Bula Radar WG - Monsanto
CME MILHO (DEZ/20) US$ 4,090 (1,09%)
| Dólar (compra) R$ 5,61 (0,12%)

Bula Radar WG

Glifosato
7799
Monsanto

Composição

Glifosato 792,5 g/kg
Equivalente ácido de Glifosato 720 g/kg

Classificação

Terrestre
Herbicida
5 - Produto Improvável de Causar Dano Agudo
III - Produto perigoso
Não inflamável
Corrosivo
Granulado Dispersível (WG)
Não seletivo, Sistêmico

Café

Calda Terrestre Dosagem
Acanthospermum australe (Carrapicho rasteiro)
Acanthospermum hispidum (Carrapicho de carneiro)
Alternanthera tenella (Apaga fogo)
Amaranthus hybridus (Caruru roxo)
Amaranthus viridis (Caruru comum)
Avena strigosa (Aveia preta)
Bidens pilosa (Picão preto)
Brachiaria brizantha (Braquiarão)
Brachiaria decumbens (Capim braquiária)
Brachiaria plantaginea (Papuã)
Cenchrus echinatus (Capim carrapicho)
Chamaesyce hirta (Erva de Santa Luzia)
Commelina benghalensis (Trapoeraba)
Conyza bonariensis (Buva)
Cynodon dactylon (Grama seda)
Cyperus ferax (Junquinho)
Cyperus rotundus (Tiririca)
Digitaria horizontalis (Capim colchão)
Digitaria insularis (Capim amargoso )
Echinochloa crusgalli (Capim arroz)
Eleusine indica (Capim pé de galinha)
Euphorbia heterophylla (Amendoim bravo)
Galinsoga parviflora (Picão branco)
Lolium multiflorum (Azevém)
Malvastrum coromandelianum (Vassourinha)
Panicum maximum (Capim colonião)
Paspalum conjugatum (Capim forquilha)
Paspalum notatum (Grama batatais)
Paspalum paniculatum (Grama touceira)
Portulaca oleracea (Beldroega)
Raphanus raphanistrum (Nabiça)
Richardia brasiliensis (Poaia branca)
Sida rhombifolia (Guanxuma)
Sonchus oleraceus (Serralha)

Citros

Calda Terrestre Dosagem
Acanthospermum australe (Carrapicho rasteiro)
Acanthospermum hispidum (Carrapicho de carneiro)
Alternanthera tenella (Apaga fogo)
Amaranthus hybridus (Caruru roxo)
Amaranthus viridis (Caruru comum)
Avena strigosa (Aveia preta)
Bidens pilosa (Picão preto)
Brachiaria brizantha (Braquiarão)
Brachiaria decumbens (Capim braquiária)
Brachiaria plantaginea (Papuã)
Cenchrus echinatus (Capim carrapicho)
Chamaesyce hirta (Erva de Santa Luzia)
Commelina benghalensis (Trapoeraba)
Conyza bonariensis (Buva)
Cynodon dactylon (Grama seda)
Cyperus ferax (Junquinho)
Cyperus rotundus (Tiririca)
Digitaria horizontalis (Capim colchão)
Digitaria insularis (Capim amargoso )
Echinochloa crusgalli (Capim arroz)
Eleusine indica (Capim pé de galinha)
Euphorbia heterophylla (Amendoim bravo)
Galinsoga parviflora (Picão branco)
Lolium multiflorum (Azevém)
Malvastrum coromandelianum (Vassourinha)
Panicum maximum (Capim colonião)
Paspalum conjugatum (Capim forquilha)
Paspalum notatum (Grama batatais)
Paspalum paniculatum (Grama touceira)
Portulaca oleracea (Beldroega)
Raphanus raphanistrum (Nabiça)
Richardia brasiliensis (Poaia branca)
Sida rhombifolia (Guanxuma)
Sonchus oleraceus (Serralha)

Maçã

Calda Terrestre Dosagem
Acanthospermum australe (Carrapicho rasteiro)
Acanthospermum hispidum (Carrapicho de carneiro)
Alternanthera tenella (Apaga fogo)
Amaranthus hybridus (Caruru roxo)
Amaranthus viridis (Caruru comum)
Avena strigosa (Aveia preta)
Bidens pilosa (Picão preto)
Brachiaria brizantha (Braquiarão)
Brachiaria decumbens (Capim braquiária)
Brachiaria plantaginea (Papuã)
Cenchrus echinatus (Capim carrapicho)
Chamaesyce hirta (Erva de Santa Luzia)
Commelina benghalensis (Trapoeraba)
Conyza bonariensis (Buva)
Cynodon dactylon (Grama seda)
Cyperus ferax (Junquinho)
Cyperus rotundus (Tiririca)
Digitaria horizontalis (Capim colchão)
Digitaria insularis (Capim amargoso )
Echinochloa crusgalli (Capim arroz)
Eleusine indica (Capim pé de galinha)
Euphorbia heterophylla (Amendoim bravo)
Galinsoga parviflora (Picão branco)
Lolium multiflorum (Azevém)
Malvastrum coromandelianum (Vassourinha)
Panicum maximum (Capim colonião)
Paspalum conjugatum (Capim forquilha)
Paspalum notatum (Grama batatais)
Paspalum paniculatum (Grama touceira)
Portulaca oleracea (Beldroega)
Raphanus raphanistrum (Nabiça)
Richardia brasiliensis (Poaia branca)
Sida rhombifolia (Guanxuma)
Sonchus oleraceus (Serralha)

Sacos de folhas múltiplas ou plásticos de 1, 5, 10 e 20 Kg.

Caixa de papelão contendo em seu interior produto acondicionado em sacos plásticos ou de papel: 1;5;10 e 20Kg.

Caixa de papelão contendo em seu interior produto acondicionado em embalagens hidrossolúveis, plásticas ou de papel: 1 e 5Kg (Podendo conter: 1 embalagem para 1 Kg; 5 embalagens para 1Kg; 10 ou 50 embalagens para 100g; 20 ou 100 embalagens para 50g.)

INSTRUÇÕES DE USO

Recomendado para o controle em pós-emergência de plantas daninhas nas situações recomendadas na bula.
Aplicação em jato dirigido sobre as plantas daninhas, nas culturas de: café, citros e maçã.
Dependendo do estádio de desenvolvimento da planta daninhas, usar menores doses para a fase inicial de desenvolvimento, e maiores doses para a fase adulta ou perenizada.

RECOMENDAÇÕES GERAIS

• Aplicar RADAR® WG quando as plantas daninhas estiverem em boas condições de desenvolvimento vegetativo, sem efeito de “stress” hídrico (falta ou excesso de água).
• RADAR® WG não tem ação residual sobre sementes existentes no solo.
• RADAR® WG, aplicado no período adequado e conforme a recomendação, controlará as plantas daninhas com uma única aplicação.
• A eficiência do produto é visualizada entre o 4° e o 10° dia após o tratamento.

MODO DE APLICAÇÃO

As recomendações a seguir relacionadas são importantes para uma correta aplicação e para se obter os efeitos desejados.
Ao aplicar o produto, siga sempre as recomendações da bula garantindo uma boa cobertura da pulverização sobre o alvo desejado, evitando a sobreposição das faixas de aplicação. Proceda a regulagem do equipamento de aplicação terrestre ou aéreo para assegurar uma distribuição uniforme na dose correta sobre o alvo desejado.

APLICAÇÃO TERRESTRE

Utilizar equipamento de pulverização tratorizado provido de barras apropriadas ou pulverização costal. Seguir as recomendações e restrições gerais.
• Volume de Aplicação:
Recomenda-se o volume de calda de aplicação entre 100 a 150 L/ha.
• Seleção de Pontas de Aplicação:
Para a aplicação do RADAR® WG, recomendamos a utilização de pontas de pulverização do tipo com indução de ar, que possibilitam uma geração de gotas grossas e muito grossas, minimizando assim o risco de deriva. A seleção correta da ponta para aplicação de herbicidas é um dos parâmetros mais importantes para se obter o resultado desejado na aplicação.
• Altura da Barra de Aplicação:
A barra pulverizadora deverá estar posicionada a 50 cm de altura do alvo a ser atingido. Quanto menor a distância entre a altura da barra e o alvo a ser atingido, menor a exposição das gotas e menor o impacto na aplicação pelas condições ambientais, como a evaporação e transporte pelo vento. Recomenda-se o uso de controladores automáticos de altura da barra para manter a altura ideal da ponta em relação ao alvo.
• Velocidade do Vento:
Recomenda-se a aplicação do produto quando a velocidade do vento estiver entre 10 a 15 Km/h dependendo da configuração do sistema de aplicação minimizando desta forma o efeito de deriva.
• Velocidade do Equipamento:
Selecione uma velocidade adequada às condições do terreno, equipamento e cultura, não devendo ser superior a 25 km/h, observando o volume de aplicação e a pressão de trabalho desejada. A aplicação efetuada em velocidades mais baixas, geralmente resultam em uma melhor cobertura e deposição na área alvo.
• Pressão de Trabalho:
A pressão de trabalho deverá ser selecionada considerando o volume de calda da aplicação e o tamanho de gotas desejado. Em caso de dúvida consulte a recomendação do fabricante da ponta (Bico). Observar sempre a recomendação do fabricante da ponta (Bico) e trabalhar dentro da pressão recomendada, considerando o volume de aplicação e o tamanho de gotas.

RECOMENDAÇÕES E RESTRIÇÕES GERAIS

• Temperatura e Umidade:
Aplique apenas em condições ambientais favoráveis. Baixa umidade relativa do ar e altas temperaturas aumentam o risco da evaporação da calda de pulverização, reduzindo o tamanho de gota e aumentando o potencial de deriva. Evite pulverizar durante condições de baixa umidade relativa do ar (menores que 60 %) e altas temperaturas (maiores que 30°C). Não aplicar o produto em temperaturas muito baixas ou com previsão de geadas.
• Deriva:
O potencial de deriva é determinado pela interação de muitos fatores relativos ao equipamento de pulverização (independente dos equipamentos utilizados para a pulverização, o tamanho das gotas é um dos fatores mais importantes para evitar a deriva) e ao clima (velocidade do vento, umidade e temperatura). O aplicador deve considerar todos estes fatores quando da decisão de aplicar. Evitar a deriva é responsabilidade do aplicador. Para se evitar a deriva aplicar com o maior tamanho de gota possível, sem prejudicar a cobertura e eficiência.
• Período de Chuvas:
A ocorrência de chuvas dentro de um período de quatro (4) horas após aplicação pode afetar o desempenho do produto. Este intervalo de tempo é o mínimo necessário para a absorção do produto pelas folhas e sua translocação pela planta alvo em condições adequadas de desenvolvimento. Evite aplicar logo após a ocorrência de chuva ou em condições de orvalho. Sob risco de chuva, suspenda a aplicação.
• Preparação da Calda:
Coloque água limpa no tanque do pulverizador até 3/4 de sua capacidade de tal forma que atinja a altura do agitador (ou retorno), adicione a quantidade recomendada de RADAR® WG. Com o agitador ligado complete o volume do tanque com água. Por se tratar de uma formulação do tipo WG (Grânulos dispersíveis em água). o produto deve ser adicionado lentamente no tanque do pulverizador sob agitação constante ou pré dissolvidos em recipientes adequados. A aplicação deve ser realizada no mesmo dia da preparação da calda.
Outras restrições:
• Armazenar e manusear apenas em recipientes plásticos, fibra de vidro, alumínio ou aço inoxidável. Não armazenar a solução em recipientes de ferro galvanizado, ferro ou aço comum.
• Para aplicação do produto somente utilize água limpa (sem argila, limo e matéria orgânica em suspensão).
• Não aplicar RADAR® WG com as folhas das plantas daninhas cobertas de poeira, porque nestas condições pode diminuir a ação do produto (adsorção).
• Não capinar ou roçar o mato antes ou logo após aplicação de RADAR® WG
Em caso de dúvidas consultar o departamento técnico da MONSANTO DO BRASIL LTDA.

INTERVALO DE SEGURANÇA

Café e Maçã: 15 dias;
Citros: 30 dias.

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS

Não entrar na área em que o produto foi aplicado antes da completa secagem da calda (no mínimo 24 horas após a aplicação). Caso necessite entrar antes desse período, utilize os EPIs recomendados para uso durante a aplicação.

LIMITAÇÕES DE USO

• O uso do RADAR® WG está restrito ao indicado no rótulo e bula. Quando este produto for utilizado nas doses recomendadas, não causará danos às culturas indicadas.
• Durante a aplicação em jato dirigido, deve-se evitar que a solução herbicida atinja as partes das plantas úteis.
• RADAR® WG não danifica as plantas com caules suberizados, caso os atinja.
• Observar atentamente ao realizar as aplicações, para que não ocorra qualquer deriva para culturas vizinhas.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

O manejo de plantas daninhas é um procedimento sistemático adotado para minimizar a interferência das plantas infestantes e otimizar o uso do solo, por meio da combinação de métodos preventivos de controle. A integração de métodos de controle: (1) cultural (rotação de culturas, variação de espaçamento e uso de cobertura verde), (2) mecânico ou físico (monda, capina manual, roçada, inundação, cobertura não viva e cultivo mecânico), (3) controle biológico e (4) controle químico tem como objetivo mitigar o impacto dessa interferência com o mínimo de dano ao meio ambiente.

O uso sucessivo de herbicidas do mesmo mecanismo de ação para o controle do mesmo alvo pode contribuir para o aumento da população da planta daninha alvo resistente a esse mecanismo de ação, levando a perda de eficiência do produto e um consequente prejuízo.
Como prática de manejo de resistência de plantas daninhas e para evitar os problemas com a resistência, seguem algumas recomendações:
- Rotação de herbicidas com mecanismos de ação distintos do Grupo G para o controle do mesmo alvo, quando apropriado.
- Adotar outras práticas de controle de plantas daninhas seguindo as boas práticas agrícolas.
- Utilizar as recomendações de dose e modo de aplicação de acordo com a bula do produto.
- Sempre consultar um engenheiro agrônomo para o direcionamento das principais estratégias regionais para o manejo de resistência e a orientação técnica da aplicação de herbicidas.
Informações sobre possíveis casos de resistência em plantas daninhas devem ser consultados e, ou, informados à: Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas (SBCPD: www.sbcpd.org), Associação Brasileira de Ação à Resistência de Plantas Daninhas aos Herbicidas (HRAC-BR: www.hrac-br.org), Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA: www.agricultura.gov.br).

GRUPO G HERBICIDA

O herbicida RADAR® WG é composto por Glifosato que apresenta mecanismo de ação dos inibidores de EPSPs (Enoil Piruvil Shiquimato Fosfato Sintase), pertencente ao Grupo G, segundo classificação internacional do HRAC (Comitê de Ação à Resistência de Herbicidas).

Corrosivo ao Ferro Comum e Galvanizado