Bula Wish 500 SC

acessos
Carbendazim
4815
Albauch

Composição

Carbendazim 500 g/L Benzimidazóis

Classificação

Fungicida
IV - Pouco tóxico
III - Produto perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Suspensão Concentrada (SC)
Sistêmico
Algodão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Ramularia
(Ramularia areola)
500 mL p.c./ha 180 a 400 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) Máximo de 3 aplicações com intervalo de 15 dias. 14 dias. Após o aparecimento dos primeiros sintomas
Tombamento
(Colletotrichum gossypii)
500 mL p.c./ha 180 a 400 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) Máximo de 3 aplicações com intervalo de 15 dias. 14 dias. Após o aparecimento dos primeiros sintomas
Citros Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Antracnose
(Colletotrichum gloeosporioides)
100 mL p.c./100L água 500 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) Máximo de 2 aplicações com a segunda aplicação 4 a 6 semanas após a primeira aplicação. 7 dias. Aplicar o produto quando 2/3 das pétalas da florada principal tenham caído
Verrugose da laranja doce
(Elsinöe australis)
50 mL p.c./100L água 500 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) Máximo de 2 aplicações com a segunda aplicação 4 a 6 semanas após a primeira aplicação. 7 dias. Aplicar o produto quando 2/3 das pétalas da florada principal tenham caído
Feijão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Antracnose
(Colletotrichum lindemuthianum)
500 mL p.c./ha 180 a 400 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) Máximo de 3 aplicações com intervalo de 15 dias. 14 dias. Iniciar as aplicações preventivamente ao redor de 30 dias após a emergência e repetir a cada 15 dias
Soja Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mancha alvo
(Corynespora cassiicola)
500 mL p.c./ha 180 a 400 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) Máximo de 2 aplicações, repetindo 15 a 20 dias após a primeira aplicação. 14 dias. Iniciar as aplicações na fase de florescimento à formação de vagem
Mancha parda
(Septoria glycines)
500 mL p.c./ha 180 a 400 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) Máximo de 2 aplicações, repetindo 15 a 20 dias após a primeira aplicação. 14 dias. Iniciar as aplicações na fase de florescimento à formação de vagem
Mancha púrpura da semente
(Cercospora kikuchii)
500 mL p.c./ha 180 a 400 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) Máximo de 2 aplicações, repetindo 15 a 20 dias após a primeira aplicação. 14 dias. Iniciar as aplicações na fase de florescimento à formação de vagem
Oídio
(Microsphaera diffusa)
500 mL p.c./ha 180 a 400 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) Máximo de 2 aplicações, repetindo 15 a 20 dias após a primeira aplicação. 14 dias. Iniciar as aplicações na fase de florescimento à formação de vagem

Frasco de Plástico de 0,5; 1; 1,5; 2,0; 2,5; 3,0; 3,5; 4,0; 4,5; 5,0 Litros.
Bombona de Plástico de 5; 10; 15; 20; 25; 30; 35; 40; 45; 50; 100; 150; 200; 250; 300; 350; 400; 450; 500; 1000 Litros.

INSTRUÇÕES DE USO:
WISH 500 SC é um fungicida de ação sistêmica, do grupo químico dos benzimidazóis, que contém o ingrediente ativo Carbendazim, 500 g/L, na formulação Suspensão Concentrada, indicado para o controle de doenças foliares nas culturas de algodão, citros, feijão e soja.

CULTURAS, DOENÇAS CONTROLADAS E DOSES DE APLICAÇÃO:
Vide a seção “Indicações de Uso/Doses”

INÍCIO, NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÕES:
- Algodão: iniciar as aplicações do 25° ao 35° dia após o plantio ou no aparecimento dos primeiros sintomas da doença e repetir quando necessário em intervalos de 15 dias, dependendo da evolução da doença.
Número de aplicações: até 3 aplicações com intervalo de 15 dias entre aplicações.
- Citros: aplicar o produto quando 2/3 das pétalas da florada principal tenham caldo. Em variedades suscetíveis e quando o período é chuvoso, uma segunda aplicação 4 a 6 semanas após a 18 aplicação é recomendável.
Número de aplicações: até 2 aplicações com intervalo de 15 dias entre aplicações.
- Feijão: iniciar as aplicações preventivamente ao redor de 30 dias após a emergência e repetir a cada 15 dias de acordo com as condições climáticas e pressão da doença.
Número de aplicações: até 3 aplicações com intervalo de 15 dias entre aplicações.
- Soja: iniciar as aplicações na fase de florescimento à formação de vagem, repetindo 15 a 20 dias após a primeira aplicação.
Número de aplicações: até 2 aplicações com intervalo de 15-20 dias entre aplicações.

MODO DE APLICAÇÃO:
WISH 500 SC deve ser aplicado na dosagem recomendada, diluído em água. Aplicar o produto de maneira uniforme dando uma boa cobertura à parte aérea das plantas tratadas.
- Equipamentos de aplicação:
WISH 500 SC pode ser aplicado através de turbo-atomizador ou pistola (citros); pulverizador tratorizado convencional (algodão, feijão, soja); ou através de aeronave agrícola (algodão, feijão e soja).
Os equipamentos de pulverização devem ser equipados com filtros adequados a cada tipo de bico.
Tipo de bico: cone da série D ou similares.
- Pulverizador tratorizado:
Volume de calda: algodão 200 L/ha; feijão 200 a 400 L/ha; citros 600 a 2.000 L/ha; soja 300 a 400 L/ha.
Velocidade do trator: 6 km/h. Pressão de trabalho entre 80 a 120 Ib/pol². Tamanho e densidade de gotas: 200 a 400 micra e 60 gotas/cm².
- Aeronave agrícola: volume de calda entre 30 a 50 L/ha. Altura do vôo, 2 a 3 m das plantas tratadas. Largura da faixa de deposição efetiva, 15 m. Tamanho e densidade de gotas: 200 a 400 micra e gotas/cm².
Manter a calda de pulverização sob agitação contínua e o registro do pulverizador fechado durante as paradas e manobras com o equipamento de tal forma a se evitar sobre-posição nas áreas tratadas.
- Tipo de bico: cênico em pistola ou cênico com difusor de atomizador. Bicos com uma vazão maior produzem gotas maiores.

. Instruções para preparo da calda de pulverização:
Encher metade do tanque do pulverizador com água e adicionar WISH 500 SC mantendo o misturador mecânico ou o retorno em funcionamento e completar o volume do tanque com água. A agitação da calda. deve ser continua durante o preparo da calda e durante a operação de aplicação da calda.

. Lavagem do equipamento de pulverização:
Somente utilize equipamentos limpos e devidamente conservados. Após a aplicação do produto, realizar lavagem completa do equipamento.

INTERVALO DE SEGURANÇA (dias):
Algodão 14; Citros 7; Feijão 14; Soja 14.

INTERVALO DE RE-ENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS:
Não entre na área em que o produto foi aplicado antes da secagem completa da calda (no mínimo 24 horas após a aplicação). Caso necessite de entrar antes desse período, utilize os equipamentos de proteção individual (EPIs) recomendados para o uso durante a aplicação.

LIMITAÇÕES DE USO:
- Desde que sejam seguidas as recomendações de uso, não ocorre fitotoxicidade para as plantas tratadas.
- Somente utilizar as doses recomendadas.
- Não utilizar equipamento de pulverização costal para aplicação do produto.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela saúde humana - ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente - IBAMA/MMA.

Recomenda-se, de maneira geral, o manejo integrado das doenças, envolvendo todos os princípios e medidas disponíveis e viáveis de controle.
O uso de sementes sadias, variedades resistentes, rotação de culturas, época adequada de semeadura, adubação equilibrada, fungicidas, manejo da irrigação e outros, visam o melhor equilíbrio do sistema.

Qualquer agente de controle de doenças pode ficar menos efetivo ao longo do tempo devido ao desenvolvimento de resistência. O Comitê Brasileiro de Ação a Resistência a Fungicidas (FRAC-BR) recomenda as seguintes estratégias de manejo de resistência visando prolongar a vida útil dos fungicidas:
- Utilizar a rotação de fungicidas com mecanismos de ação distintos.
- Utilizar o fungicida somente na época, na dose e nos intervalos de aplicação recomendados no rótulo/bula.
- Incluir outros métodos de controle de doenças (ex. resistência genética, controle cultural, biológico, etc.) dentro do programa de Manejo Integrado de Doenças (MID) quando disponíveis e apropriados.
- Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para orientação sobre as recomendações locais para o manejo de resistência.

Compatibilidade

Não se conhecem casos de incompatibilidade