidrorepelente com mangas compridas, luvas, óculos de proteção e botas de borracha.

PRIMEIROS SOCORROS: procure logo um serviço médico de emergência levando a embalagem, rótulo, bula ou receituário agronômico do produto.
Ingestão: Em caso de ingestão, não provoque vômito.
Olhos: Em caso de contato, lave com água corrente em abundância durante 15 minutos.
Pele: Em caso de contato, lave com água e sabão neutro em abundância.
Inalação: Em caso de inalação, transporte o intoxicado para um local arejado.
Se o intoxicado parar de respirar, aplique imediatamente respiração artificial. Transporte-o para assistência médica mais próxima

MECANISMO DE AÇÃO, ABSORÇÃO E EXCREÇÃO:
- O produto não é absorvido pela pele e mucosa. O produto é excretado em sua forma original pelo trato digestivo.
SINTOMAS DE ALARME (efeitos colaterais):
- Quando ingerido em grande quantidade, poderá causar distúrbios intestinais

Sempre que houver disponibilidade de informações sobre MIP, provenientes da pesquisa
pública ou privada, recomenda-se que estes programas sejam implementados.

Qualquer agente de controle de inseto pode ficar menos efetivo ao longo do tempo se o insetoalvo
desenvolver algum mecanismo de resistência. O Comitê Brasileiro de Ação a Resistência
a Inseticidas - FRAC-BR recomenda as seguintes estratégias de manejo de resistência a
inseticidas (MRI), visando prolongar a vida útil dos mesmos:
- Qualquer produto para controle de inseto da mesma classe ou modo de ação não deve ser
utilizado em gerações consecutivas da mesma praga.
- Utilizar somente as doses recomendadas no rótulo/bula.
- Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para direcionamento sobre as recomendações
locais para o MRI.
- Incluir outros métodos de controle de insetos (ex: Controle Cultural, biológico, etc.) dentro do
programa de Manejo Integrado de Pragas (MIP) quando disponível e apropriado.