9º SICONBIOL - Simpósio de Controle Biológico


Acredita-se que a necessidade de controlar populações de insetos herbívoros foi percebida desde tempos remotos, quando o homem começou a cultivar plantas para sua alimentação. A necessidade de controlar populações de insetos hematófagos só se tornou evidente, entretanto, há pouco mais de um século, com a descoberta da transmissão por insetos, de agentes patógenos ao homem. A história do controle de insetos que causam danos ao homem pode ser expressa, de maneira muito simplificada, em 3 fases: a primeira, que antecede o uso dos organossintéticos, foi marcada por tentativas diversas evoluindo, a partir das últimas décadas do século XIX, na direção do manejo ecologicamente dirigido, incluindo práticas de rotação de culturas, controle biológico, uso de extratos vegetais, bem como práticas de higiene ambiental para controle de vetores. A 2a fase, que se caracteriza pelo uso de compostos tóxicos de amplo espectro de ação, iniciada nos anos 40 do século passado, desacelerou os progressos em ecologia aplicada. Esta fase pode ser considerada a Idade Média do conhecimento científico nesta área, posto que a excessiva confiança naqueles produtos estagnou a pesquisa de outras formas de enfrentamento do problema, inclusive os estudos de aspectos fundamentais da biologia e da ecologia dos insetos-alvo. O Renascimento da Ciência nesta área somente se iniciaria décadas depois, com a constatação das conseqüências negativas do amplo uso de tais produtos e a consciência de que esta prática é, do ponto de vista biológico, um grande equívoco. Nas últimas décadas tem sido observada uma crescente produção de conhecimentos que permitem a aplicação dos princípios de interações bióticas no manejo racional de populações que precisam ser controladas. Importantes progressos têm sido registrados no conhecimento de agentes microbianos, parasitoides e predadores, com significativos passos de qualidade na sua aplicação, em algumas situações específicas. Exemplos eloqüentes, no Brasil, são os avanços no controle biológico de pragas da cana-de-açúcar e da soja, entre outros. Entretanto, há muito ainda a percorrer para superar a Idade Média. O importante fato a registrar é que a 3a fase na história do controle de insetos, o Renascimento na produção de conhecimentos e no desenvolvimento de tecnologias apropriadas para o manejo racional de populações, está em curso.
O 9º SICONBIOL se inscreve neste esforço como fórum privilegiado reunindo pesquisadores e estudantes de diversas áreas do conhecimento relacionadas com o controle inteligente de insetos, de ervas daninhas e de doenças de plantas. Desde sua 1a edição em 1988, o 9º SICONBIOL se firmou, nestes 15 anos, como expressivo evento científico, estimulando avanços de qualidade para preservar a biodiversidade e a saúde humana, através da produção sustentável de alimentos saudáveis e do controle apropriado de insetos vetores de doenças endêmicas.

Leda Regis
Presidente do 9º SICONBIOL - Recife, 2005.

Informações Gerais

  • 15/05/2005 à 19/05/2005
  • PE - Recife
    Mar Hotel em Boa Viagem
  • Website do Evento
  • Gratuíto

Localização do Evento