Fungicida multissítio controla 5 doenças do tomate

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o nosso site e as páginas que visita. Tudo para tornar sua experiência a mais agradável possível. Leia os Termos de Uso e a Termos de Privacidade.


CI
Imagem: Embrapa
TECNOLOGIA

Fungicida multissítio controla 5 doenças do tomate

“A aplicação preventiva de fungicidas é sempre a melhor estratégia de manejo para doenças”
Por: -Leonardo Gottems

O fungicida multissítio protetor Cuprozeb tem mostrada eficiência no controle de cinco das maiores doenças do tomateiro no Brasil, aponta a Sipcam Nichino Brasil. A tecnologia, que reúne os ativos mancozeb e oxicloreto de cobre, pode atuar tanto preventivamente como logo após a detecção de sintomas.

De acordo com a fabricante, a equipe técnica da companhia de origem ítalo-japonesa apontou um controle eficaz de septoriose (Septpria lycopersici), mancha-de-stemphylium (Stemphylium solari), antracnose (Collectotrichum gloespotiodes), pinta-preta (Alternaria solari) e requeima (Phytophtora infestans).

De acordo com o engenheiro agrônomo Sergio Camargo, da área de desenvolvimento de mercado da Sipcam Nichino, essas doenças merecem atenção do tomaticultor, pela relevância dos prejuízos potenciais, se não controladas de maneira preventiva. “Trata-se de uma tecnologia exclusiva da companhia, que associa dois ativos protetores de excelente sinergia: mancozeb e oxicloreto de cobre. Cuprozeb transfere eficácia no manejo e no controle de diversos grupos de doenças de importância econômica da tomaticultura”, afirma Camargo.

Segundo o agrônomo, a Sipcam Nichino recomenda ao tomaticultor aplicar Cuprozeb na detecção dos primeiros sinais das doenças para as quais o produto é prescrito, ou ainda tratar a cultura de maneira preventiva, quando condições climáticas forem favoráveis ao desenvolvimento de patógenos. “A aplicação preventiva de fungicidas é sempre a melhor estratégia de manejo para doenças”, reforça Sérgio Camargo.

“A presença dos compostos cobre, manganês e zinco na formulação de Cuprozeb® tem efeito sobre vários processos no interior da planta: fotossíntese, respiração, metabolismo de proteínas e processos de ativação e resistência”, continua o agrônomo. “O produto constitui ainda ferramenta estratégica no manejo correto empregado para evitar o surgimento de patógenos resistentes aos fungicidas sistêmicos.”

Conforme a Sipcam Nichino, além do tomateiro o fungicida Cuprozeb conta com registros em mais 28 culturas, inclusive feijão, amendoim, batata, café e citros, além de olerícolas cujos produtores enfrentam dificuldades de ordem fitossanitária, ante a falta de fungicidas registrados para doenças desses cultivos.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink