Grãos armazenados no Iêmen podem estar apodrecendo

ONU

Grãos armazenados no Iêmen podem estar apodrecendo

"Esta é a primeira vez que estamos vendo condições como essa"
Por: -Leonardo Gottems
529 acessos

Algumas toneladas de grãos que estão armazenadas no Iêmen, país afetado pela guerra, poderiam estar apodrecendo, segundo informações divulgadas pela Organização das Nações Unidas (ONU). De acordo com os dados divulgados para o The New York Times, o montante ajudaria a alimentar 3,7 milhões de iemenitas. 

Nesse cenário, autoridades tentam implementar uma trégua limitada em Hudaydah entre os rebeldes Houthi e a coalizão liderada pela Arábia Saudita, que foi assinada em dezembro. No final de janeiro, os efeitos da guerra acabaram danificando dois silos de grãos nas fábricas do Mar Vermelho. 

Mark Lowcock, da ONU, disse que os Houthis se recusaram a conceder permissão para funcionários da ONU chegarem aos Moinhos do Mar Vermelho, onde o Programa Mundial de Alimentos, da agência anti-fome da organização, tem 51 mil toneladas de trigo em armazenamento, o que representa um quarto das ações da agência no Iêmen. 

Aém disso, Lisa Grande, coordenadora humanitária do Iêmen, afirmou recentemente que mais de 20 milhões de iemenitas, que representam quase 70% de toda a população, estão passando fome. "A situação no Iêmen é de partir o coração", disse ela. “Um quarto de milhão de pessoas está em uma condição catastrófica, enfrentando quase a fome se a assistência não chegar até elas. Esta é a primeira vez que estamos vendo condições como essa. Precisamos desse trigo”, completa. 

O Escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanos (UNCHA) informou que o Programa Mundial de Alimentos não tem acesso aos Moinhos do Mar Vermelho desde setembro de 2018 por causa da guerra. "O PMA precisa urgentemente ter acesso aos Moinhos do Mar Vermelho para que possamos avaliar o nível de danos e começar a transportar os estoques de trigo não afetados para áreas do Iêmen onde é desesperadamente necessário", disse o UNCHA. 


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink