Curso 'Principais Afecções em Felinos Domésticos e Selvagens Neotropicais'

Coordenado pelos professores Antonio Carlos Paes e Marcio Garcia Ribeiro, do Departamento de Higiene Veterinária e Saúde Pública da FMVZ, o curso tem como público alvo alunos de graduação, pós-graduação, residentes, docentes e também clínicos de pequenos animais. A temática foi escolhida em razão do grande envolvimento dos alunos com animais de companhia.

Estimativas dos organizadores dão conta de que cerca de 40% dos egressos da Faculdade atuam nessa área. No entanto, é a primeira vez que os organizadores fazem um evento voltado exclusivamente para felinos. 'Temos que levar em consideração que o gato é uma acompanhante freqüente nas cidades. Não se admite hoje que um veterinário abra uma clínica sem que entenda bem sobre as doenças que atingem os gatos', frisa o professor Paes.

'É inadmissível um clínico veterinário tratar um gato como um cão. São pacientes bem diferentes, que tem necessidades diferentes. A abordagem do felino é diferente porque o animal se estressa rapidamente. Se o profissional não estiver familiarizado com essa abordagem, ele pode inclusive alterar os resultados de alguns exames. Além disso, a nutrição e o comportamento dos felinos também são muito distintas das dos cães', complementa o professor Marcio.

Segundo professor Paes, o curso será muito abrangente. 'Vamos esclarecer muitas coisas, pois sabemos das dificuldades dos veterinários no tocante às doenças de gatos e felinos selvagens neotropicais'.

São considerados felinos selvagens neotropicais aqueles que habitam a América do Sul e uma das palestras de destaque do evento será a do professor Jean Carlos Ramos e Silva, da Universidade Federal Rural de Pernambuco e do Instituto Brasileiro para Medicina da Conservação, especialista no assunto.

Outra tendência observada pelos realizadores é o aumento de clínicas especializadas no tratamento exclusivo de felinos. Hoje já há campo de trabalho para profissionais que queiram trabalhar somente com cães ou somente com gatos. Por isso o evento contará com palestrantes que atuam como médicos veterinários especializados no atendimento de gatos, numa tentativa de somar as visões desses profissionais com o conhecimento acadêmico.

A programação do curso também oferece a oportunidade para que os acadêmicos de 1º ou 2º ano, que ainda não têm um conhecimento muito grande da área, possam acompanhar os trabalhos. 'Iniciaremos com palestras mais básicas incluindo comportamento, abordagem do paciente, nutrição, obesidade, algumas peculiaridades em relação aos exames laboratoriais de diagnóstico, controle estratégico de verminoses e na sequencia começamos a tratar especificamente das doenças infecciosas', ressalta o professor Marcio.

Dentre as várias doenças abordadas, está a leishmaniose, doença considerada emergente entre os gatos. 'Estamos muito próximos de Bauru que é uma região endêmica da leishmaniose canina, o que gera uma grande preocupação no nosso Departamento', explica o professor Marcio. A leishmaniose será tema da palestra de encerramento, proferida pelo professor Hélio Langoni, do Departamento de Higiene Veterinária e Saúde Pública da FMVZ.

Segundo o professor Marcio, outro tema de destaque é a Criptosporidiose. 'O gato pode ser portador criptosporídeo que é eliminado pelas fezes, contamina a água, alimentos e pode ser um agente perigoso para pacientes com imunosupressão, como os portadores do vírus HIV'. A Toxoplasmose também será discutida no curso. 'O gato é o único hospedeiro definitivo do parasita e, em determinadas condições pode levar à infecção de humanos causando sérios problemas, principalmente às gestantes, levando à hipocefalia, abortamentos, debilidade do neonato e outros tipos de complicação'.

Vale lembrar que a grande maioria das doenças que afetam os felinos domésticos também afetam os felinos selvagens neotropicais.

Informações Gerais

  • 16/03/2007 à 18/03/2007
  • SP - Botucatu
    Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Unesp - Casa da Arte
  • Website do Evento
  • Gratuíto

Localização do Evento