Infocafé de 10/01/19

Infocafé

Infocafé de 10/01/19

A Bolsa de N.Y. finalizou essa quinta-feira em baixa
Por:
1 acessos

A Bolsa de N.Y. finalizou essa quinta-feira em baixa, a posição março oscilou entre a máxima de +0,30 pontos e a mínima de -1,95 pts, fechando com -1,05 pts.

O dólar comercial fechou em alta de 0,58%, cotado a R$ 3,7090 na venda. O resultado do mercado de câmbio refletiu um grande fluxo de saída de moeda do país, após o dólar ter fechado abaixo do patamar de R$ 3,70 na véspera. Apesar de a moeda ter subido, a avaliação de investidores é que há razão para otimismo devido aos sinais de avanço na proposta de reforma da Previdência. Para o mercado, o regime de capitalização que o ministro da Economia, Paulo Guedes, pretende propor traria mais economia de recursos para o governo. No exterior, investidores aguardavam a divulgação de medidas concretas após o término das negociações comerciais entre Estados Unidos e China. Os chineses disseram que os três dias de conversas em Pequim estabeleceram uma "fundação" para resolver as diferenças entre os dois países, mas eles não deram mais detalhes.

A primeira estação chuvosa na Colômbia geralmente começa no final de março. No entanto, este ano pode ser a exceção devido ao fenômeno El Niño. De acordo com as previsões do Sistema Nacional de Gerenciamento de Risco de Desastres, baseado no modelo norte-americano NOAA (National Oceanic and Atmospheric Administration), o inverno pode começar em meados de abril. "Uma característica delicada deste fenômeno é que ele vai dar o primeiro temporada ano chuvoso, ou seja, os meses de março, abril e maio. A previsão para agora nos diz que El Niño vai ter uma porcentagem das chuvas esses meses ", disse Ricardo Lozano, ministro do Meio Ambiente.

O chefe da carteira esclareceu que esse fenômeno não inibirá as chuvas, mas reduzirá seu nível e explicou que o El Niño começou e que seu maior impacto será sentido em fevereiro. "Até agora estamos entrando na temporada da seca. As chuvas que temos hoje são típicas do sul do país que vem do Brasil, porque está chovendo lá, mas logo voltaremos a ter altas temperaturas", afirmou. O ministro informou ainda que quase 90% dos rios da Colômbia registram hoje "sérios problemas de redução de seus níveis". Neste aspecto destacou os casos dos afluentes dos departamentos de Guiaviare, Guainía, Vaupés, Meta, Arauca, Casanare, Chocó, Cauca e Magdalena. "As bacias que correm para o rio Cauca alta, média e baixa, assim como o rio Madalena e a região do Orinoco, e os seus níveis reduzidos ...

Por exemplo, o fluxo do rio Cauca em Juanchito em oito dias passou de um nível de 7 metros para 1,5 metros ", disse ele. Essa tendência continuará, disse Yolanda González, diretora do Instituto de Hidrologia, Meteorologia e Estudos Ambientais (Ideam), que alertou que os níveis mais baixos serão registrados em fevereiro. "Os rios até agora estão reduzindo seu fluxo, mas nenhum secou como tal", disse ele.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink