Programas da Bluefields aceleram startups do agronegócio
CI

Programas da Bluefields aceleram startups do agronegócio

Por:

Por Paulo Humaitá, CEO da Bluefields

A Bluefields, aceleradora de startups, é inovadora no mercado de startups biodigitais e, agora, adiciona ao currículo diversas indicações populares ao Startup Awards 2021. Desde 2016, a empresa já auxiliou mais de 200 startups brasileiras, oferecendo soluções para diferentes etapas como validação e aceleração, além de conectar com grandes empresas em projetos de inovação aberta.

Atuando, principalmente, no setor da Convergência Biodigital (agronegócio, saúde e alimentos), a aceleradora tem dois principais programas: Sparks e Biodigital Startups. O Sparks é voltado para empreendedores que desejam iniciar uma startup, mas estão sozinhos e não sabem como dar os primeiros passos. Já o Biodigital Startups é um programa de aceleração de startups e inovação aberta com grandes empresas do agronegócio, saúde e alimentos.

O mercado biodigital vem se destacando no Brasil e, segundo dados da Associação Brasileira de Startups (ABS), já existem cerca de 5 mil startups desse setor no país. E é possível ver o crescimento de empresas biodigitais através do programa Biodigital Startups da Bluefields. Somente na última edição do programa, 9 startups foram selecionadas para trilharem o caminho do sucesso ao lado da aceleradora.

Estamos cada vez mais focados em startups dos setores do biodigital e em acelerar ecossistemas de inovação, porque acreditamos que o empreendedorismo é a resposta para boa parte dos principais problemas do mundo. Por isso, estar em uma lista com outras aceleradoras incríveis é sinal de que estamos tendo sucesso em cumprir a nossa missão.

Trabalhamos muito com o termo startup biodigital e esse é o conceito para identificar a união do digital com tudo o que é bio (saúde, alimentação e agronegócio). Essas empresas recebem as denominações de acordo com o foco de trabalho e assim nascem as healthtechs, foodtechs, agtechs, indtechs, entre outras.

Mesmo com a pandemia e a crise econômica, em 2021 o país registrou 1.574 startups do setor de agronegócio (agtechs), segundo o levantamento Radar Agtech Brasil 2020/2021 elaborado pela Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), SP Ventures e Homo Ludens Research and Consulting, com apoio do Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento). Esse número é muito expressivo, levando em consideração a situação que o país enfrentou, e demonstra a importância de startups voltadas ao agronegócio para preencher lacunas e avançar questões que auxiliem a sociedade.

O mercado biodigital está crescendo bastante no país e, neste ano, a Bluefields lançou um e-book sobre o tema e sobre como se tornou referência de inovação nesse meio. O e-book pode ser adquirido de forma gratuita e compartilho aqui no link.

Recentemente, a Bluefields marcou presença na 9ª edição do Startup Awards e foi uma das 10 empresas mais votadas por votação popular na categoria “Aceleradoras”. A premiação é promovida pela Associação Brasileira de Startups (ABS) e prestigia o ecossistema de inovação no Brasil.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink


Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.