Preços da soja podem subir no médio prazo
CI
TENDÊNCIA

Preços da soja podem subir no médio prazo

“Em nossa opinião, mesmo que os preços caiam um pouco, eles cairão do “20º para o 19º andar”
Por: -Leonardo Gottems

O mais novo relatório do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) de estoques finais menores, podem elevar os preços da soja a médio prazo, segundo informações da TF Agroeconômica. “De um modo geral, as conclusões dos analistas são dque o relatório de hoje do USDA foi de neutro para baixista, como mostra a tabela ao lado, mas, há dois aspectos importantes que podem reverter esta tendência: os estoques finais, tanto dos EUA, quanto do Mundo foram menores do que a expectativa dos analistas antes do relatório, provocando alta dos preços nesta quinta-feira", comenta.

“Em nossa opinião, mesmo que os preços caiam um pouco, eles cairão do “20º para o 19º andar”, como dizemos em nossas palestras, porque estão muito elevados e continuarão a proporcionar lucros ao redor de 45% (contra 89% no ponto mais alto da cotação de Chicago nesta temporada, que não deve voltar) para o sojicultor brasileiro”, completa.

Nesse contexto, o que deve importar mais para o produtor é o lucro que ele pode obter e não o preço em que o produto se encontra. “Como sempre dizemos, o produtor não deve se ater aos preços, mas aos lucros possíveis e o ideal seria fazer os seus cálculos de lucratividade acompanhado de um contator, um agrônomo e um analista de mercado”, indica.

Além disso, a Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB) estima uma produção brasileira da próxima safra 10,4% menor do que a anterior. “O relatório mensal da Conab com as suas estimativas sobre a produção brasileira de soja registrou uma safra de 123,83 milhões de toneladas, contra 138,15 MT produzidas na safa anterior, com uma queda de 10,4%. Esta estimativa foi inferior à do USDA, que colocou a produção brasileira em 125 MT. As estimativas do mercado estavam ao redor de 122,5 MT, de modo que a análise á baixista, para os preços a curto e médio prazos”, conclui.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink


Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.