Bula MELTAN - TradeCorp

Bula MELTAN

CI
Flutriafol
32419
TradeCorp

Composição

Flutriafol 125 g/L

Classificação

Terrestre
Fungicida
Não Classificado
III - Produto perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Suspensão Concentrada (SC)
Sistêmico

Tipo: Bombona
Material: Plástico
Capacidade: 5 a 20 L
Tipo: Frasco
Material: Plástico
Capacidade: 0,5 a 1,0 L.

INSTRUÇÃO DE USO

MELTAN é um fungicida sistêmico, do grupo químico triazol, usado em pulverização para controle das doenças da parte aérea das culturas de banana, café e melão.

MODO DE APLICAÇÃO

MELTAN deve ser aplicado nas doses recomendadas, diluído em água, conforme o tipo de aplicação:

BANANA: Aplicação localizada: o produto deverá ser depositado na axila da folha número 2 (a segunda folha totalmente aberta, contando-se de cima para baixo). O equipamento de aplicação deve ser uma pistola dosadora com haste longa para atingir a inserção das folhas.

CAFÉ: Aplicação foliar: aplicar o produto visando boa cobertura da planta evitando-se o escorrimento. Utilizar atomizador motorizado costal ou tratorizado. Aplicação via solo: pulverizar o produto no solo com jato ou bico, dirigindo a aplicação sob a projeção da copa.

MELÃO: As aplicações devem ser terrestres, podendo-se utilizar equipamento costal ou equipamento acoplado a tratores, barra ou pistola munidos de bicos cônicos. Em ambos os equipamentos devem ser utilizados as doses recomendadas, diluídas em água e aplicadas em alta vazão (1000 litros em calda/ ha), visando a completa cobertura das folhas.

INTERVALO DE SEGURANÇA

Banana: 60 dias
Café (aplicação foliar): 30 dias
Café (aplicação no solo): 120 dias
Melão: 10 dias

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS

Não entrar nas áreas tratadas sem equipamento de proteção individual por um período de 24 horas ou até a completa secagem da calda pulverizada. Caso haja necessidade de reentrar nas lavouras ou áreas tratadas antes deste período, usar macacão de mangas compridas, luvas e botas.

LIMITAÇÕES DE USO

Desde que sejam seguidas as recomendações de uso, não ocorre fitotoxicidade para as culturas.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Quando houver recomendação/informações sobre MIP oriundas de pesquisa pública ou privada, as mesmas devem ser implementadas.

GRUPO G 1 FUNGICIDA

Qualquer agente de controle de doenças pode ficar menos efetivo ao longo do tempo devido ao desenvolvimento de resistência. O Comitê Brasileiro de Ação a Resistência a Fungicidas (FRAC-BR) recomenda as seguintes estratégias de manejo de resistência visando prolongar a vida útil dos fungicidas:
- Utilizar a rotação de fungicidas com mecanismos de ação distintos.
- Utilizar o fungicida somente na época, na dose e nos intervalos de aplicação recomendados no rótulo/bula.
- Incluir outros métodos de controle de doenças (Ex. Resistência genética, controle cultural, biológico, etc. no programa de Manejo Integrado de Doenças quando disponível e apropriados).
- Sempre consultar um engenheiro agrônomo para orientação sobre as recomendações locais para o manejo de resistência. - Informações sobre possíveis casos de resistência em fungicidas no controle de fungos patogênicos devem ser consultados e, ou, informados à: Sociedade Brasileira de Fitopatologia (SBF: www.sbfito.com.br), Comitê de Ação à Resistência de Fungicidas (FRAC-BR: www.frac-br.org), Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA: www.agricultura.gov.br).