Bula MNG 02-14 - Maneogene

Bula MNG 02-14

CI
Paecilomyces lilacinus, isolado CCT 7766
40619
Maneogene

Composição

Paecilomyces lilacinus 7 g/L

Classificação

Tratamento de Sementes
Nematicida Microbiológico
Não Classificado
IV - Produto pouco perigoso ao meio ambiente
Não inflamável
Não corrosivo
Concentrado Solúvel (SL)
Nematicida microbiológico

Todas as culturas com ocorrência do alvo biológico

Calda Terrestre Dosagem
Meloidogyne incognita (Nematóide das galhas)

Tipo: Saco
Material: Plástico
Capacidade: 1 - 20 L
Tipo: Frasco
Material: Plástico
Capacidade: 1 L
Tipo: Bombona
Material: Plástico
Capacidade: 5 - 20 L
Tipo: Tambor
Material: Plástico
Capacidade: 200 L.

INSTRUÇÕES DE USO

Culturas

MNG-02/14 é nematicida microbiológico, indicado para controle de nematoide Meloidogyne incognita.
Produto com eficiência agronômica comprovada nas culturas do alface, cenoura, feijão e tomate, podendo ser utilizado em qualquer cultura com ocorrência destes alvos biológicos.

Número, época, intervalo e modo de aplicação

Alface: Realizar uma aplicação via drench ou pulverização no sulco de semeadura antes do transplante das mudas e repetir após 15 dias.

Cenoura: Realizar uma aplicação via drench ou pulverização no sulco de semeadura antes do transplante das mudas e repetir após 15 dias.

Feijão: Realizar uma aplicação via drench ou pulverização no sulco de semeadura antes da semeadura e repetir após 15 dias.

Tomate: Realizar uma aplicação via drench ou pulverização no sulco de semeadura antes do transplante das mudas e repetir após 15 dias.


Modo de Aplicação

Aplicar de maneira uniforme, dando boa cobertura a todo o sulco de plantio. Para assegurar uma boa deposição de calda, evitar deriva.


Instruções para preparo da calda de pulverização:

Encha 1/2 tanque do pulverizador com água. Adicione MNG-02/14 lentamente ao tanque, mantendo o agitador mecânico operando e continue a encher com água até o completo volume do tanque ou da calde de aplicação.
Utilizar a calda preparada no mesmo dia.


Limpeza do equipamento de aplicação

Antes da aplicação, limpe o equipamento e verifique que está bem conservado. Imediatamente após a aplicação, proceda uma completa limpeza de todo o equipamento para reduzir o risco da formação de depósitos sólidos que podem se tornar difíceis de serem removidos. A não lavagem ou mesmo a lavagem inadequada do pulverizador pode resultar em danos às culturas posteriores.
Limpe tudo que estiver associado ao pulverizador, inclusive o material usado para o enchimento de tanque. Não limpe o equipamento perto de nascentes, fontes de água ou de plantas úteis. Descarte os resíduos da limpeza de acordo com a legislação local.

Intervalo de Segurança

Não determinado em função da não necessidade de estipular o limite máximo de resíduo (LMR) para este ingrediente ativo.


Intervalo de Reentrada de Pessoas nas Culturas e Áreas Tratadas

Não entre na área em que o produto foi aplicado antes da secagem completa da calda (no mínimo 24 horas após aplicação). Caso necessite entrar antes desse período, utilize os equipamentos de proteção individual (EPI) recomendados para o uso durante aplicação.

Limitações de uso

Recomenda-se aplicar nas horas mais frescas do dia, preferencialmente final da tarde. Não aplicar sob vento forte. Nessas condições a exposição dos conídios (esporos) do fungo à radiação UV do sol é menor, propiciando a manutenção da viabilidade do fungo.
O produto não é fitotóxico quando aplicado nas doses recomendadas.
Use de acordo com as recomendações da bula/rótulo e observe as precauções necessárias.
Somente usar as doses recomendadas.

Condições climáticas recomendadas durante a pulverização:

• Umidade relativa do ar acima de 55%
• Temperatura abaixo de 30°C
• Velocidade do vento entre 3 a 10 km/h

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Sempre que houver disponibilidade de informações sobre programas de Manejo Integrado, provenientes da pesquisa pública ou privada, recomenda-se que estes programas sejam implementados.

Não existem informações sobre o desenvolvimento de resistência de Paecilomyces lilacinus. Qualquer agente de controle de inseto pode ficar menos efetivo ao longo do tempo devido o desenvolvimento de resistência. O comitê Brasileiro de Ação a Resistência a Inseticidas – IRAC-BR – recomenda as seguintes estratégias de manejo de resistência a inseticidas (MRI), visando prolongar a vida útil dos mesmos:
-Qualquer produto para controle de insetos da mesma classe ou modo de ação, não deve ser utilizado em gerações consecutivas da mesma praga.
-Utilizar somente as dosagens recomendadas no rótulo/bula.
-Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para direcionamento sobre as recomendações locais para o MRI.
-Incluir outros métodos de controle de insetos (ex. Controle Cultural, Biológico etc.) dentro do Manejo Integrado de Pragas (MIP), quando disponível e apropriado.