Trigo

Análise semanal do mercado do trigo

No Mercosul, a tonelada FOB para exportação registrou estabilidade entre US$ 170,00 e US$ 190,00

As cotações do trigo em Chicago oscilaram bastante na semana, fechando a quinta-feira (16) em US$ 4,36/bushel. Lembramos que o primeiro mês cotado, tanto para a soja quanto para o milho e o trigo, passou a ser maio. Antes disso, a cotação chegou a recuar até US$ 4,12/bushel pressionada que foi pelo relatório de oferta e demanda do USDA, anunciado em 09/03, que foi baixista, e pela melhora no clima junto às Planícies do sul dos EUA, região que faz parte do cinturão produtor de trigo daquele país.

No Mercosul, a tonelada FOB para exportação registrou estabilidade entre US$ 170,00 e US$ 190,00.

Já no Brasil, os preços médios seguiram baixos e estagnados. O balcão gaúcho fechou a semana em R$ 28,13/saco, enquanto os lotes permaneceram entre R$ 31,00 e R$ 32,00/saco. No Paraná, os lotes igualmente se mantiveram, em referência, entre R$ 36,00 e R$ 38,00/saco.

Vale ressaltar que o mercado espera que os moinhos voltem lentamente às compras a partir de agora. Todavia, a grande oferta mundial e o Real valorizado continuam levando os compradores nacionais a darem preferência ao trigo importado. E isso que o preço nacional médio se mantém, há meses, abaixo do preço mínimo! A principal origem das importações tem sido a Argentina, com 54,7% do volume comprado neste ano, seguida dos EUA com 23,8%. Em fevereiro, segundo a SECEX, o Brasil importou 482.500 toneladas de trigo, sendo 87,5% originárias da Argentina, 5,7% do Uruguai, 4% dos EUA, e 2,8% do Paraguai.

Apesar da expectativa de os moinhos nacionais voltarem às compras, é bom frisar que muitos estão reduzindo bastante o ritmo de moagem neste momento, alongando seus estoques (cf. Safras & Mercado).

Em tal contexto, é muito pequena a possibilidade de os preços do trigo brasileiro melhorarem, salvo uma forte desvalorização do Real, a qual encareceria o trigo importado.
 

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos