A estiagem e o coronavírus

Imagem: Marcel Oliveira

CORONAVÍRUS

A estiagem e o coronavírus

Começamos a semana cheios de esperança. Esperança de que a chuva seja mais do que preveem os institutos de meteorologia
Por:
1744 acessos

Começamos a semana cheios de esperança. Esperança de que a chuva seja mais do que preveem os institutos de meteorologia. Esperança de que o coronavírus se espalhe menos do que é anunciado por órgãos de saúde pública e pela imprensa.

A estiagem deste verão já tem estragos feitos. Na nossa região muito significativos. A safra do tabaco teve quebra, a safra de milho do cedo também. Agora, as safras de soja e de milho do tarde, muito na resteva das lavouras de tabaco, sofrem com a falta de chuva e a produção está comprometida. Isso vai ter reflexo econômico direto. Se o produtor não colhe, ele não vende. E se não vende, não tem dinheiro para comprar na cidade. A produção de alimentos também é atingida e encarece os produtos. Uma engrenagem onde todos perdem.

A pandemia mundial declarada pela expansão do coronavírus chinês para todos os continentes, também muda a vida das pessoas. Se viaja menos, se evita eventos públicos, escolas estão parando, todo mundo perde, pela necessidade de prevenção para o vírus não se espalhar mais e se esvair.

Tempos ‘bicudos’ pela frente, mas à preciso reagir e seguir em frente. Vai passar e dias melhores estarão de volta ali adiante.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink
Mapas e Imagens
Geada
Probabilidade de Chuva
Previsão do tempo
Na sua cidade
Notícias