CI

21ª AGROTINS – Feira de Tecnologia Agropecuária do Tocantins

do evento Agrotins 2021
(Feira Agrotecnológica de Tocantins), que será transmitido virtualmente. Esses e
outros conhecimentos serão transferidos por meio de publicações e vídeos produzidos
pelo Centro de Pesquisa. A 21ª Feira Agrotecnológica de Tocantins acontece de 15 a
18 de junho e será transmitido de Palmas/TO.
Para o Chefe Geral da Unidade da Embrapa em Dourados, Harley de Oliveira, “o
formato digital do evento favorece a participação de diversas Unidades da Embrapa,
com uma grande variabilidade de tecnologias, nos mais diferentes temas, ampliando
assim, o alcance do evento”.
Já para o pesquisador Auro Akio Otsubo, Chefe Adjunto de Transferência de
Tecnologia, a Embrapa Agropecuária Oeste levará à Agrotins 2021, tecnologias e
informações que transcendem os limites do Mato Grosso do Sul e que será de grande
interesse para os produtores do evento. “Além disso, a diversidade de temas que a
Unidade está apresentando permite ao participante observar o grande portfólio de
ações aqui desenvolvidas, características de um Centro Ecorregional”, finaliza Otsubo.
Na Circular Técnica “Manejo alimentar de tilápias de 1 g: efeito da taxa e frequência de
alimentação no crescimento e custo da produção em diferentes temperaturas”
( https://bit.ly/3fZycZI ), verifica-se que a frequência alimentar da tilápia-do-Nilo, peixe
de água doce, pode variar de acordo com os objetivos da produção. Um fator
importante apontado pelos pesquisadores é que o retorno econômico não é o único
fator necessário para o sucesso da atividade, passando a ser relacionado à redução
do impacto ambiental e à inclusão social.
Por esse motivo, os pesquisadores Tarcila Souza de Castro Silva, Erika do Carmo Ota
e Luis Antonio Kioshi Aoki Inoue indicam que um técnico ou produtor façam a análise
para a escolha do protocolo que melhor se ajusta a sua realidade. “De forma geral,
recomenda-se que a tilápia (1 g em 30 dias de criação) seja alimentada seguindo o
programa intermediário indicado na publicação, seis ou quatro vezes ao dia, com o
objetivo de conciliar os melhores resultados em conversão alimentar, crescimento e
custo de produção, além de prevenir eventuais problemas com a qualidade de água.
O “Cultivo de Brachiaria spp. no Manejo de Nematoides Edáficos Fitoparasitos”
( https://bit.ly/3cb2Q11 ) é o título do Documento 144, de autoria do pesquisador
Guilherme Lafourcade Asmus. Nela, o leitor vai saber quais as diferentes modalidades
para introduzir a braquiária em sistemas de produção de culturas anuais, visando o
manejo dos nematóides.
“O plantio de espécies de Bachiaria constitui-se em importante estratégia de manejo
dos principais fitonematoides que ocorrem em culturas anuais. Em sua maioria,
plantas de Brachiaria são resistentes ou imunes a fitonematoides edáficos e melhoram
as condições físicas, biológicas ou químicas do solo, o que contribui para a redução da
densidade populacional dos nematoides no solo e estimula as plantas a expressarem
maior tolerância”, afirma o pesquisador.
Os pesquisadores Rodrigo Arroyo Garcia e Luiz Armando Zago e o analista Gessí
Ceccon elaboraram a publicação “Inserção de crotalárias em sistemas de produção de
grãos e renovação de pastagens”. Eles afirmam que “o consórcio de gramíneas
forrageiras com crotalárias é uma alternativa para produção de biomassa em
quantidade e qualidade, favorecendo o desenvolvimento das culturas agrícolas em
sucessão” Enfatizam ainda que “o maquinário e as tecnologias existentes já adotadas
pelo produtor rural, independentemente do tamanho da propriedade e nível de

investimento, são adequadas para utilização do consórcio nas áreas de produção
avaliadas em Mato Grosso do Sul.”
A “Qualidade da silagem do capim-elefante BRS Capiaçu” ( https://bit.ly/3ielPvH ) foi
estudada pela pesquisadora Marciana Retore em parceria com a mestranda Joyce
Pereira Alves (UFGD), o professor Marco Antonio Previdelli Orrico Junior (UFGD) e a
zootecnista Sanayra da Silva Mendes. Segundo eles, a a silagem é uma “excelente
alternativa aos agricultores familiares para alimentação do rebanho no período seco,
por causa do baixo custo, da alta produtividade e da perenidade da cultura”. É possível
utilizar o BRS Capiaçu com 60 dias de idade para produção de silagem, para
aproveitar sua melhor composição química, “desde que sejam incluídos, pelo menos,
15% de milho grão triturado no material a ser ensilado, para aumentar o teor de
matéria seca”, explicam.
Além disso, os visitantes da Agrotins poderão ouvir o epsódio de podcast “Benefícios
da pastagem para a cultura agrícola – ILPF na rede” e assistir aos seguintes vídeos
produzidos pela Embrapa Agropecuária Oeste: Cultura da Mandioca - Seleção de
Material e Preparo para plantio; Percevejos na Cultura do Milho e Estratégias de
Manejo; Consórcio Milho-Braquiária: Pontos Importantes; Reguladores de Crescimento
no Algodoeiro; Arvore e Doenças nas Lavouras – ILPF; Percevejo na Cultura da Soja:
Manejo Integrado de Soja – MIP; Você sabia que o cultivo de braquiárias pode
contribuir para o controle de fitonematoides?; e Estratégias de manejo do sistema para
a ferrugem.

Informações Gerais

Localização do Evento