Campanha “São Sebastião inova no combate à dengue” continua com bons resultados e muito apoio da população

Campanha “São Sebastião inova no combate à dengue” continua com bons resultados e muito apoio da população

75% das residências já receberam o inseticida biológico e a próxima etapa será centrada na educação

Brasília, 09 de fevereiro de 2007 - A campanha “São Sebastião inova no combate à dengue”, lançada no dia 20 de janeiro (dia de São Sebastião) no Distrito Federal está alcançando ótimos resultados, como explicou a pesquisadora da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, Rose Monnerat, em uma reunião de avaliação realizada hoje à tarde, na Unidade da Embrapa, em Brasília, com representantes de todas as instituições envolvidas (Embrapa, Emater-DF, Bthek Biotecnologia; as Secretarias de Educação, Meio Ambiente e Saúde do GDF; e o SLU - Serviço de Limpeza Urbana) . A cidade de São Sebastião foi a pioneira nessa campanha, por apresentar o maior número de casas infestadas pelo mosquito transmissor da dengue no DF.
A campanha tem um caráter inovador, pois se baseia no uso de um produto biológico para a prevenção e combate à dengue. O Bt-horus, desenvolvido em parceria entre a Embrapa e a Bthek Biotecnologia, é um inseticida que contém, em sua fórmula apenas uma bactéria específica (Bacillus thuringiensis) para controlar o mosquito transmissor da dengue, o que o torna inofensivo à saúde humana, de animais e ao meio ambiente.
Segundo a pesquisadora, 75% das cerca de 14 mil residências de São Sebastião já receberam o produto, que pode ser aplicado diretamente nos focos de proliferação do Aedes aegypti, como vasos de plantas, poças e qualquer concentração de água parada. A distribuição do BT-horus tem sido feita por funcionários do SLU e líderes comunitários da cidade de São Sebastião, que foram treinados pelas equipes da Embrapa e da Bthek. “Eles vão de casa em casa, onde distribuem o produto e um folheto contendo explicações sobre a sua aplicação: uma gota para cada litro de água é suficiente para matar as larvas do mosquito em apenas 24 horas”, explica Rose.
Pela primeira vez, um produto biológico está sendo usado maciçamente em uma campanha de saúde pública no Brasil, o que já é bastante inovador, pois além de não ser nocivo desperta na população a consciência ambiental, de acordo com a pesquisadora. Ela está muito satisfeita com os resultados preliminares da campanha e, especialmente, com a aceitação da população à inovação tecnológica. “Além dos líderes comunitários, várias pessoas têm se oferecido para trabalhar como voluntárias, o que sem dúvida, é muito positivo”, afirma.
Novo parceiro e novo foco na campanha: educação
“Outra característica muito interessante nessa campanha é o fato de ser multinstitucional”, ressalta a pesquisadora. A primeira fase foi dedicada à limpeza, a segunda à distribuição do produto e para a terceira, que está sendo iniciada este mês, as instituições comemoram a incorporação de um novo parceiro: o UniCEUB, que será fundamental para a concretização do foco fundamental dessa fase que é a educação, com o envolvimento das escolas da região.
Segundo Paulo Queiroz, representante do UniCEUB que esteve presente à reunião, cerca de 60 alunos da Universidade vão atuar como agentes na distribuição e conscientização acerca da importância ambiental do produto e mais do que isso: eles serão capacitados para efetuarem os LIRAS (levantamentos de índices rápidos), que calculam a infestação causada pelas larvas do Aedes. As avaliações serão feitas mensalmente em São Sebastião até o mês de junho. A idéia é que a campanha seja modelo para outras cidades do DF e que, futuramente, possa ser integrada ao Programa Nacional de Combate à Dengue, do Ministério da Saúde.

Fernanda Diniz
Jornalista
Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia
Fones: (61) 3448-4769 e 3340-3672
E-mail: fernanda@cenargen.embrapa.br




Informações Gerais

  • 09/02/2007 à 09/02/2007
  • DF - Brasília
    Pátio de Exposições em Ribeirão Preto
  • Website do Evento
  • Gratuíto

Localização do Evento