Bula Magnific - Arysta Lifescience

Bula Magnific

acessos
Acefato
212
Arysta Lifescience

Composição

Acefato 750 g/kg Organofosforado

Classificação

Acaricida, Inseticida
III - Medianamente tóxico
III - Produto perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Pó solúvel (SP)
Contato, Ingestão, Sistêmico

Amendoim Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Cigarrinha verde
(Empoasca spp)
0,4 a 0,5 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - Aplicação única 14 dias Os tratamentos devem ser iniciados quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico e repetidos. Para os casos com indicação de mais de uma dose, adotar as menores para níveis de infestações das pragas mais baixos e as maiores para níveis de infestações mais altos
Lagarta do pescoço vermelho
(Stegasta bosquella)
0,5 a 1 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - Aplicação única 14 dias Os tratamentos devem ser iniciados quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico e repetidos. Para os casos com indicação de mais de uma dose, adotar as menores para níveis de infestações das pragas mais baixos e as maiores para níveis de infestações mais altos
Tripes
(Caliothrips brasiliensis)
0,4 a 0,5 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - Aplicação única 14 dias Os tratamentos devem ser iniciados quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico e repetidos. Para os casos com indicação de mais de uma dose, adotar as menores para níveis de infestações das pragas mais baixos e as maiores para níveis de infestações mais altos
Tripes do bronzeamento
(Enneothrips flavens)
0,4 a 0,5 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - Aplicação única 14 dias Os tratamentos devem ser iniciados quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico e repetidos. Para os casos com indicação de mais de uma dose, adotar as menores para níveis de infestações das pragas mais baixos e as maiores para níveis de infestações mais altos
Batata Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Cigarrinha verde
(Empoasca kraemeri)
0,4 a 0,6 kg p.c./ha 400 a 600 L de calda/ha - Realizar no máximo 3 aplicações por ciclo da cultura, com intervalo de 10 dias 14 dias Os tratamentos devem ser iniciados quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico e repetidos. Para os casos com indicação de mais de uma dose, adotar as menores para níveis de infestações das pragas mais baixos e as maiores para níveis de infestações mais altos
Lagarta do cartucho
(Spodoptera frugiperda)
0,75 a 1,5 kg p.c./ha 750 a 1500 L de calda/ha - Realizar no máximo 3 aplicações por ciclo da cultura, com intervalo de 10 dias 14 dias Os tratamentos devem ser iniciados quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico e repetidos. Para os casos com indicação de mais de uma dose, adotar as menores para níveis de infestações das pragas mais baixos e as maiores para níveis de infestações mais altos
Pulgão das solanáceas
(Macrosiphum euphorbiae)
0,4 a 0,6 kg p.c./ha 400 a 600 L de calda/ha - Realizar no máximo 3 aplicações por ciclo da cultura, com intervalo de 10 dias 14 dias Os tratamentos devem ser iniciados quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico e repetidos. Para os casos com indicação de mais de uma dose, adotar as menores para níveis de infestações das pragas mais baixos e as maiores para níveis de infestações mais altos
Pulgão verde
(Myzus persicae)
0,4 a 0,6 kg p.c./ha 400 a 600 L de calda/ha - Realizar no máximo 3 aplicações por ciclo da cultura, com intervalo de 10 dias 14 dias Os tratamentos devem ser iniciados quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico e repetidos. Para os casos com indicação de mais de uma dose, adotar as menores para níveis de infestações das pragas mais baixos e as maiores para níveis de infestações mais altos
Traça da batatinha
(Phthorimaea operculella)
0,75 a 1,5 kg p.c./ha 750 a 1500 L de calda/ha - Realizar no máximo 3 aplicações por ciclo da cultura, com intervalo de 10 dias 14 dias Os tratamentos devem ser iniciados quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico e repetidos. Para os casos com indicação de mais de uma dose, adotar as menores para níveis de infestações das pragas mais baixos e as maiores para níveis de infestações mais altos
Feijão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Cigarrinha verde
(Empoasca kraemeri)
0,2 a 0,5 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - Aplicação única 14 dias Os tratamentos devem ser iniciados quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico e repetidos. Para os casos com indicação de mais de uma dose, adotar as menores para níveis de infestações das pragas mais baixos e as maiores para níveis de infestações mais altos
Lagarta enroladeira das folhas
(Hedylepta indicata)
0,5 a 1 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - Aplicação única 14 dias Os tratamentos devem ser iniciados quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico e repetidos. Para os casos com indicação de mais de uma dose, adotar as menores para níveis de infestações das pragas mais baixos e as maiores para níveis de infestações mais altos
Mosca branca
(Bemisia tabaci)
0,2 a 0,5 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - Aplicação única 14 dias Os tratamentos devem ser iniciados quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico e repetidos. Para os casos com indicação de mais de uma dose, adotar as menores para níveis de infestações das pragas mais baixos e as maiores para níveis de infestações mais altos
Tripes
(Caliothrips brasiliensis)
1 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - Aplicação única 14 dias Os tratamentos devem ser iniciados quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico e repetidos
Vaquinha verde amarela
(Diabrotica speciosa)
0,5 a 1 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - Aplicação única 14 dias Os tratamentos devem ser iniciados quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico e repetidos. Para os casos com indicação de mais de uma dose, adotar as menores para níveis de infestações das pragas mais baixos e as maiores para níveis de infestações mais altos
Melão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Pulgão do algodoeiro
(Aphis gossypii)
0,25 kg p.c./ha 400 L de calda/ha - Realizar no máximo 3 aplicações por ciclo da cultura, com intervalo de 10 dias 7 dias Os tratamentos devem ser iniciados quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico e repetidos
Tomate industrial Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Ácaro vermelho
(Tetranychus evansi)
0,75 a 1 kg p.c./ha 750 a 1000 L de calda/ha - Realizar no máximo 3 aplicações por ciclo da cultura, com intervalo de 10 dias 7 dias Os tratamentos devem ser iniciados quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico e repetidos. Para os casos com indicação de mais de uma dose, adotar as menores para níveis de infestações das pragas mais baixos e as maiores para níveis de infestações mais altos
Lagarta da espiga do milho
(Helicoverpa zea)
0,75 a 1 kg p.c./ha 750 a 1000 L de calda/ha - Realizar no máximo 3 aplicações por ciclo da cultura, com intervalo de 10 dias 7 dias Os tratamentos devem ser iniciados quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico e repetidos. Para os casos com indicação de mais de uma dose, adotar as menores para níveis de infestações das pragas mais baixos e as maiores para níveis de infestações mais altos
Larva minadora
(Liriomyza huidobrensis)
0,5 a 0,75 kg p.c./ha 500 a 750 L de calda/ha - Realizar no máximo 3 aplicações por ciclo da cultura, com intervalo de 10 dias 7 dias Os tratamentos devem ser iniciados quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico e repetidos. Para os casos com indicação de mais de uma dose, adotar as menores para níveis de infestações das pragas mais baixos e as maiores para níveis de infestações mais altos
Pulgão das solanáceas
(Macrosiphum euphorbiae)
1 kg p.c./ha 500 a 750 L de calda/ha - Realizar no máximo 3 aplicações por ciclo da cultura, com intervalo de 10 dias 7 dias Os tratamentos devem ser iniciados quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico e repetidos
Pulgão verde
(Myzus persicae)
1 kg p.c./ha 500 a 750 L de calda/ha - Realizar no máximo 3 aplicações por ciclo da cultura, com intervalo de 10 dias 7 dias Os tratamentos devem ser iniciados quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico e repetidos
Tripes
(Thrips palmi)
0,5 a 0,75 kg p.c./ha 500 a 750 L de calda/ha - Realizar no máximo 3 aplicações por ciclo da cultura, com intervalo de 10 dias 7 dias Os tratamentos devem ser iniciados quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico e repetidos. Para os casos com indicação de mais de uma dose, adotar as menores para níveis de infestações das pragas mais baixos e as maiores para níveis de infestações mais altos
Vaquinha verde amarela
(Diabrotica speciosa)
0,5 a 0,75 kg p.c./ha 500 a 750 L de calda/ha - Realizar no máximo 3 aplicações por ciclo da cultura, com intervalo de 10 dias 7 dias Os tratamentos devem ser iniciados quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico e repetidos. Para os casos com indicação de mais de uma dose, adotar as menores para níveis de infestações das pragas mais baixos e as maiores para níveis de infestações mais altos

Tipo: Frasco (contendo sacos hidrossolúveis)
Material: Metálico e Plástico
Capacidade: 1,0; 1,5; 2,0; 2,5; 3,0; 4,0; 5,0; 8,0; 10; 15; 20; 25 Kg

Tipo: Fibrolata (contendo sacos hidrossolúveis)
Material: Corpo de papel com tampa e/ou fundo de flandres (metal)
Capacidade: 0,5; 1,0; 2,0; 3,0; 4,0; 5,0 Kg

Tipo: Saco (contendo sacos hidrossolúveis)
Material: Polietileno e Aluminizado e Metálico e Plástico e Papel
Capacidade: 0,1; 0,15; 0,2; 0,25; 0,3; 0,5; 1,0; 1,5; 2,0; 2,5; 3,0; 3,5; 4,0; 5,0; 6,0; 8,0; 10; 15; 20; 25 Kg

Tipo: Saco
Material: Hidrossolúvel
Capacidade: 0,1; 0,15; 0,2; 0,25; 0,3; 0,5; 1,0; 1,5; 2,0; 2,5; 3,0; 3,5; 4,0; 5,0; 6,0; 8,0; 10; 15; 20; 25 Kg

Tipo: Big-bag (Uso exclusivamente industrial)
Material: Tecido com proteção impermeável
Capacidade: 100; 200; 250; 500; 600; 625; 650; 700; 800; 900; 1.000; 1.100; 1.200; 1.500 Kg

Tipo: Tambor (Uso exclusivamente industrial)
Material: Metálico (com revestimento anticorrosivo) ou Plástico
Capacidade: 50; 100; 200; 250; 500 Kg

NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO:
Os tratamentos devem ser iniciados quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico e repetidos, se necessário, de acordo com o número máximo de aplicação para cada cultura (tabela acima), respeitando-se o intervalo mínimo de 10 dias entre cada aplicação. Para os casos com indicação de mais de uma dose, adotar as menores para níveis de infestações das pragas mais baixos e as maiores para níveis de infestações mais altos.
É PROIBIDA A APLICAÇÃO ATRAVÉS DE EQUIPAMENTOS COSTAIS, MANUAIS E EM ESTUFAS.
MODO DE APLICAÇÃO:
Preparo da Calda:
MAGNIFIC é acondicionado em saco hidrossolúvel, que é totalmente dissolvido em contato com a água, não havendo necessidade de abrir ou cortá-lo. A embalagem hidrossolúvel deve ser despejada diretamente no tanque de preparo da solução. Para o uso de sacos hidrossolúveis:
1) Encher o tanque com água limpa com ¼ do volume de calda recomendado.
2) Iniciar agitação no tanque.
3) Colocar o saco hidrossolúvel diretamente no tanque, sem cortá-lo ou abri-lo, ao colocálo na água ele se dissolverá rapidamente.
4) Adicionar tantos sacos hidrossolúveis quanto necessário para conseguir a dosagem recomendada.
5) Aguardar a completa dissolução do saco hidrossolúvel na água. A agitação contínua é necessária para a boa mistura.
Limpeza do equipamento de aplicação:
Antes da aplicação, verifique e inicie somente com o equipamento limpo e bem conservado. Imediatamente após a aplicação, proceda a uma completa limpeza de todo o equipamento para reduzir o risco da formação de depósitos sólidos que possam se tornar difíceis de serem removidos. O adiamento, mesmo por poucas horas, somente torna a limpeza mais difícil.
1. Com o equipamento de aplicação vazio, enxágue completamente o pulverizador e faça circular água limpa pelas mangueiras, barras, bicos e difusores, removendo fisicamente, se necessário, os depósitos visíveis de produto. O material resultante desta operação deverá ser pulverizado na área tratada com o respectivo produto.
2. Complete o pulverizador com água limpa. Circule esta solução pelas mangueiras, barras, filtros e bicos. Desligue a barra e encha o tanque com água limpa. Circule pelo sistema de pulverização por 15 minutos. Circule então pelas mangueiras, barras, filtros, bicos e difusores. Esvazie o tanque na área tratada com o respectivo produto.
3. Remova e limpe os bicos, filtros e difusores em um balde com a solução de limpeza. Enxágue completamente o pulverizador, mangueiras, barra, bicos e difusores com água limpa no mínimo 3 vezes. Limpe tudo que for associado ao pulverizador, inclusive o material usado para o enchimento do tanque.
4. Tome todas as medidas de segurança necessárias durante a limpeza. Não limpe o equipamento perto de nascentes, fontes de água ou de plantas úteis. Descarte os resíduos da limpeza de acordo com a legislação Estadual ou Municipal.
MAGNIFIC deve ser aplicado em pulverização terrestre com pulverizador de barra tratorizado, munidos de bicos adequados que produzam gotas de 110-120 µs e densidade de 40 - 60 gotas/cm2 , procurando obter pulverizações com cobertura uniforme da parte aérea das plantas.
CONDIÇÕES CLIMÁTICAS:
- Temperatura ambiente: máxima de 30ºC.
- Umidade Relativa do ar: mínima de 55%.
- Velocidade do vento: 2 a 10 km/hora.
O Engenheiro agrônomo pode alterar as condições de aplicação desde que não ultrapasse a dose máxima, o número máximo de aplicações e o intervalo de segurança determinados nesta bula.
INTERVALO DE SEGURANÇA:
Tomate industrial e Melão: 7 dias
Algodão, Batata e Feijão: 14 dias
INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS:
Não entre na área em que o produto foi aplicado antes da secagem completa da calda (no mínimo 24 horas após a aplicação). Caso necessite entrar antes deste período, utilize os equipamentos de proteção individual (EPIs) recomendados para o uso durante a aplicação.
LIMITAÇÕES DE USO:
Quando utilizado conforme as recomendações da bula, MAGNIFIC não causa fitotoxicidade às culturas indicadas.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Incluir outros métodos de cantrole de pragas (Ex. cantrole cultural, biológico, etc.) dentro do programa de Manejo Integrado de Pragas, quando disponível e apropriado.

Qualquer agente de controle de inseto pode se tornar menos efetivo ao longo do tempo, se o inseto desenvolver algum mecanismo de resistência. O Comitê Brasileiro de Ação a Resistência a Inseticida - IRAC-BR recomenda as seguintes estratégias de manejo de resistência a inseticida, visando prolongar a vida útil dos inseticidas:
- Qualquer produto para controle de inseto, da mesma classe ou modo de ação, não deve ser utilizado em gerações consecutivas da praga.
- Usar somente as doses recomendadas na bula/rótulo. - Consultar sempre um Engenheiro Agrônomo para orientação sobre o Manejo de Resistência a Inseticidas.