Novo preço mínimo do trigo fica abaixo do esperado pelos produtores

Trigo

Novo preço mínimo do trigo fica abaixo do esperado pelos produtores

A Farsul está realizando campanha pela segregação do cereal considerado um diferencial para remuneração do grão
599 acessos

O presidente da Comissão do Trigo da Farsul, Hamilton Jardim, acredita que o novo preço mínimo do grão terá impacto negativo no momento do produtor decidir sobre o plantio da próxima safra.

O Conselho Monetário Nacional aprovou correção de 5% no preço mínimo do trigo, passando de R$ 31,86/60 kg para R$ 33,45/60 kg, o que corresponde a R$ 557,50/tonelada, para a classe Pão, tipo 1, na região Sul. Foram também definidos os preços mínimos para sementes de aveia, cevada e triticale, com reajuste médio de 14,55%, e ainda novos valores para aveia, canola, cevada, girassol e triticale.

Hamilton Jardim lamentou que o reajuste seja três vezes maior para os demais grãos de inverno. “Para o trigo, nem repõe a inflação do período. Tínhamos pedido 17% para pelo menos empatar com o aumento no custo de produção. O reajuste representa 30% do nosso pedido. O produtor terá que colher 55 sacos por hectare para empatar com o custo e na última safra, com excelente produtividade, foram colhidos 50 sacos. O cenário é de desestímulo para a nova safra”, ressaltou Hamilton.

Segundo ele, a comercialização está fluindo bem no momento porque a Argentina não está vendendo para o Brasil todo o trigo previsto. “Quem tem trigo segregado está conseguindo até R$ 40,00/60 kg”, destacou Hamilton Jardim.

A Farsul está realizando campanha pela segregação do cereal considerado um diferencial para remuneração do grão.


 

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink