Neve ‘aquece’ preços da soja em Chicago

ANÁLISE AGROLINK

Neve ‘aquece’ preços da soja em Chicago

Previsões dispararam temores. Fim de semana teria fortes quedas de temperatura e nevascas
Por: -Leonardo Gottems
673 acessos

O preço da soja na Bolsa de Cereais de Chicago registrou na terça-feira (08.10) alta de 5,25 pontos no contrato de Novembro/19, fechando em US$ 9,205 por bushel. Os demais vencimentos em destaque da commodity na CBOT também fecharam a sessão com valorizações entre 5,25 e 6,50 pontos.

Os principais contratos futuros tiveram um dia de ganhos no mercado norte-americano da soja, com previsão de queda no rendimento e na produção de soja nos EUA. “Novos prognósticos climatológicos dispararam temores. Os mapas indicaram que, no fim de semana, estariam ocorrendo fortes quedas de temperaturas e nevascas em regiões que contribuem com cerca de 10% da produção norte-americana de soja e milho. Importante lembrar que a colheita dessas culturas se encontra na etapa inicial, podendo indicar perdas adicionais”, aponta a T&F Consultoria Agroeconômica.

De acordo com a Consultoria ARC Mercosul, o relatório de Progresso de Safra atualizado nesta semana pelo USDA reafirma o péssimo avanço dos estágios de maturação da soja e milho: “Estamos nos aproximando do período quando geadas e nevascas começam a chegar pelo Cinturão Agrícola dos EUA – que acontece entre a última semana de outubro e a primeira metade de novembro. Atualmente há 58% da área de milho estadunidense em estágios de maturação e 72% da soja. Entretanto, no mesmo período em 2018, havia 92% de todo o milho já em maturação e 90% da soja”. 

“É indiscutível que observaremos talhões que só estarão prontos para colheita na segunda semana de novembro, os quais sofrerão drasticamente com novas perdas de produtividade com temperaturas mais frias e umidade elevada pela neve. A soja é a cultura mais susceptível as perdas. O mercado se mostrará mais reativo ao longo dos próximos dias, caso os mapas climáticos comecem a trazer possibilidades de geadas”, apontam os analistas da ARC Mercosul.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink