Bula Perfekthion

acessos
Dimethoate
1458399
Basf

Composição

Dimethoate 400 g/L Organofosforado

Classificação

Acaricida, Inseticida
I - Extremamente tóxica
II - Produto muito perigoso
Inflamável
Não corrosivo
Concentrado Emulsionável (EC)
Contato, Sistêmico
Algodão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Percevejo rajado
(Horcias nobilellus)
600 a 750 mL p.c./ha 150 a 200 L de calda/ha - - 14 dias. Para acompanhamento da evolução da praga
Pulgão do algodoeiro
(Aphis gossypii)
400 a 600 mL p.c./ha 150 a 200 L de calda/ha - - 14 dias. Para acompanhamento da evolução da praga
Citros Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Cochonilha
(Orthezia praelonga)
100 mL p.c./100L água 1 a 15 L de calda / planta - - 3 dias. Para acompanhamento da evolução da praga
Cochonilha pardinha
(Selenaspidus articulatus)
100 mL p.c./100L água 1 a 15 L de calda / planta - - 3 dias. Para acompanhamento da evolução da praga
Cochonilha parlatoria
(Parlatoria cinerea)
200 mL p.c./100L água 1 a 15 L de calda / planta - - 3 dias. Para acompanhamento da evolução da praga
Cochonilha verde
(Coccus viridis)
100 mL p.c./100L água 1 a 15 L de calda / planta - - 3 dias. Para acompanhamento da evolução da praga
Minadora da folhas
(Phyllocnistis citrella)
200 mL p.c./100L água 1 a 15 L de calda / planta - - 3 dias. Para acompanhamento da evolução da praga
Pulgão preto dos citros
(Toxoptera citricida)
100 mL p.c./100L água 1 a 15 L de calda / planta - - 3 dias. Para acompanhamento da evolução da praga
Maçã Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mosca do mediterrâneo
(Ceratitis capitata)
80 mL p.c./100L água 1000 a 1500 L de calda/ha - - 3 dias. Para acompanhamento da evolução da praga
Mosca sul americana
(Anastrepha fraterculus)
80 mL p.c./100L água 1000 a 1500 L de calda/ha - - 3 dias. Para acompanhamento da evolução da praga
Tomate Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Pulgão das solanáceas
(Macrosiphum euphorbiae)
100 mL p.c./100L água 400 a 1000 L de calda/ha - - 14 dias. Para acompanhamento da evolução da praga
Pulgão verde
(Myzus persicae)
100 mL p.c./100L água 400 a 1000 L de calda/ha - - 14 dias. Para acompanhamento da evolução da praga
Trigo Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Pulgão verde dos cereais
(Rhapalosiphum graminum)
400 a 700 mL p.c./ha 150 a 200 L de calda/ha - - 28 dias. Para acompanhamento da evolução da praga

Polietileno coextrusado: 1; 5; 10 e 20 litros. Polietileno fluoretado: 1; 5; 10 e 20 litros. Alumínio: 1 e 5 litros. Aço revestido com verniz epoxi: 20 litros.

INSTRUÇÕES DE USO: INSTRUÇÕES DE USO:
Perfekthion® é um inseticida organofosforado, com ação de contato, de profundidade e sistêmica.
Contato: quando a calda do produto atinge o corpo da praga. No geral, é necessário um volume maior de água, para uma plena cobertura do alvo. A adição de um óleo mineral agrícola tende a melhorar a ação de contato.
Profundidade: penetrando através da superfície das folhas, o produto atinge algumas pragas minadoras.
Sistêmica: o produto absorvido passa a circular na seiva das plantas, e pode controlar pragas sugadoras da seiva. A eficiência será melhor quanto mais intensa a circulação de seiva e quanto mais seiva for sugada. Em períodos de baixa atividade fisiológica das plantas, causada por seca ou fim de ciclo, bem como em plantas de grande porte a atividade sistêmica é reduzida.

Algodão: Pulgão-do- algodoeiro (Aphis gossypii): Tratar quando atingir nível de controle até os 50 dias após a emergência.
Percevejo-rajado (Horcias nobilellus): Tratar no início do ataque.

Citros: Pulgão-preto (Toxoptera citricida): O pulgão preto geralmente causa problemas em mudas ou plantas novas.
Cochonilha- verde (Coccus viridis), Cochonilha- pardinha (Selenaspidus articulatus), Cochonilha-de-placa (Orthezia praelonga), Cochonilha- Parlatória (Parlatoria cinerea) e
Minadora- das-folhas (Phyllocnistis citrella): Recomenda-se acrescentar na calda um adjuvante a base de óleo mineral emulsionável (Assist®) na dose de 0,5%. No tratamento, atingir bem as folhas, os frutos e os ramos e usar um volume de calda que permita algum escorrimento nas plantas.

Maçã: Mosca-das-frutas (Anastrepha fraterculus) e (Ceratitis capitata): Aplicar em cobertura, quando aparecer 1 ou mais moscas por frascos-armadilha, por dia.

Tomate: Pulgão-verde (Myzus persicae) e Pulgão-das- solanáceas (Macrosiphum euphorbiae):
Tratar no início do ataque; repetir com intervalos semanais, conforme a reinfestação da praga.

Trigo: Pulgão-verde- dos-cereais (Rhopalosiphum graminum): A partir do perfilhamento, quando ocorrer ao menos 1 pulgão por 10 plantas, efetuar o tratamento.Variar a dose conforme o grau de infestação.

OBS: O volume de calda varia em função do porte e grau de enfolhamento das plantas, devendo proporcionar um bom molhamento das mesmas.

NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO:
As pulverizações devem ser efetuadas quando as infestações atingirem os níveis de dano econômico às culturas, devendo-se vistoriar a área semanalmente após cada aplicação.

MODO DE APLICAÇÃO:
Perfekthion® deve ser bem misturado com água, e aplicado por pulverização sobre as plantas a proteger.

Algodão, Trigo e Tomate:
•Pulverização costal manual ou motorizado: utilizar bicos cônicos das séries D, X ou equivalente com pressão de 40 a 60 Ib/pol2 (psi).
•Pulverização tratorizada: quando aplicar com barra, usar bico das séries D, X, ou equivalente com pressäo de 40 a 60 Ib/pol2 (psi).
Citros e Maçã: pulverizador mecanizado com pistola ou tubo atomizador.
Atenção: não é autorizado efetuar aplicação aérea com Perfekthion®

INTERVALO DE SEGURANÇA:

Culturas Intervalo (dias)
Algodão 14
Citros 3
Maçã 3
Trigo 28
Tomate 14

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS:
(De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS)

LlMITAÇÔES DE USO:
O produto deve ser utilizado somente nas culturas para as quais está registrado, observando o intervalo de segurança para cada cultura. Não aplique com produtos altamente alcalinos, bem como com qualquer outro agrotóxico.

PRECAUÇÕES GERAIS: Não coma, não beba e não fume durante o manuseio do produto; Não utilize equipamento com vazamento; Não desentupa bicos, orifícios e válvulas com a boca; Não distribua o produto com as mãos desprotegidas.

PRECAUÇÕES NO MANUSEIO: Use Protetor Ocular: se houver contato do produto com os olhos, lave-os imediatamente e VEJA PRIMEIROS SOCORROS. Use máscaras cobrindo o nariz e a boca: caso o produto seja inalado ou aspirado, procure local arejado e VEJA PRIMEIROS SOCORROS. Use Luvas de Borracha: ao contato do produto com a pele, lave-a imediatamente e VEJA PRIMEIROS SOCORROS. Ao abrir a embalagem, faça de modo a evitar respingos: Use macacão com mangas compridas, chapéu de abas largas, óculos ou viseira facial, luvas, botas, avental impermeável e máscara apropriada.

PRECAUÇÕES DURANTE A APLICAÇÃO: Não utilize equipamento com vazamentos; Não desentupa bicos, orifícios, válvulas, tubulações, etc. com a boca; Uso exclusivamente agrícola; Aplique somente as doses recomendadas; Não aplique o produto na presença de ventos fortes ou nas horas mais quentes do dia; Use macacão com mangas compridas, chapéu de abas largas, botas, luvas, máscara e óculos.

PRECAUÇÕES APÓS A APLICAÇÃO: Não reutilize a embalagem vazia; Após a utilização do produto, remova as roupas protetoras e tome banho; Mantenha o restante do produto adequadamente fechado em local trancado, longe do alcance de crianças e animais; Dar manutenção necessária nos equipamentos de segurança. Atentar para o período de vida útil dos filtros, seguindo corretamente as especificações do fabricante.

PRIMEIROS SOCORROS: Tóxico se ingerido. Em caso de INGESTÃO acidental não provoque vômito. Procure imediatamente o médico, levando a bula do produto. Produto irritante para os olhos. Evite o contato com os OLHOS, caso isso aconteça, lave-os imediatamente com água corrente, durante 15 minutos e procure o médico, levando a bula do produto. Evite o contato com a PELE. Caso isso aconteça, lave imediatamente as partes atingidas com água e sabão em abundância e se persistir a irritação, procure o médico, levando a bula do produto. Evite a INALAÇÃO ou ASPIRAÇÃO da calda pulverizada. Caso isso aconteça, remova o paciente para local arejado e chame o médico. Remover as roupas contaminadas e lavar as partes contaminadas do corpo com água e sabão em abundância, em caso de exposição acidental ao produto.

ANTÍDOTO: Sulfato de atropina.

TRATAMENTO MÉDICO: Os sintomas de alarme são: fraqueza, dor de cabeça, opressão no peito, visão turva, pupilas não reativas, salivação abundante, suores, náuseas, vômitos, diarréias e cólica abdominal. Sulfato de atropina é o antídoto de emergência em caso de intoxicação. Nunca administre atropina antes do aparecimento dos sintomas de intoxicação. Se o acidentado parar de respirar, aplique imediatamente respiração artificial e leve-o imediatamente para assistência médica mais próxima. Caso a intoxicação for por ingestão, efetuar lavagem gástrica com carvão ativado a 20%, purgante salino drástico (sulfato de sódio) em em seguida atropinizar. Sulfato de atropina deve ser administrado pelas vias intramuscular ou intravenosa (eventualmente também por via oral): 1 a 6 mg cada 5 a 30 minutos, até atropinização leve. Oximas (Contrathion): 1 a 2 g/dia, nos 3 primeiros dias.

CONTRA-INDICAÇÃO: Morfina, aminofilina, tranqüilizantes.

MECANISMO DE AÇÃO, ABSORÇÃO E EXCREÇÃO: Em estudos conduzidos em animais de laboratório dimethoate foi rapidamente absorvido pelo sangue e rapidamente excretado pela urina.

EFEITOS AGUDOS E CRÔNICOS: O Dimethoate pode ser absorvido por via oral, cutânea ou respiratória e a gravidade do quadro varia de acordo com a sensibilidade individual e a própria via de absorção. Habitualmente quando o produto é absorvido por via oral o quadro tende a ser mais grave. A inalação intensa e principalmente a ingestão, podem produzir irritação pulmonar, com possibilidade de pneumonite química. A exposição crônica a Dimethoate, sobretudo devido à associação aos solventes, pode determinar neuropatias periféricas, que habitualmente se iniciam com perda da força muscular e parestesias.

EFEITOS COLATERAIS/ SINTOMAS DE ALARME: O Dimethoate pertence ao grupo dos organofosforados, sendo portanto um inibidor da atividade da acetilcolinesterase. Sintomas de alarme: fraqueza, dor de cabeça, opressão no peito, visão turva, pupilas não reativas, salivação abundante, suores, náuseas, vômitos, diarréias e cólicas abdominais.

PRECAUÇÕES DE USO E ADVERTÊNCIAS QUANTO AOS CUIDADOS DE PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE: Este produto é Muito Perigoso ao meio ambiente (Classe II). Este produto é Altamente Móvel, apresentando alto potencial de deslocamento no solo, podendo atingir áreas vizinhas às áreas tratadas. Este produto é Altamente tóxico para microcrustáceos. Este produto é Altamente tóxico para aves. Este produto é Altamente tóxico para abelhas. Evite a contaminação ambiental- Preserve a Natureza. Não utilize equipamento com vazamento. Não aplique o produto na presença de ventos fortes ou nas horas mais quentes. Aplique somente as doses recomendadas. Não lave as embalagens ou equipamento aplicador em lagos, fontes, rios e demais corpos d'água. Descarte corretamente as embalagens e restos do produto.

INSTRUÇÕES DE ARMAZENAMENTO DO PRODUTO, VISANDO SUA CONSERVAÇÃO E PREVENÇÃO CONTRA ACIDENTES: Mantenha o produto em sua embalagem original. O local deve ser exclusivo para produtos tóxicos, devendo ser isolado de alimentos, bebidas ou outros materiais. A construção deve ser de alvenaria ou de material não comburente. O local deve ser ventilado, coberto e ter piso impermeável. Coloque placa de advertência com os dizeres: CUIDADO: VENENO. Tranque o local, evitando o acesso de pessoas não autorizadas, principalmente crianças. Deve haver sempre sacos plásticos disponíveis, para envolver adequadamente embalagens rompidas ou para o recolhimento de produtos vazados. Em caso de armazéns maiores, deverão ser seguidas as instruções constantes da NBR 9843. Observe as disposições constantes da legislação estadual e municipal

INSTRUÇÕES EM CASO DE ACIDENTES: Isole e sinalize a área contaminada. Contate as autoridades locais competentes e a Empresa. Utilize o EPI (macacão de PVC, luvas e botas de borracha, óculos protetores e máscara contra eventuais vapores). Isole e sinalize a área contaminada. Em caso de derrame, estancar o escoamento, não permitindo que o produto entre em bueiros, drenos ou cursos de águas naturais. Siga as instruções:

Piso pavimentado: Colocar material absorvente (p. ex. serragem ou terra) sobre o conteúdo derramado e recolha o material com auxílio de uma pá e coloque em recipiente lacrado e identificado devidamente,. Remova conforme orientações de destinação adequada de resíduos e embalagens. Lave o local com grande quantidade de água.

Solo: Retirar as camadas de terra contaminada até atingir o solo não contaminado e adotar os mesmos procedimentos acima descritos para recolhimento e destinação adequada.

Corpos d'água: Interromper imediatamente o consumo humano e animal e contatar o centro de emergência da empresa, visto que as medidas a serem adotadas dependem das proporções do acidente, das características do recurso hídrico em questão e da quantidade do produto envolvido. Em caso de incêndio, use extintores de água em forma de neblina, CO2 ou pó químico, ficando a favor do vento para evitar intoxicação.

DESTINAÇÃO ADEQUADA DE RESÍDUOS E EMBALAGENS: As embalagens devem ser enxaguadas três vezes e a calda resultante acrescentada à preparação para ser pulverizada (tríplice lavagem). Não reutilize embalagens vazias. As embalagens devem ser perfuradas de maneira a torná-las inadequadas para outros usos. Observar legislações estadual e municipal específicas. Fica proibido enterrar embalagens em áreas inadequadas, consulte o Órgão Estadual de Meio Ambiente.

MÉTODO DE DESATIVAÇÃO DO PRODUTO: A incineração é o método indicado, em forno rotativo/câmara de pos-combustão com os seguintes parâmetros para operação: Temperatura do forno rotativo: 900 oC. Temperatura Câmara de pos-combustão: 1200o C. Tempo de residência de gases FR: 2,5 segundos. Tempo de residência de gases CPC: 3,2 segundos. Tempo de residência de sólidos FR: 30 minutos. Pressão de operação: - 0,2 mbar. Oxigênio em excesso chaminé: 11%. Monitoramento "on-line" para CO e O2.

Incluir outros métodos de controle de doenças (ex. controle cultural, biológico, etc.) dentro do programa do Manejo Integrado de Pragas (MIP) quando disponíveis e apropriados.

· Qualquer agente de controle de inseto pode ficar menos efetivo ao longo do tempo se o inseto-alvo desenvolver algum mecanismo de resistência. Implementando as seguintes estratégias de manejo de resistência à inseticidas (MRI) poderíamos prolongar a vida útil dos inseticidas.
· Qualquer produto para controle de inseto da mesma classe ou modo de ação não deve ser utilizado em gerações consecutivas da mesma praga.
· Utilizar somente as doses recomendadas na bula.
· Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para direcionamento sobre as recomendações locais para o MRI.

Compatibilidade

Incompatível com produtos de reação alcalina.