Bula Impact Plus

acessos
Flutriafol + Carbendazim
5807
FMC

Composição

Carbendazim 500 g/L Benzimidazóis
Flutriafol 84 g/L Triazol

Classificação

Fungicida
III - Medianamente tóxico
III - Produto perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Suspensão Concentrada (SC)
Sistêmico

Algodão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Ramularia
(Ramularia areola)
0,6 L p.c./ha 200 L de calda/ha 30 a 40 L de calda/ha (aéreo) 15 dias. 21 dias. 25 a 35 dias após o plantio ou no aparecimento dos primeiros sintomas
Tombamento
(Colletotrichum gossypii)
0,6 L p.c./ha 200 L de calda/ha 30 a 40 L de calda/ha (aéreo) 15 dias. 21 dias. 25 a 35 dias após o plantio ou no aparecimento dos primeiros sintomas
Feijão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Antracnose
(Colletotrichum lindemuthianum)
0,5 L p.c./ha 400 L de calda/ha 30 a 40 L de calda/ha (aéreo) 15 dias. 14 dias. 30 dias após a emergência
Mancha angular
(Phaeoisariopsis griseola)
0,5 L p.c./ha 400 L de calda/ha 30 a 40 L de calda/ha (aéreo) 15 dias. 14 dias. 30 dias após a emergência

Conteúdo: 1, 5, 10, 20, 50, 100 e 200 L.

INSTRUÇÕES DE USO:

IMPACT PLUS é um fungicida sistêmico, do grupo químico Triazol (Flutriafol) e Bezimidazol (Carbendazim), usado em pulverização para controle das doenças da parte aérea das culturas de algodão e feijão.

Obs. Utilizar a dose mais alta em regiões com histórico de ocorrência ou em condições favoráveis ao desenvolvimento da doença.
Em geral as condições que favorecem o desenvolvimento das doenças para as quais o produto é indicado são: temperaturas e umidade relativa altas.

NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO:

Algodão:
Iniciar as aplicações do 25º ao 35º dia após o plantio ou no aparecimento dos primeiros sintomas da doença e repetir se necessário em intervalos de 15 dias, dependendo da evolução da doença.
Efetuar no máximo 3 aplicações na cultura do algodão com intervalo de 15 dias entre aplicações.

Feijão:
Iniciar as aplicações preventivamente ao redor de 30 dias após a emergência e repetir a cada 15 dias de acordo com as condições climáticas e pressão da doença.
Efetuar no máximo 3 aplicações na cultura do feijão com intervalo de 15 dias entre aplicações.

MODO DE APLICAÇÃO
IMPACT PLUS deve ser diluído em água e aplicado através de pulverização sobre as plantas, de modo que haja uma boa cobertura. Antes da diluição, o produto deve ser agitado em sua embalagem original.

Aplicação terrestre:
Diluir o produto em água, conforme a indicação de uso.
Utilizar pulverizador tratorizado de barra, equipado com bicos apropriados, produzindo um diâmetro de gotas de 50 a 200 µm, uma densidade de 50 a 70 gotas por cm2, e uma pressão de 40 a 60 libras.
Recomenda-se aplicar com temperatura inferior a 27°C, com umidade relativa acima de 60% e ventos de no máximo 10 km/hora.
Se utilizar outro tipo de equipamento, procurar obter uma cobertura uniforme na parte aérea da cultura.
O sistema de agitação do produto no interior do tanque deve ser mantido em funcionamento durante toda aplicação.

Aplicação aérea:
Utilizar barra com um volume de 30 a 40 litros de calda por ha. Usar bicos apropriados para esse tipo de aplicação.
Largura efetiva de 15-18 m, com diâmetro de gotas de 80 µm, e um mínimo de 60 gotas por cm².
O diâmetro de gotas deve ser ajustado para cada volume de aplicação em litros por ha, para proporcionar a cobertura adequada e a densidade de gotas desejada.
Observar ventos de 3 a 10 km/hora, temperatura inferior a 27°C e umidade relativa superior a 60% visando reduzir ao mínimo as perdas por deriva ou evaporação.
O sistema de agitação do produto no interior do tanque deve ser mantido em funcionamento durante toda aplicação.

INTERVALO DE SEGURANÇA:
Algodão: 21 dias;
Feijão: 14 dias.

LIMITAÇÕES DE USO:
Desde que sejam seguidas as recomendações de uso, não ocorre fitotoxicidade para as culturas.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Sempre que houver disponibilidade de informações sobre programas de Manejo Integrado, provenientes da pesquisa pública ou privada, recomenda-se que estes programas sejam implementados.

Qualquer agente de controle de doenças pode ficar menos efetivo ao longo do tempo se o patógeno alvo desenvolver algum mecanismo de resistência. Implementando as seguintes estratégias de manejo de resistência a fungicidas poderíamos prolongar a vida útil dos fungicidas:
-Qualquer produto para controle de patógenos da mesma classe ou modo de ação não deve ser utilizado em gerações consecutivas do mesmo patógeno.
-Utilizar somente as dosagens recomendadas na bula.
-Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para direcionamento sobre as recomendações locais para o Manejo Integrado de Doenças.
-Incluir outros métodos de controle de doenças (ex.: Controle Cultural, Biológico, etc.) dentro do programa de Manejo Integrado de Doenças quando disponível e apropriado.