Bula Topsin 500 SC - Iharabras

Bula Topsin 500 SC

acessos
Thiophanate methyl
388804
Iharabras

Composição

Tiofanato-metílico 500 g/L Benzimidazóis

Classificação

Fungicida
II - Altamente tóxico
III - Produto perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Suspensão Concentrada (SC)
Sistêmico

Banana Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mal da sigatoka
(Mycosphaerella musicola)
100 mL p.c./100L água 700 a 1000 L de calda/ha 30 a 40 L de calda/ha (aéreo) Realizar no máximo três aplicações com intervalo de 30 a 45 dias. 14 dias. Realizar as aplicações durante o período chuvoso
Ervilha Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mancha de ascochyta
(Ascochyta pisi)
100 mL p.c./100L água 700 a 100 L de calda/ha - Realizar no máximo três aplicações com intervalo de 7 a 10 dias. 14 dias. Aplicar no iniciar nos primeiros sintomas da doença
Mancha de ascochyta
(Ascochyta pinodes)
100 mL p.c./100L água 400 a 500 L de calda/ha - Realizar no máximo três aplicações com intervalo de 7 - 10 dias. 14 dias. Aplicar no iniciar nos primeiros sintomas da doença
Feijão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Antracnose
(Colletotrichum lindemuthianum)
0,5 a 0,75 mL p.c./100L água 400 a 500 L de calda/ha 30 a 40 L de calda/ha (aéreo) Realizar no máximo três aplicações com intervalo de 10 dias. 14 dias. Realizar a primeira pulverização aos 20 dias após a emergência e as demais em pré e pós florada
Oídio
(Erysiphe polygoni)
0,5 a 0,75 mL p.c./100L água 400 a 500 L de calda/ha 30 a 40 L de calda/ha (aéreo) Realizar no máximo três aplicações com intervalo de 10 dias. 14 dias. Realizar a primeira pulverização aos 20 dias após a emergência e as demais em pré e pós florada
Maçã Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Antracnose
(Colletotrichum gloeosporioides)
100 mL p.c./100L água 700 L de calda/ha - Realizar no máximo três aplicações com intervalo de 10 dias. 7 dias. Concentrar as aplicações de Novembro a Janeiro (período chuvoso)
Cancro europeu
(Neonectria galligena)
100 mL p.c./100L água 700 a 1000 L de calda/ha - Realizar no máximo três aplicações com intervalo de 10 dias. 7 dias. Concentrar as aplicações de Novembro a Janeiro (período chuvoso)
Sarna da maçã
(Venturia inaequalis)
100 mL p.c./100L água 700 a 1000 L de calda/ha - Realizar no máximo três aplicações com intervalo de 10 dias. 7 dias. Concentrar as aplicações de Novembro a Janeiro (período chuvoso)
Sarna do pessegueiro
(Cladosporium carpophilum)
100 mL p.c./100L água 700 a 1000 L de calda/ha - Realizar no máximo três aplicações com intervalo de 10 dias. 7 dias. Concentrar as aplicações de Novembro a Janeiro (período chuvoso)
Sujeira de mosca
(Schizothyrium pomi)
100 mL p.c./100L água 700 L de calda/ha - Realizar no máximo três aplicações com intervalo de 10 dias. 7 dias. Concentrar as aplicações de Novembro a Janeiro (período chuvoso)
Melão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Antracnose
(Colletotrichum orbiculare)
100 mL p.c./100L água 700 a 1000 L de calda/ha - Realizar no máximo três aplicações com intervalo de 7 a 10 dias. 14 dias. Aplicar no início da frutificação
Morango Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mancha de diplocarpon
(Diplocarpon earlianum)
100 mL p.c./100L água 700 a 1000 L de calda/ha - Realizar no máximo quatro aplicações. 14 dias. Realizar uma aplicação a cada período de florescimento ou frutificação
Mancha foliar
(Mycosphaerella fragariae)
100 mL p.c./100L água 700 a 1000 L de calda/ha - Realizar no máximo quatro aplicações. 14 dias. Realizar uma aplicação a cada período de florescimento ou frutificação
Tomate Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Podridão de esclerotinia
(Sclerotinia sclerotiorum)
100 mL p.c./100L água 700 a 1000 L de calda/ha - Realizar no máximo duas aplicações com intervalo de 10 dias. 14 dias. O controle deverá ser realizado preventivamente, sendo a primeira aplicação aos 55 dias do transplante e a 2ª, 10 dias após
Septoriose
(Septoria lycopersici)
100 mL p.c./100L água 700 a 1000 L de calda/ha - Realizar no máximo duas aplicações com intervalo de 10 dias. 14 dias. A primeira pulverização deve ser feita nos primeiros sintomas e a segunda, 10 dias após
Trigo Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Fusariose
(Fusarium graminearum)
100 mL p.c./100L água 700 a 1000 L de calda/ha 30 a 40 L de calda/ha (aéreo) Realizar no máximo duas aplicações. 14 dias. Efetuar a primeira aplicação na fase de emborrachamento e a segunda no início do florescimento

Frascos plásticos de 1 L.
Bombona plástica de 5 e 6 L.
Saco plástico de 1, 2, 5 e 6 L.
Bag in box de fibra de papel com bolsa plástica interna de 20 L.

MODO DE APLICAÇÃO:

Primeiramente agitar vigorosamente o produto em sua embalagem original. A seguir, diluir o TOPSIN 500 SC diretamente na quantidade de água previamente estabelecida, até obter uma calda homogênea.

Para uso Foliar: As pulverizações aéreas ou terrestres deverão ser uniformes procurando dar completa cobertura às partes das plantas.

Via terrestre:
• Usar pulverizadores tratorizados, dotados de bicos cônicos, densidade mínima de 50-70 gotas/cm2 com 250 micra.

Via aérea (Uso de barra e atomizador rotativo Micronair):
• Volume de aplicação: 30-40 L/ha de calda, procurando assegurar doses do TOPSIN 500 SC de 0,7 -1,0 L/ha para as culturas e no caso da cultura da banana de 0,4-0,6 L/ha.
• Altura de voo com barra: 2-3 m; com Micronair: 3-4 m.
• Largura da faixa de deposição efetiva: 15 m.
• Tamanho/densidade da gota: 180-220 micra, com mínimo de 60 gotas/cm2.
• No caso de barra, usar bicos cônicos pontas D6 e D12 - disco (core) inferior a 45°.
• Usando Micronair, o número de atomizadores deve ser 4, onde, para o ajuste do regulador de vazão/VRU, pressão e ângulo da pá, seguir a tabela sugerida pelo fabricante.

Condições climáticas: o diâmetro de gotas deve ser ajustado de acordo com as variações da umi-dade relativa do ar durante toda a aplicação, de modo que se obtenha a densidade e deposição das gotas, obedecendo a ventos de 2 a 10 Km/h, temperatura inferior a 32° C e umidade relativa acima de 55%, visando reduzir ao mínimo, perdas por deriva ou evaporação.
Em se tratando de aplicação aérea, obedecer à umidade relativa não inferior a 70%.
O sistema de agitação do produto no interior do tanque deve ser mantido em funcionamento durante toda aplicação.
Obs.: Seguir as recomendações técnicas de aplicação e consultar sempre um Engenheiro Agrônomo.

INTERVALOS DE SEGURANÇA:
- Banana, ervilha, feijão, melão, morango, tomate e trigo: 14 dias.
- Maçã: 7 dias

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS:
Não entre na área em que o produto foi aplicado antes da secagem completa da calda (no mínimo 24 horas após a aplicação). Caso necessite entrar antes desse período, utilize os equipamentos de proteção individual (EPIs) recomendados para o uso durante a aplicação.

LIMITAÇÕES DE USO:
Fitotoxicidade: Não é fitotóxico às culturas indicadas, nas doses recomendadas.
Outras restrições à serem observadas: Incompatível com produtos altamente alcalinos. Agitar bem a embalagem antes da preparação da calda e uso.

INFORMAÇÕES SOBRE OS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL A SEREM UTILIZADOS:

VIDE DADOS RELATIVOS À PROTEÇÃO DA SAÚDE HUMANA. 3103220

INFORMAÇÕES SOBRE OS EQUIPAMENTOS DE APLICAÇÃO A SEREM USADOS:

Vide MODO DE APLICAÇÃO.

DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TRÍPLICE LAVAGEM DA EMBALAGEM OU TECNOLOGIA EQUIVALENTE:
(Vide as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/ MMA).

INFORMAÇÕES SOBRE OS PROCEDIMENTOS PARA A DEVOLUÇÃO, DESTINAÇÃO, TRANS-PORTE, RECICLAGEM, REUTILIZAÇÃO E INUTILIZAÇÃO DAS EMBALAGENS VAZIAS:

(Vide as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/ MMA)

INFORMAÇÕES SOBRE OS PROCEDIMENTOS PARA A DEVOLUÇÃO E DESTINAÇÃO DE PRO-DUTOS IMPRÓPRIOS PARA UTILIZAÇÃO OU EM DESUSO:

(Vide as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/ MMA)

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Sempre que houver disponibilidade de informações sobre programas de Manejo Integrado, provenientes da pesquisa pública ou privada, recomenda-se que estes programas sejam implementados.

INFORMAÇÕES PARA O MANEJO DA RESISTÊNCIA A FUNGICIDAS:

O uso sucessivo de fungicidas do mesmo mecanismo de ação para o controle do mesmo alvo pode contribuir para o aumento da população de fungos causadores de doenças resistentes a esse mecanismo de ação, levando a perda de eficiência do produto e consequente prejuízo.
O produto fungicida TOPSIN 500 SC é composto por tiofanato metílico, que apresenta mecanismo de ação de montagem de ß-tubulina na mitose, pertencente ao Grupo B1, segundo classificação internacional do FRAC (Comitê de Ação à Resistência de Fungicidas).
Como prática de manejo de resistência e para evitar os problemas com a resistência dos fungicidas, seguem algumas recomendações:
? Alternância de fungicidas com mecanismos de ação distintos do Grupo B1 para o controle do mesmo alvo, sempre que possível;
? Adotar outras práticas de redução da população de patógenos, seguindo as boas práticas agrícolas, tais como rotação de culturas, controles culturais, cultivares com gene de resistência quando disponíveis, etc;
? Utilizar as recomendações de dose e modo de aplicação de acordo com a bula do produto;
? Sempre consultar um engenheiro agrônomo para o direcionamento das principais estratégias regionais sobre orientação técnica de tecnologia de aplicação e manutenção da eficácia dos fungicidas;
? Informações sobre possíveis casos de resistência em fungicidas no controle de fungos patogênicos devem ser consultados e, ou, informados à: Sociedade Brasileira de Fitopatologia (SBF: www.sbfito.com.br), Comitê de Ação à Resistência de Fungicidas (FRAC-BR: www.frac-br.org), Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA: www.agricultura.gov.br).

Compatibilidade

Incomp. com cúpricos e prod. de reação alcalina.