China e Índia pedem mais registros de agroquímicos
CI
Imagem: Divulgação
INSUMOS

China e Índia pedem mais registros de agroquímicos

Entrada de players com produtos genéricos resultou em mais competitividade
Por: -Leonardo Gottems

“É fato que mais registros estão sendo pleiteados, e mais empresas estão interessadas no mercado local de agroquímicos. E neste contexto que as empresas chinesas e indianas têm se destacado. Em outro levantamento elaborado pela AllierBrasil, 90% dos produtos técnicos aprovados em 2019, tinham fabricantes chineses como fornecedores”. A informação é de Flavio Hirata, sócio da AllierBrasil, em entrevista para o portal GlobalCropProtection.

De acordo com Hirata, engenheiro agrônomo pela ESALQ/USP, o número de registros aprovados está diretamente relacionado ao número de pleitos de registros solicitados/ano. “Em levantamentos realizados pela AllierBrasil, as aprovações de registros de produtos formulados em 2018 e 2019 demandaram 6 anos ou mais em 70% dos casos”, detalha ele.

De acordo com o especialista, apesar de poucas empresas deterem mais de 80% do mercado de defensivos agrícolas, a “entrada de players com produtos genéricos resultou em mais competitividade e na redução dos preços dos produtos que competem com os produtos genéricos. Margens de 100% e até 1.000% ficaram no passado. Estas foram reduzidas, beneficiando o usuário – o produtor rural, que por sua vez compete com produtores em nível internacional”.

“Por outro lado, os preços de produtos que têm 3-4 marcas de genéricos disponíveis no mercado, já estão num patamar de preços bastante competitivo. Não acredito ser saudável ao mercado em levar os preços a níveis tão baixos de tal forma a reduzir a competitividade dos elos da cadeia de distribuição. Isto porque qualquer fato negativo poderia levar a um colapso com efeito dominó, sobretudo e tão somente dos players que atuam no mercado de produtos genéricos”, conclui Hirata.

Segundo ele, mais dados sobre o tema serão detalhados no evento AgrochemShow, organizado pela AllierBrasil, que esse ano está sendo digital. “As palestras abordam assuntos atuais sobre registro de defensivos agrícolas, legislação, situação na China, ferrugem da soja, entre outros. Com participantes de todos os continentes, as palestras são gravadas em 3 idiomas (português, inglês e mandarim), o que facilita ao visitante de assistir às palestras em qualquer horário, minimizando as dificuldades relacionadas ao fuso horário”.

Aos interessados em participar do evento, as inscrições devem ser feitas através do site www.agrochemshow.com.br. É cobrado cestas básicas que serão doadas para instituição de caridade ao final do evento.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink